Sexta-feira, 6 de Novembro de 2009

“IV Encontros de São Gonçalinho” realizam-se no dia 14 no edifício da Antiga Capitania

Tema principal vai ser “São Gonçalinho na Arte de Aveiro”

Vão realizar-se os “IV Encontros de São Gonçalinho”, no próximo dia 14 de Novembro, das 14.30 às 16.30 horas, no edifício da Antiga Capitania.

O município de Aveiro e a Mordomia de São Gonçalinho promovem a quarta edição dos “Encontros de São Gonçalinho”, no dia 14 de Novembro, às 14.30 horas, no edifício da Antiga Capitania, cujo tema principal será “São Gonçalinho na Arte de Aveiro”, continuando a descoberta da festa de São Gonçalinho.

A acção destina-se a todos os aveirenses e devotos de São Gonçalinho. A participação é gratuita e não necessita de inscrição prévia.

A abertura do encontro será efectuada por representantes da Câmara Municipal de Aveiro e da Mordomia de São Gonçalinho, pels 14.30 horas. De seguida, Nuno Gonçalo da Paula apresentará “O Culto de São Gonçalo em Aveiro”. José António Cristo fará uma intervenção com o tema “São Gonçalinho na Arte de Aveiro”. Gaspar Albino, Helder Bandarra e Jeremias Bandarra exporão, em conjunto, “São Gonçalinho, vivências na pintura”. Os ceramistas Zé Augusto e Alberta vão falar sobre “São Gonçalinho, vivências na cerâmica”.

Pelas 16.30 horas, far-se-á o encerramento com a actuação do Grupo de Cantares da Ria de Aveiro.

No domingo mais próximo do dia 10 de Janeiro, realiza-se a Festa de São Gonçalinho, sendo as festividades marcadas pelo pagamento das promessas ao Santo, agradecendo o seu poder de cura em doenças ósseas e a sua capacidade de resolver problemas conjugais e amorosos, atirando-se quilos de cavacas doces da cúpula da capela para o público.

As gentes do bairro da Beira-Mar, particularmente devotas a São Gonçalinho, como o carinhoso diminutivo indica, velam pelas tradições associadas às festividades e que vão bastante além do pagamento das promessas.

Outros rituais da festa, de crescente relevo municipal, realizam-se dentro da própria capela: a entrega do ramo e a Dança dos Mancos, expressando uma convivência entre o milagre e o Sagrado, com o interdito e o Profano.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:57

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

Milagre de Urgueira já no próximo domingo

Festival-Romaria repete-se na freguesia de Macieira de Alcôba, Águeda

O Festival-Romaria “Milagre d’Urgueira” repete-se no próximo dia 23 de Agosto, domingo, na pequena aldeia da Urgueira, em Macieira de Alcôba, Águeda.

Cumprindo um ritual secular, um homem vai entrar no forno comunitário da aldeia da Urgueira, para aí depositar a chamada “broa do milagre”, com 100 quilos de peso. Este “milagre” é recriado todos os anos pela Associação Etnográfica “Os Serranos”, que há mais de uma década organizam o Festival-Romaria “Milagre d’Urgueira”.

A reconstituição desta romaria tradicional, transformando-a num festival de folclore com aspectos tão peculiares como os que lhe deram origem secular, tem sido um desafio para a Associação Etnográfica “Os Serranos”. A reconstrução do forno e a repetição dos seus rituais constitui apenas um dos múltiplos aspectos que atraem interesse e atenção, pelos milhares de visitantes que todos os anos rumam a este local.

O espaço da romaria, onde será feita a reconstituição, ocorre entre a ermida à Srª da Guia e o forno comunitário, separados por cerca de 150 metros, onde se distribuem as três eiras para as apresentações de folclore.

São seis os grupos de folclore que passarão por cada uma das eiras (15 minutos em cada), sabendo que não existe palco ou aparelhagens sonoras, mas uma multidão de pessoas entusiásticas e ávidas por também participar numa ou noutra dança que sejam convidadas.

Este festival é peculiar, pois é motivo para milhares de romeiros se deslocarem ao pequeno lugar da Urgueira, que conta com apenas 12 habitantes.

 

Festival-Romaria “Milagre d’Urgueira”

Este festival consiste na reconstituição tradicional da romaria a Nª Srª da Guia e realiza-se na Urgueira, na freguesia de Macieira de Alcôba, concelho de Águeda, num local situado a cerca de 750 metros de altitude, na serra do Caramulo, a cerca de 25 quilómetros de Águeda, onde se preserva uma grande intensidade de vida comunitária.

O objectivo e o enquadramento peculiar desta reconstituição de romaria, transformada em festival de folclore nativo, vivenciado como nas suas origens, levam a uma experiência muito interessante para as memórias pessoais dos elementos que nele participam, além de proporcionar a projecção do pequeno lugar da Urgueira, criando motivações adicionais para o pequeno “milagre” da sua preservação e da continuidade do movimento de recuperação das velhas casas tradicionais.

 

O forno e o milagre

O forno vai voltar a ficar quente, queimando lenha serrana durante três dias e duas noites. Chega assim a domingo em condições de responder à equipa de padeiros e padeiras chefiadas por António Costa, que nos outros dias produz a mais afamada broa de milho que se fabrica na serra, em Paranho de Arca, e alimenta uma vasta região de vários concelhos.

Coze quatro ou cinco fornadas, traduzidas em várias centenas de broas e o pão especial do “milagre”, com cerca de 100 quilos, metido e tirado pelo homem que, pelas duas vezes, entra e dá a volta ao forno com a flor apertada na boca.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:27

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

“A maior cavaca de São Gonçalinho” em Aveiro

Cavaca doce gigante pesa mais de 10 kg

“A maior cavaca de São Gonçalinho” foi apresentada no dia 12, na Capela de São Gonçalinho, em Aveiro. Em romagem, mordomos de São Gonçalinho e crianças do Centro Social Paroquial da Vera Cruz (CSPVC), acompanhados pela Fanfarra da CERCIAG, trouxeram da confeitaria Silvina da Silva Raimundo, Lda (local onde foi confeccionada), até à Capela de São Gonçalinho, uma cavaca doce gigante, com 10,140 kg.

Medida por laser no local - com a colaboração do Departamento de Física da Universidade de Aveiro -, a cavaca tem como medidas oficiais 1,904 metros de comprimento e 0,45 metros de largura.

Benzida e entregue simbolicamente pelas crianças do CSPVC à Mordomia de São Gonçalinho 2009, foi apresentada à comunidade e depois “lançada”, em oferta, a todos os presentes (depois de atestadas, em colaboração com o Centro de Saúde de Aveiro, Autoridade para a Saúde Pública, as condições necessárias ao seu consumo).

Este evento contou com a presença do Governador Civil de Aveiro, Filipe Neto Brandão, do presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Élio Maia e do presidente da Associação Comercial de Aveiro, Jorge Silva, enquanto testemunhas para o “Guinness World of Records”.

Esta actividade marca o arranque do projecto ajud’ARTE, um projecto de angariação de fundos do CSPVC e que conta com Zé Pedro, dos Xutos e Pontapés, como padrinho oficial.

Este projecto tem como objectivo central a angariação de cerca de 300 mil euros, verba necessária à comparticipação da construção da creche da Vera e do Cruz, co-financiada pelo Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES).

Desde a primeira hora com o apoio da Quinta Pedagógica de Aveiro, o ajud’ARTE espera poder contar com a participação do tecido empresarial e de toda a comunidade.

Além de Zé Pedro, o ajud’ARTE conta ainda com o apoio de nomes como Manuel Alegre, Hélio Loureiro, Miguel Chen, José Agualusa, Claudia Stattmiller, Rui Bela, Ana Lia, Fernando Silveira e Joel Reigota, bem como de artistas do Aveiroarte. A estes nomes, cabeças de cartaz, juntam-se muitos outros que aceitaram contribuir para a construção deste equipamento social para Aveiro.

A decorrer durante o ano de 2009, as actividades a desenvolver são muitas e centram-se em eixos tão variados como a pintura, a escultura, a leitura e a escrita, a arte circense e arte de rua, o estilismo, a azulejaria e a cerâmica, a música, a dança, o teatro, a arte zen, a magia, a culinária, a arte da noite, a fotografia…

Assim, este projecto assume a dupla função de angariar fundos, numa lógica de oferta à comunidade, e de promover as artes e a cultura.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:04

link do post | comentar | favorito
Sábado, 27 de Dezembro de 2008

Até dia 6 de Janeiro

Mais de 33 mil lâmpadas iluminam vivenda e jardim em Chipar de Cima (Vilarinho do Bairro, Anadia)

A casa de Armando Ferreira, no lugar de Chipar de Cima, freguesia de Vilarinho do Bairro, Anadia, é durante o mês de Dezembro um dos ex-líbris da região, visitado por pequenos e graúdos, de toda a região e fora dela. O motivo é único: mais de 33 mil lâmpadas são colocadas pelo emigrante em torno da vivenda e pelo jardim, tradição que cumpre, quase religiosamente, de dois em dois anos.

“É a quinta vez que o faço aqui em Chipar de Cima. Sou emigrante nos Estados Unidos da América (EUA), no Estado de Nova Iorque e foi lá que ganhei este gosto, porque era muito gratificante ver a alegria dos meus filhos quando colocava as iluminações de Natal”, recorda.

Para levar a cabo esta “missão natalícia” - que acontece de dois em dois anos porque um Natal é passado em Anadia, outro nos EUA - Armando Ferreira põe mãos à obra no início de Outubro. Diz ser necessária muita paciência, porque todos os cabos têm de ser experimentados antes de serem colocados, para verificar se há lâmpadas fundidas.

“Tenho brio nisto. E se é necessário reparar cabos tem de se fazer, passando cabo por cabo, para todas as lâmpadas ficarem acesas. Posto isto é pelo telhado que começo”, explica, com entusiasmo.

Após os fios estarem todos espalhados, Armando Ferreira, 65 anos, começa a fazer as ligações. “São mais de 33 mil lâmpadas e mais de 300 metros de fio de distribuição para as luzes”, afirma, satisfeito. As luzes das janelas, portas e da árvore de Natal (um lindo azevinho) são de cor. As restantes são brancas.

 

Iluminação até dia 6 de Janeiro

Este ano cumpre-se o feito. E no passado dia 6 a casa e o jardim, situados em frente ao Lago de Santa Marinha, iluminaram-se pela primeira vez. Entre as 18 e as 24 horas é possível contemplar a iluminação de Armando Ferreira, até dia 6 de Janeiro. As suas luzes são já consideradas uma atracção nas redondezas e não só, chegando a fazer deslocar excursões de diversos pontos do país, como foi o caso de Portimão, há dois anos.

Armando Ferreira conta que os carros chegam como se de uma romaria se tratasse. E da varanda, o emigrante espreita para os carros que estão estacionados junto ao lago, vendo-se apenas os flashes das máquinas fotográficas a disparar.

Além da sua casa, em Chipar de Cima, também em Aguada de Cima (Águeda) há uma casa com iluminação de Natal peculiar.

Este ano o presépio de Armando Ferreira ocupa outro lugar, estando no topo da escadaria, com um Pai Natal ao lado, que dá as boas-vindas. O emigrante apela a que quem vier e apanhar o portão fechado “toque à campainha para entrar e verem de perto. Delicio-me ao ver as crianças felizes com as renas do jardim ou com o insuflável e também com o Pai Natal, que canta e dança”.

 

Solidariedade não é esquecida

Armando Ferreira nunca fez contas à electricidade que gasta quando ilumina a sua casa durante o mês de Dezembro. Mas já houve quem quisesse deixar donativos. O facto de não aceitar levou-o a realizar uma campanha de angariação de fundos, que começou há dois anos e continua agora, revertendo para a “Obra do Frei Gil”, na Praia de Mira, para crianças carenciadas. “O ano passado enchemos a caixinha. No total foram arrecadados 629 euros”, diz o emigrante, que espera somar este ano, pelo menos, a mesma quantia. (Foto: Davide Silva)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:22

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008

Pais acompanham crianças ao Europarque

Colégio da Curia assiste ao espectáculo “Zig-Zag”

Dando cumprimento ao tema do projecto pedagógico deste ano lectivo – o Teatro – o Colégio da Curia, situado na Curia, freguesia de Tamengos, Anadia, voltou a marcar presença num espectáculo talhado para os mais pequeninos. Assim, desta vez coube aos pais da creche acompanhar os seus educandos ao Europarque, em Santa Maria da Feira, para assistirem ao espectáculo “Zig-Zag” ao vivo.

Com um programa que contou com a presença física de heróis como o Carteiro Paulo, o Noddy, o Orelhas e outros, não faltaram ingredientes para encantar as crianças e os seus pais. Claro que para os pais o encantamento maior ocorreu ao testemunharem a felicidade dos seus pequeninos. São momentos que jamais se apagarão da memória das crianças.

Para a directora do Colégio, Maria Vicetro, é uma alegria e um privilégio contribuir para a formação destas crianças, que são, eles sim, os verdadeiros super-heróis: “Há uma química qualquer que se contagia entre todos nós e sempre que um pai sabe de algo que valha a pena lá está ele a sugerir uma actividade que acredita poder ajudar no processo de educação dos seus filhos. Esta iniciativa surgiu da mãe da Matilde, mas que nos motivou para mais uma ‘romaria’, desde a Curia até Santa Maria da Feira”.

Ainda em Novembro o Colégio da Curia levou mais de uma centena de pessoas (dois autocarros cheios), entre crianças, pais, educadores e amigos a assistir ao espectáculo de Filipe La Féria “Alice no País das Maravilhas”, no Teatro Rivoli, no Porto. Foi sem sombra de dúvidas um êxito, pela camaradagem, pelo convívio e também, claro está, pela qualidade que este musical para crianças mostrou. Faltava agora um espectáculo mais vocacionado para a faixa etária da creche. O “Zig-Zag” ao vivo foi ao encontro deste objectivo.

Louvável continua a ser a resposta que os pais deste Colégio dão a estas iniciativas, que os mobilizam aos sábados e aos domingos. Eles sabem que também fazem parte da escola dos seus filhos. A sua presença é insubstituível. Devia ser assim em todas as escolas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:50

link do post | comentar | favorito
Sábado, 15 de Novembro de 2008

Hoje, no edifício da antiga Capitania

“III Encontro de São Gonçalinho”

Realiza-se hoje, dia 15 de Novembro, o “III Encontro de São Gonçalinho”, das 14.30 às 17.30 horas, no edifício da antiga Capitania.

Integrado no projecto “São Gonçalinho: Aveiro em Festa 2008 - 2009”, a Câmara Municipal de Aveiro organiza hoje o “III Encontro de São Gonçalinho”, onde vão ser aflorados diversos temas relacionados com este santo.

Uma das acções do projecto é a terceira edição do “Encontro de São Gonçalinho”, que se direcciona a todos os aveirenses e a todos os devotos de São Gonçalinho. A participação é gratuita e não precisa de inscrição prévia.

A abertura do encontro será efectuada por representantes da Câmara Municipal de Aveiro, Universidade de Aveiro e pelo Juiz da Mordomia de São Gonçalinho, às 14.30 horas. De seguida, Adriano Duarte Rodrigues, da Universidade Nova de Lisboa, apresentará “São Gonçalinho: Narrativas, Histórias, Lendas, Mitos e Orações”. Da Universidade de Aveiro, através de Conceição Lopes, vai chegar a intervenção “São Gonçalinho e a Sexualidade”. O tema “São Gonçalinho e a Religiosidade Popular” será abordado por Moisés Espírito Santo, da Universidade Nova de Lisboa. Às 16 horas vão ser dadas a conhecer algumas “Vivências em São Gonçalinho”, através de testemunhos da gente da Beira-Mar e de devotos de São Gonçalinho.

Após o intervalo, o encontro continua com a intervenção de Conceição Lopes, da Universidade de Aveiro, subordinada ao tema “São Gonçalinho: Rituais e Liturgias”. O encerramento contará com o Bispo de Aveiro, D. António Francisco Santos, representantes da Câmara Municipal de Aveiro e da Universidade de Aveiro e Juiz da Mordomia de São Gonçalinho. No fim, será apresentada uma performance artística - “Dança dos Mancos” -, pela Companhia de Dança de Aveiro.

 

Projecto “São Gonçalinho: Aveiro em Festa 2008 - 2009”

Através do projecto “São Gonçalinho: Aveiro em Festa 2008 - 2009”, a autarquia pretende afirmar a singularidade da cultura local evidenciada na festa de São Gonçalinho, apoiar a Mordomia de São Gonçalinho na organização e dinamização da festa e desenvolver e aprofundar a investigação sobre a Festa de São Gonçalinho.

Reforçar o sentimento de pertença identitária dos munícipes de Aveiro; dinamizar a participação activa dos munícipes na festa de São Gonçalinho; promover e divulgar a Festa de São Gonçalinho de Aveiro; organizar eventos e actividades lúdico-didácticas em torno da festa; accionar a assinatura de uma Carta de Princípios que estabeleça os fundamentos da organização e promoção da Festa de São Gonçalinho de Aveiro e encetar esforços no sentido da classificação como património intangível de interesse municipal da Festa de São Gonçalinho de Aveiro, ao abrigo da Lei n.º 107/2001, são os objectivos do projecto.

Através destas acções, a organização espera envolver a população nas festas de São Gonçalinho, que se realizam anualmente no fim-de-semana mais próximo do dia 10 de Janeiro. As festividades são marcadas pelo pagamento de promessas ao santo, agradecendo o seu poder de cura de doenças ósseas e a sua capacidade de resolver problemas conjugais e amorosos, atirando-se quilos de cavacas doces da cúpula da capela para o público.

As gentes do bairro da Beira-Mar, particularmente devotas a São Gonçalinho, como o carinhoso diminutivo indica, velam pelas tradições associadas às festividades e que vão bastante além do pagamento das promessas. Outros rituais da festa realizam-se dentro da própria capela: a entrega do ramo e a “Dança dos Mancos”, expressando uma convivência entre o milagre e o sagrado, com o interdito e o profano.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:48

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

Dias 13 e 14 de Setembro rumo à segunda internacionalização

Coro Misto da Cruz Vermelha Portuguesa de Águeda em Espanha

Nos próximos dias 13 e 14 de Setembro, o Coro Misto da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) de Águeda fará a segunda internacionalização, deslocando-se a Rianxo (Galiza - Espanha), para participar no Certame Internacional de Habaneras, a convite do Coral do Liceo Marítimo Rianxeiro, e integrado nas famosas festas da Virgem de Guadalupe, que atraem milhares de forasteiros de toda a Espanha.

O certame terá lugar no dia 13 (sábado), pelas 21 horas locais, na Igreja Paroquial de Santa Comba, com a participação da Coral Polifónica Padronesa (Padrón) e do Coro Misto da CVP de Águeda, para além do coro anfitrião.

Para este evento, o Coro da CVP encontra-se a preparar repertório específico, cuja temática assenta num estilo musical muito próprio da Galiza: Habanera.

Esta forma musical não é mais do que uma dança que os cubanos criaram em Havana (daí o termo Habanera) e trouxeram para os grandes salões europeus no século XVII. Na Europa, sofre alterações na sua estrutura inicial, e volta novamente para as Américas pelos imigrantes portugueses e espanhóis.

Para além de Habaneras, o Coro da Cruz Vermelha apresentará também duas obras de carácter livre: “Barco Negro”, com arranjo de Augusto Mesquita, e “Foi Deus”, com arranjo do aguedense Capitão Amílcar Morais.

 

Coro Misto da CVP tem 50 coralistas

O Coro Misto da CVP de Águeda é actualmente composto por 50 coralistas, de ambos os sexos, com enorme experiência no domínio coral, sob a direcção artística do maestro professor Sérgio Brito, e acarinhado desde o início pela sua Direcção, na pessoa do seu presidente, César Marques. A sua qualidade tem sido alvo de enormes elogios por parte do público e por conceituados críticos musicais do nosso país.

Trata-se de um projecto bem alicerçado, procurado por muitos, e com desejo de ingressarem nas suas fileiras. No entanto, a sua entrada é limitada e estritamente selectiva, o que é de registar, pois vem contrariar a tendência actual, que reside na dificuldade de recrutar novas vozes para os coros e o envelhecimento dos mesmos.

Espera-se que o Coro da Cruz Vermelha de Águeda prestigie o concelho de Águeda e o país, que no campo cultural tem realizado já actividade meritória, com dois anos de existência e 25 concertos, um dos quais em Viveiro (Lugo - Espanha).

Para mais informações de toda a actividade coral, consultar a página em: www.cvpagueda.com.sapo.pt.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:10

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Agosto de 2008

Freguesia de Avelãs de Caminho, Anadia

Freguesia recebe Festas de Nossa Senhora da Saúde

Avelãs de Caminho vai receber as Festas em Honra de Nossa Senhora da Saúde, nos dias 14, 15 e 16 de Agosto.

É no dia 14 que iniciam os festejos, com a chegada dos gaiteiros “Os Seca Pipas”, às 9 horas, que vão percorrer as ruas da freguesia. Pelas 20 horas realiza-se a Missa Vespertina, na Igreja Paroquial e às 22.30 horas começa o arraial, com a Banda “Pacífico”, de Coimbra.

Dia 15, sexta-feira, pelas 8 horas, Salva de 21 tiros. Às 9 horas chega a Banda Filarmónica Gafanhense, que vai correr as ruas da freguesia. E pelas 16 horas, chega a Fanfarra “Juventude da Madalena”, de Vila Nova de Gaia. Às 17 horas começa a Missa Solene, seguida de majestosa procissão, acompanhada pelas duas bandas e pela cavalaria da GNR. Às 22 horas, actuação dos “Top Som” e às 23.30 horas sobe ao palco “Rebeca” e suas bailarinas. Fogo-de-artifício à meia-noite.

No dia 16, às 9 horas, chegam “Os Seca Pipas”. Durante a tarde vão haver jogos de animação, incluindo o do Prego, Corrida do Saco e outros. Às 22 horas, actuação do Grupo Musical “2002” e às 23.30 horas, sorteio das rifas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:53

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, freguesia de Aguim

A maior romaria do concelho de Anadia: duas procissões e seis noitadas

A freguesia de Aguim, uma das 15 do concelho de Anadia, ainda está em festa. No dia 18 começaram as Festividades em Honra de Nossa Senhora do Ó, a padroeira da aldeia. Hoje, dia 23, seis dias depois de comemoração, tanto religiosa como profana - através dos tradicionais bailaricos -, a festa termina, deixando um sentimento de saudade e o peso da responsabilidade entregue à mordomia que se encarregará de organizar a próxima.

Apesar da festa ter iniciado a 18, com os gaiteiros “Seca Pipas” a percorrer as ruas da aldeia logo pela amanhã, foi no domingo, dia 20, que as festividades atingiram o seu auge, com as cerimónias religiosas.

Logo após terminar a missa, celebrada na Igreja de Aguim, enfeitada a rigor, 13 andores, cheios de flores de vários tipos, foram sendo cuidadosamente retirados do interior do templo, como acontece todos os anos, para organizar a procissão.

No chão das ruas estavam ervas verdes, alecrim e pétalas de flores, ainda frescas, que aguardavam a passagem da procissão e de Nossa Senhora do Ó. As varandas das casas mais antigas, na viela do centro da aldeia, junto à igreja, estavam enfeitadas com colchas de seda, de diversas cores e feitios, como que para saudar a santinha que estava para chegar.   

Na frente seguiam dois cavalos, imponentes, da GNR de Anadia. E logo depois as bandeiras, que antecediam cada um dos bonitos andores, banhados pelo sol que teimava manter-se quente e radiante. Nossa Senhora do Ó, no seu andor majestoso, com cerca de 200 quilogramas, lá ocupava o último lugar da marcha, o lugar mais importante e esperado. Depois vinha o padre António Torrão, pároco da freguesia, e a Banda Filarmónica dos Covões, do concelho vizinho de Cantanhede. Um mar de gente, ao compasso da música, calcorreava as ruas, fazendo crescer a procissão. Viam-se algumas mulheres caminhar descalças, ao que tudo indica cumprindo promessas feitas à padroeira da terra.

 

“D’Tacon” animaram noite de domingo

À noite foi vez das espanholas “D’Tacon” animarem a noite, com sonoridades latinas, que se prolongaram até às duas da manhã. No recinto do bailarico, montado próximo da Junta de Freguesia e da Extensão de Saúde de Aguim, não faltavam as farturas, as pipocas e o algodão doce. Também havia quem vendesse balões para os mais novos.

A segunda-feira, dia 21, não deixou de ser um dia especial, porque Nossa Senhora do Ó voltou a sair à rua, novamente em procissão. Desta vez a única diferença foi no trajecto, maior que o de domingo. E junto do andor da padroeira, lá seguiam algumas mulheres a cumprir as suas promessas.

 

Padroeira de Aguim e das grávidas

A Nossa Senhora do Ó, padroeira de Aguim e também de outras freguesias do concelho (como é o caso do lugar de Vale de Avim, na Moita), é conhecida como a santa das grávidas, porque ela própria está grávida, o que a leva a ser também conhecida como “Nossa Senhora da Expectação”, por estar na expectativa, na esperança, do filho que há-de vir. Os mais antigos escreviam Nossa Senhora do Oh, porque o “oh!” significava exclamação. A própria imagem, de grandes dimensões, tem inscritas estas letras no ventre.

 

Programa da festa para hoje

É pelas 21 horas que começa o baile que vai encerrar mais um ano de Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó de Aguim. A esta hora tem início a Noite Dançante, com música dos anos de 1960, 1970 e 1980. Cerca das 24 horas o palco fica entregue nas mãos do DJ Filipe Sanchez, residente na “Via Latina” e “Sport’s Bar” de Coimbra. Para a actuação ser perfeita, vai haver também acompanhamento multimédia, numa noite que promete ser longa.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 16:51

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

“IV Encontros de São Gonç...

Milagre de Urgueira já no...

“A maior cavaca de São Go...

Até dia 6 de Janeiro

Pais acompanham crianças ...

Hoje, no edifício da anti...

Dias 13 e 14 de Setembro ...

Freguesia de Avelãs de Ca...

Festas em Honra de Nossa ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds