Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010

Miguel Frasquilho veio à Curia falar do Orçamento do Estado para 2010

Deputado é o segundo convidado do PSD de Anadia para ciclo de conferências

Miguel Frasquilho, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD, disse na sexta-feira, dia 5 de Fevereiro, na Curia, concelho de Anadia, que o país está a caminhar para o precipício. O parlamentar referiu que o PSD teve em conta “o interesse do Estado ao viabilizar, pela abstenção, o Orçamento”, mas que o que o PS fez “foi atirar Portugal para uma situação muito complicada”.

O deputado à Assembleia da República falava no âmbito da conferência “Orçamento do Estado para 2010 – O corolário de cinco anos perdidos”, promovida pela Comissão Política de Secção (CPS) de Anadia do PSD.

José Manuel Ribeiro, presidente da CPS de Anadia do PSD, lembrou que esta seria a terceira conferência de Miguel Frasquilho sobre o Orçamento do Estado para 2010, que tinha passado já pelo Porto e Covilhã, cidades às quais se seguiu Anadia, que integrou “este roteiro de acção política”.

Considerado por José Manuel Ribeiro “um dos melhores economistas do país na vida política activa e um valor crescente no PSD”, Miguel Frasquilho regozijou-se por falar para “uma casa cheia”. E começou logo por referir que “o país atravessa um momento particularmente difícil, já há cerca de 10 anos, com o definhamento da nossa economia. Nos últimos cinco anos, o PSD advertiu para os erros da política económica que estava a ser seguida”, acusando o primeiro-ministro José Sócrates de ser “o causador do pior défice de sempre do país”.

“No ano de 2004, último de governação PSD/CDS, a dívida pública era de 58,7% e em 2010 vai ser na ordem dos 85,4%. Estamos pior ao nível do rendimento por habitante (nível de vida); do crescimento da economia; do défice externo; do investimento público; da carga fiscal; da taxa de desempego” e de outros tantos indicadores. Miguel Frasquilho considerou que estes dados são “o retrato de uma governação falhada”, dizendo não saber “como quem governou nos últimos anos vai conseguir dar a volta”.

Sendo 2009 um ano de crise profunda, com crescimento negativo a nível mundial, Portugal “vai arrancar da crise internacional de forma mais desfavorável. O desemprego poderá estar na casa dos dois dígitos, entre 10 e 11%, números nunca antes atingidos no nosso país”, advertiu.

Frasquilho lembrou as projecções do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a economia portuguesa, que “é sempre a descer. Somos o vigésimo pior país, de 27, em termos de nível de vida na União Europeia (UE) e o sexto com maior défice em 2009 e com a quinta maior dívida pública”. Face a esta “situação tão complicada”, se ainda passasse “para fora que o nosso orçamento não seria aprovado, as taxas de juro disparariam”.

Desta forma, o deputado disse que com as indicações dadas pelo Ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, o PSD “teria de viabilizar o Orçamento do Estado, pela abstenção. O Governo praticou uma política totalmente desajustada, com erros gravíssimos cometidos ao longo destes cinco anos”.

Frasquilho referiu que não falava da política fiscal do Orçamento do Estado, “porque ela não existe”. Mas lembrou que Portugal tem um esforço fiscal 20% acima da média da UE: “Pagamos impostos a mais. Espanha paga 17% a menos, o que faz com que tenha margem para aumentá-los e o nosso país já não”. O deputado disse que “este orçamento ainda não corta na despesa pública” e defendeu, a título de exemplo, o corte “nos estudos de consultoria”.

A sessão terminou com um participado debate, onde a plateia, aberta aos militantes do PSD mas também à sociedade civil, colocou diversas questões a Miguel Frasquilho, que não deixou ninguém sem resposta.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:04

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

Curia Tecnoparque recebe lançamento do número 36 da revista Aqua Nativa

Nova edição dedicada à freguesia de Tamengos, Anadia

Uma reflexão e análise históricas sobre um espaço carregado de memórias. Assim poderia definir-se a sessão de lançamento do número 36 da Revista de Cultura e História Local Aqua Nativa, edição dedicada a Tamengos, que juntou no auditório do Curia Tecnoparque, em Tamengos, alunos da Universidade Sénior da Curia (USC) e também muitos habitantes da localidade homenageada.

Nuno Rosmaninho, docente do Departamento de Línguas e Cultura da Universidade de Aveiro, proporcionou uma verdadeira aula de História Local a todos quantos puderam assistir ao lançamento de “Dossiê Tamengos”, cuja leitura permitirá uma “viagem pelo espaço, pelas pessoas e por quotidianos totalmente diferentes” dos que se conhecem hoje e que dizem respeito à realidade daquela freguesia do concelho de Anadia, até há 50 anos atrás.

O autor e investigador explicou que esta é uma temática com grandes “virtudes cívicas”, uma vez que poderá fazer “entender melhor e lutar por um lugar”. E como “o que há ainda para fazer é imenso”, este “Dossiê Tamengos” pode também ajudar a mostrar temas que funcionam como exemplos para quem quer investigar e fazer História Local, até porque “no concelho de Anadia poucas povoações têm estudos sistemáticos feitos”.

O investigador dá o exemplo da preservação do património das igrejas, que ainda não está estudado, e que é urgente “fotografar, medir e pesar”. O autor terminou deixando uma sugestão: a criação de uma “Carta Concelhia do Património”.

Para Alice Godinho, professora de Estruturas Socioculturais da USC, a revista Aqua Nativa - e este número em concreto, dedicado a Tamengos - vêm desempenhar um “importante papel na construção histórica”, revelando-se um “valioso instrumento de trabalho e investigação”.

O dossiê sobre Tamengos reúne um conjunto de realidades já passadas, permitindo também satisfazer a curiosidade dos habitantes de hoje.

Carlos Alegre, director e coordenador da Revista Aqua Nativa, descreveu a publicação como um “espaço de memórias, de histórias de vida”, convidando todos os que gostam de História Local a escrever, “porque realmente têm muito para dizer”.

Esta edição, que completa o 19º aniversário da revista, apresenta um conjunto de artigos e estudos sobre Tamengos ao longo da História, um trabalho de vários autores, que traça um perfil da localidade em cerca de metade da revista.

Está já a ser preparado o número 37 da Aqua Nativa, que incluirá um dossiê de estudos sobre Ancas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:04

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Miguel Frasquilho em Anadia para debater Orçamento do Estado

Palace Hotel da Curia recebe mais uma conferência promovida pelo PSD local

Miguel Frasquilho é o próximo convidado da Comissão Política de Secção do PSD de Anadia (PSD/Anadia), para uma conferência subordinada ao tema do Orçamento do Estado para 2010.

O evento realizar-se-á no próximo dia 5 de Fevereiro, sexta-feira, pelas 21 horas, no Palace Hotel da Curia, na Curia, freguesia de Tamengos.

Miguel Frasquilho é Licenciado em Economia pela Universidade Católica Portuguesa e Mestre em Teoria Económica pela Universidade Nova de Lisboa.

Presentemente é quadro superior do Banco Espírito Santo (BES), onde ocupa as funções de Director-Coordenador do Departamento de Research.

Deputado à Assembleia da República é, actualmente, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD, com a tutela das áreas orçamental e finanças.

 

Iniciativa “oportuna”

De acordo com José Manuel Ribeiro, presidente da Comissão Política de Secção do PSD de Anadia, “esta iniciativa, além de ser de grande importância é especialmente oportuna”.

A conferência ocorrerá poucos dias após a entrega do Orçamento do Estado para 2010, pelo Governo na Assembleia da República, e antes do debate na generalidade no Parlamento. “Falamos de um orçamento envolto em especiais circunstâncias, em virtude da existência de um Governo de maioria relativa, que se viu obrigado a negociações com vários partidos da oposição”, sublinhou José Manuel Ribeiro.

A iniciativa destina-se aos militantes do PSD, mas está aberta a todos os cidadãos em geral.

 

Ciclo de conferências

Miguel Frasquilho é assim o senhor que se segue a Paulo Rangel, o primeiro convidado da Concelhia do PSD de Anadia para o ciclo de conferências que está a ser levado a cabo por esta estrutura.

Recorde-se que o eurodeputado esteve em Anadia para dar uma conferência com o tema “Educação, Professores e Alunos”, que encheu a sala do Palace Hotel da Curia onde decorreu a iniciativa, com militantes do PSD, simpatizantes e elementos da sociedade civil em geral, que ouviram atentamente os 50 minutos de intervenção.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:57

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010

CADES leva 15 crianças ao palco do Cine-Teatro Messias, na Gala do Desporto da Mealhada

Workshop de Dança Contemporânea é a primeira iniciativa da associação

Alegria e diversão era aquilo que se lia no rosto das 15 crianças que participaram no Workshop de Dança Contemporânea promovido pelo Núcleo de Desporto/Fitness da Associação CADES - Cooperação Artística, Desportiva, Educativa e Social e que vão agora subir ao palco do Cine-Teatro Messias. A iniciativa realizou-se no sábado, dia 9, no Grande Hotel de Luso, no Luso, concelho da Mealhada. Para Janine de Oliveira, presidente da Direcção, sendo este o primeiro evento da CADES foi já possível atingir o seu objectivo, “tendo em conta que trabalhámos num grupo onde estão inseridas crianças sem dificuldades financeiras, bem como outras que foram sinalizadas pelo Núcleo Social. Só por isso já valeu a pena a actividade”.

A dirigente referia-se às três crianças encaninhadas pelo Núcleo Social, conforme explicou Isabel Gaspar, da equipa técnica deste núcleo e membro da Direcção: “Além da comunidade específica que abrange o workshop foram incluídas três crianças pelas vagas sociais, que representam o espírito da CADES. Quer isto dizer que todas as actividades promovidas são abertas a todos. A falta de recursos financeiros por parte de alguns pais não constitui factor de impedimento para o acesso às nossas iniciativas”.

Quem também marcou presença no workshop da CADES foi Júlio Penetra, vereador do Desporto e da Acção Social da Câmara Municipal da Mealhada, que enalteceu a equipa desta jovem associação, dizendo que a sua maior expectativa centra-se nos projectos que a CADES propõe realizar, mais concretamente nas áreas do Desporto e Social.

O autarca disse ainda que este tipo de iniciativas “é excelente”, porque há muito espaço de interesse “para cobrir. Mas é preciso estabelecer comunicação com quem já está no terreno”, sublinhou, fazendo referência a outras associações, para assim evitar que “andem a calcar caminho uns aos outros, de forma a impedir sobreposições. Havendo diálogo entre as associações, penso que se consegue fazer muita coisa interessante”, advertiu.

Também Jorge Fonseca, director do Grande Hotel de Luso, lembrou que na altura do nascimento da CADES “fomos desafiados a ajudar a ‘criança’ a crescer. Desde esse momento, o Grande Hotel de Luso disponibilizou-se para apoiar as iniciativas sempre que tal se tornasse oportuno”. Agradecendo à Direcção da CADES por “proporcionar-nos a primeira oportunidade para sermos o anfitrião do workshop”, frisou ser “um gosto acolher o evento que, estamos certos, será o primeiro de muitos outros”.

 

Participantes da Mealhada e Anadia

Com um olhar meigo e doce, Maria Daniela Lebre, sete anos, da Mealhada, foi uma das participantes. Disse que já tinha andado nas danças latinas e que por gostar tanto de dançar, adorou fazer o workshop. Já a mãe, Raquel Espírito Santo, justificou a participação da filha por contribuir para o seu desenvolvimento e porque “ela é muito activa e precisa libertar energia”, louvando a realização deste tipo de iniciativas, tão “raras de acontecer na região”. Raquel ainda tornou a filha sócia da CADES por tratar-se de uma associação para “ajudar pessoas desfavorecidas. Aproveitei a campanha que dava acesso ao workshop e penso que, no futuro, poderá trazer outras mais-valias. O importante é que a Maria Daniela tenha a noção de que está a ajudar alguém e que ao mesmo tempo está a ser ajudada”.

De Tamengos, concelho de Anadia veio outra participante. A Patrícia Silva, com seis anos: “Gostei muito. Foi muito divertido. Nunca tinha participado numa coisa deste género”. O pai, Rui Silva, inscreveu-a pelo seu gosto na dança. A Patrícia também já é sócia da CADES, porque o pai entende que poderá trazer vantagens, quer em termos económicos, quer de prioridade no acesso às actividades. Além de que uma associação deste cariz deve ser “ajudada e apoiada”.

O Bernardo Vaz, oito anos, da Mealhada foi a única participação masculina. Não se mostrando nada inibido por isso, disse ter gostado muito daquela que foi a primeira experiência numa iniciativa como esta. Foi a mãe, Ana Vaz, que o acompanhou, dizendo que o desafio foi aceite pelo filho por gostar muito de dançar, realçando que iniciativas assim são “excelentes por contribuir muito para o desenvolvimento dele e são uma mais-valia para o seu crescimento. Ainda bem que a CADES existe, por estar a proporcionar-nos estes eventos. De outra forma teríamos de ir para cidades grandes, o que se tornava incomportável”.

Visivelmente satisfeita estava Cláudia Cardoso, professora de dança criativa e dança moderna/contemporânea, responsável pela coreografia. “O workshop correu muito bem. Superou as minhas expectativas. Tendo em conta que são crianças, conseguiram, neste espaço de tempo, adquirir as competências desejadas”. Sobre a CADES, a também directora da Companhia de Dança Staccato, de Leiria disse estar “bem impressionada”, principalmente por levar a cabo estas iniciativas “excelentes, na medida em que as crianças não têm muita oferta destas coisas. Hoje não se incentivam os jovens para estas actividades, estou sempre a remar contra a maré”.

As 15 crianças, com idades compreendidas entre os três e os 12 anos, vão agora participar com a coreografia ensinada por Cláudia Cardoso na quarta edição da Gala do Desporto da Mealhada, que vai ter lugar no dia 25 de Janeiro, pelas 21.30 horas, no Cine-Teatro Municipal Messias, na Mealhada.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:04

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

Paulo Rangel em Anadia para falar sobre Educação

Concelhia do PSD local organiza conferência no Palace Hotel da Curia

Paulo Rangel, a convite da Comissão Política de Secção do PSD de Anadia (PSD/Anadia), deslocar-se-á ao concelho para uma conferência subordinada à temática da Educação, a realizar no dia 8 de Janeiro (sexta-feira), pelas 21 horas, no Palace Hotel da Curia, na Curia, freguesia de Tamengos.

Paulo Rangel, jurista, ex-presidente do Grupo Parlamentar do PSD na Assembleia da República, foi o cabeça-de-lista pelo PSD às Eleições Europeias do ano passado, tendo sido o grande vencedor deste acto eleitoral.

Registou no passado recente uma ascensão meteórica no PSD, sendo nos dias de hoje uma figura incontornável do partido e um dos políticos portugueses mais respeitados da actualidade.

Com as posições genuínas e desassombradas de Paulo Rangel, por vezes polémicas, esta conferência promete ser uma “pedrada no charco” e marcar o início da agenda política nacional do ano de 2010.

Esta iniciativa, dirigida primordialmente aos militantes do PSD, está igualmente aberta aos simpatizantes e à sociedade civil, em geral.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:54

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Incubadora da WRC completa hoje três anos

Já são oito as empresas instaladas no Curia Tecnoparque, em Tamengos (Anadia)

Em Outubro de 2006, precisamente hoje, dia 13, Castro Guerra, secretário de Estado adjunto da Indústria e da Inovação; João Vasco Ribeiro, então presidente do Conselho de Administração da WRC e Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, inauguravam a Incubadora de Empresas da WRC - Web para a Região Centro, Agência de Desenvolvimento Regional, SA, situada no Curia Tecnoparque, na Quinta dos Cabrais, na Curia, freguesia de Tamengos, concelho de Anadia.

Volvidos três anos desde a abertura do espaço, Pedro Maranha, adminsitrador da WRC, afirma que “tem sido cumprida a sua função de potenciador de desenvolvimento económico local e regional”.

Desde 2006, a Incubadora tem conseguido também cumprir com a sua filosofia da “porta aberta”, promovendo em conjunto com as empresas incubadas reuniões quadrimestrais para avaliação de dificuldades e discussão de novas ideias. “Da mesma forma tem conseguido colocar a rede de contactos e accionistas da WRC ao serviço destas empresas, sempre na perspectiva de geração de oportunidades de mercado”, garantiu o administrador.

 

Rede de Incubadoras

A criação de uma Rede de Incubadoras de Empresas na Região Centro, um dos projectos pioneiros da WRC, é já uma realidade, “congregando todas as incubadoras em actividade na zona centro. Mantém-se ainda o objectivo de criar a INCUBE - Associação Nacional de Incubadoras de Empresas, que merecerá discussão no II ENI - Encontro Nacional de Incubadoras de Empresas, agendado para o próximo mês de Novembro, no Curia Tecnoparque”, revelou Pedro Maranha.

 

Oito empresas incubadas

Actualmente são oito as empresas que se encontram sedeadas na Incubadora de Empresas do Curia Tecnoparque. Os primeiros quatro projectos empresariais estão ali instalados desde 2007 - Sigyn - Consultoria de Marketing e Implementação de Sistemas de Informação Lda;  Lanik Portuguesa - Fabrico e Comércio de Estruturas de Madeira e Projectos de Engenharia, Lda; AAS - Sociedade Portuguesa de Inovação Ambiental, Lda e Enodestinos - Produção e Organização de Eventos - sendo os restantes mais recentes.

Esta configuração leva à quase lotação da incubadora, se se exceptuar o terceiro piso, onde se mantém a vontade de encontrar uma empresa ou entidade de referência que ali se queira instalar. “Todavia, esta ambição de atrair um projecto âncora, não invalida que sejam ainda instaladas novas pequenas empresas no Curia Tecnoparque”, conforme explicou Pedro Maranha.

Além das já mencionadasdas quatro empresas estão ainda incubadas na WRC a CBL - Qualidade, Ambiente e Segurança, Unipessoal, Lda; SAFESPACE - Soluções de Segurança e Domótica Lda; IDEIASOFT - Engenharia de Sistemas, Lda e Click Mental - Sistemas de Informação, Lda.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:07

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

Desilusão do PS Anadia contrasta com a satisfação do CDS e CDU locais

CDS-PP Anadia é o partido com maior crescimento no concelho

“É um resultado que fica muito aquém das nossas expectativas”. Foi desta forma que Lino Pintado, cabeça de lista à Câmara Municipal de Anadia pelo PS, fez o balanço das autárquicas 2009. Mesmo “mantendo a percentagem de há quatro anos, na casa dos 25%, não é um bom resultado”, reforçou.

Lino Pintado referiu que apesar de ter aumentado o número de votos, também aumentou o de votantes, mantendo-se as percentagens.

“Tinha uma ambição de termos resultados completamente diferentes. Mas há que respeitar a decisão do eleitorado do concelho”, admitiu o candidato socialista.

Comparando os resultados agora obtidos com os de há quatro anos, o PS Anadia conquistou mais uma freguesia, a de Aguim, “que nunca tinha sido PS. Mantivemos também o número de deputados municipais, seis, passando para oito com o presidente da Junta de Freguesia de Aguim e o de Mogofores, que já era socialista”.

A assinalar as subidas nas freguesias de Avelãs de Cima, Arcos e Aguim, na votação para a Câmara Municipal e a “descida muito significativa em Sangalhos, merecendo uma análise com todo o cuidado para tentarmos chegar a conclusões”.

 

CDS tem o maior crescimento

Por outro lado, O CDS-PP foi o partido que mais cresceu no concelho de Anadia: elegeu dois deputados municipais - Sidónio Simões e João Tiago Castelo-Branco -, retirando um deputado municipal ao PSD e, por uma pequena margem de votos, não obteve um vereador. Está representado com um deputado em cinco Juntas de Freguesia, nomeadamente por Ana Maria Alegre, em Arcos; António Pimentel, em Tamengos; António Augusto Marques da Silva, em Amoreira da Gândara; Jorge Matos, na Moita e António Oliveira, em Mogofores e com dois deputados na freguesia de Vilarinho do Bairro, Nuno Seabra e Hélder Santos.

De referir que esta última freguesia foi a que registou a maior subida dos populares, tornando-se o CDS a segunda força política, logo a seguir ao PSD.

Segundo Maria do Céu Castelo-Branco, candidata à Câmara Municipal, “se compararmos os resultados das autárquicas 2005 aos obtidos este ano, percebemos que o CDS-PP Anadia duplicou as suas próprias percentagens e apresentou valores mais elevados do que o PSD e o PS, quer para a Câmara, quer para a Assembleia Municipal”.

Para a popular, “os objectivos superaram as nossas expectativas e tal só aconteceu porque houve uma equipa de trabalho coesa a par de um esforço persistente e um contacto directo com a população nas diferentes freguesias do concelho. Lançámos as sementes, o trabalho vai continuar e a colheita virá de certeza. Estamos convictos de que nas próximas eleições o CDS estará em condições de se afirmar como a alternativa certa para o concelho de Anadia”.

 

“É uma vitória para a CDU”

Também o cabeça de lista à Câmara de Anadia pela CDU, José Paixão, estava muito satisfeito com os resultados das autárquicas 2009: “É uma vitória para a CDU, porque conseguimos os melhores resultados de sempre no concelho”.

Contudo, Paixão lembrou que “não atingimos os nossos propósitos, que eram chegar aos mil votos em cada órgão a que concorremos, o que ofusca a nossa vitória. Mas subimos cerca de 200 votos nos diversos órgãos aos quais concorremos”.

Mais votos, mais percentagem e os mesmos mandatos de há quatro anos. É este o balanço feito pelo candidato da CDU à Câmara. “Tínhamos dois eleitos na Assembleia de Freguesia de Sangalhos, passámos para três. Em Mogofores é que perdemos o que tínhamos”, explicou.

Quanto à Assembleia Municipal, é João Morais que vai continuar como deputado pela CDU, “saindo a sua votação reforçada, ultrapassando os mil votos. Mas ainda ficámos longe de conseguir um segundo mandato neste órgão”, disse Paixão, que terminou referindo estar triste “por não ter conseguido a perda da maioria absoluta de Litério Marques”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:56

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Jorge e Teresa Dias vencem Rali Rota da Bairrada 2009

Clube Português de Automóveis Antigos organiza prova pela segunda vez em Anadia

Realizou-se, de 17 a 19 de Julho, o Rali CPAA Rota da Bairrada 2009, sob a égide do Clube Português de Automóveis Antigos, com o “quartel-general” no Palace Hotel da Curia, unidade hoteleira situada na freguesia de Tamengos e que assim recebeu pela primeira vez a “caravana” desta prova.

Para a segunda edição, a organização da prova decidiu que haveria apenas duas etapas, sendo que a primeira foi relativa à “Curia - Aveiro”, e após o almoço no Hotel Mélia, em Aveiro, realizou-se a segunda etapa, desta feita “Aveiro - Anadia”.

No domingo de manhã os concorrentes tiveram a manhã livre, e o almoço de entrega de prémios, com a presença de 90 pessoas, teve lugar no Museu do Vinho Bairrada, situado na cidade de Anadia.

 

Classificação final

A classificação final ficou assim ordenada: João Pinho Amaral/Maria Manuela Amaral - venceram a classe C, em Ford A de 1929.

Jorge Mendes Dias/Teresa Dias - venceram a classe E, em MG A de 1956 e ainda a Taça Cardoso Lima, em memória do ex-presidente do Conselho Técnico e fundador do Clube, entregue pelo sobrinho António Cardoso Lima.

Horácio Gonzalez/Magui Barros - venceram a classe F, em Mercedes Benz 250 S Cabrio de 1967.

Jorge Henriques Martins/Ana Meireles Martins - venceram a classe G, com um Ford Cônsul de 1972.

Refira-se que o Clube Português de Automóveis Antigos organizou pela segunda vez este rali no concelho de Anadia, que contou com o apoio da Associação Rota da Bairrada, assim como da Câmara Municipal de Anadia.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:24

link do post | comentar | favorito
Domingo, 19 de Julho de 2009

Universidade de Verão Luso-Espanhola na Curia (Anadia)

 “Vinho, Arte e Estrelas” no Curia Tecnoparque

O Curia Tecnoparque, situado na freguesia de Tamengos, Anadia, recebeu, entre 14 e 16 de Julho, a primeira Universidade de Verão Luso-Espanhola realizada em terras bairradinas, unindo alunos dos dois países em torno do tema “Vinho, Arte e Estrelas”.

Ajudar os processos de cooperação entre Portugal e Espanha foi o objectivo último desta iniciativa, que teve como parceiros a Universidade Sénior da Curia, a Universidade de Salamanca e a Editora Celya.

Durante a cerimónia de abertura da Universidade de Verão, Pedro Maranha, administrador da WRC, defendeu que a realização deste projecto vem permitir “um cruzamento de culturas, experiências e pensamentos”, representando ainda a primeira “internacionalização da Universidade Sénior da Curia”.

Esta “amizade entre dois países que historicamente têm estado de costas voltadas” também foi salientada por Jesus Losada, director da Universidade de Verão Luso-Espanhola. Este representante da Universidade de Salamanca realçou a importância económica e cultural do vinho na Região da Bairrada e de Castela-Leão, explicando assim a temática escolhida para esta Universidade de Verão.

Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, salientou o carácter inédito da iniciativa, deixando votos para que se “intensifiquem e se tornem mais frequentes estes encontros”.

Depois do êxito em Portugal, é a vez do país vizinho receber a Universidade de Verão. Alcanices e Zamora serão as cidades anfitriãs entre 21 e 23 de Julho.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:26

link do post | comentar | favorito
Domingo, 14 de Junho de 2009

Vestidos de Chita voltam a concurso, em Anadia, pela 18ª vez

Mariana Alves vence categoria A e Daniela Simões vence a B

Curtos ou compridos, mais ou menos coloridos, decotados e ousados. O requisito obrigatório dos vestidos que desfilaram - na noite do dia 6 - na passerelle improvisada no Pavilhão Municipal dos Desportos de Anadia era um: o tecido tinha de ser a chita. Ou não se tratasse do Concurso de Vestidos de Chita de Anadia.

Cerca de 600 pessoas preencheram o espaço para assistir à 18ª edição.

O concurso contou, como é habitual, com dois desfiles: um de crianças com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos - categoria A, e outro para jovens de idade igual ou superior a 13 anos - categoria B.

 

Mariana Alves foi a vencedora da categoria A

O vestido vencedor da categoria A foi o da pequena Mariana Alves, com sete anos, natural da freguesia de Óis do Bairro. O segundo lugar foi para Rita Neves, com nove anos, natural da freguesia de Tamengos. O terceiro lugar foi atribuído ao vestido de Filipa Oliveira, oito anos, da freguesia de Amoreira da Gândara.

Foram 11 as concorrentes nesta categoria dedicada às mais novas.

À semelhança do que aconteceu na anterior edição, a Comunicação Social presente elegeu o Prémio Fotogenia, que na categoria A foi para Beatriz Rebelo, com 11 anos, da freguesia de Vila Nova de Monsarros.

 

Vestido de Daniela Simões vence a categoria B

Na categoria B, o júri escolheu o vestido de Daniela Simões para vencedor. Natural da Malaposta, freguesia de Arcos, com 18 anos, a vencedora desta categoria disse que este foi o quarto ano que concorreu. “Apenas tinha ganho um título de Miss Simpatia. Mas como primeira classificada, esta é a minha primeira vitória”, explicou.

Daniela Simões - estudante no 12º ano de Ciências Sociais e Humanas, na Escola Secundária de Anadia -, além de ter sido a vencedora da categoria B, foi também a eleita dos jornalistas presentes para o Prémio Fotogenia, o que a levou a afirmar que ganhar dois prémios numa só noite “teve um significado muito especial”.

Veronique Ferreira, 20 anos, do Pereiro (freguesia da Moita) ficou em segundo lugar, num total de 12 concorrentes. A terceira classificada foi Miriam Santos, 24 anos, natural da Póvoa do Pereiro (Moita).

 

Prémio Costureira

O Prémio Costureira, da responsabilidade do júri do concurso, foi entregue a Maria Antonieta Oliveira, que costurou o vestido de Daniela Simões, vencedora da categoria B.

“Demorei uma semana, de intenso trabalho, a fazer o vestido da Daniela, que foi idealizado pelas duas. Certos pormenores fomos vendo com o acabamento”, explicou a costureira, natural de Vale de Avim (freguesia da Moita).

Maria Oliveira disse ao Quiosque das Letras que concorre há cinco anos, mas “sempre com uma menina da categoria A, que chegou a ficar em segundo e terceiro lugar. Este ano foi diferente. Foi a primeira vitória”, disse a também costureira da escola de samba da Mealhada “Juventude de Paquetá”.

Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, lembrou que de ano para ano há “uma crescente dinâmica e melhoria tanto na participação de candidatas, que ultrapassa já o concelho de Anadia, como na apresentação, rigor e criatividade dos vestidos que por aqui desfilaram”.

Esta edição contou com a colaboração do Centro de Apoio Social de Vila Nova de Monsarros.

 

publicado por quiosquedasletras às 07:45

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Receba o Quiosque

Insira o seu endereço de e-mail:

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Miguel Frasquilho veio à ...

Curia Tecnoparque recebe ...

Miguel Frasquilho em Anad...

CADES leva 15 crianças ao...

Paulo Rangel em Anadia pa...

Incubadora da WRC complet...

Desilusão do PS Anadia co...

Jorge e Teresa Dias vence...

Universidade de Verão Lus...

Vestidos de Chita voltam ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Rostos SAPO Local

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds