Sábado, 26 de Dezembro de 2009

AHBVA comemora 76 anos com dificuldades materiais

Necessidade de um quartel novo continua a ser a preocupação número um da associação

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Anadia (AHBVA) festejou o 76º aniversário no último domingo, dia 20. A sessão solene ficou marcada pelas condecorações e promoções a alguns dos bombeiros, assim como pela lembrança às entidades presentes das dificuldades de natureza material que esta corporação de bombeiros vem atravessando.

A AHBVA entendeu atribuir o Crachá de Ouro às irmãs Maria do Carmo e Margarida, da Congregação de São Vicente de Paulo. Como a irmã Maria do Carmo, por impedimento profissional inadiável, não esteve presente, a Direcção da associação entendeu que João Dias Coimbra, comandante do Quadro de Honra dos Bombeiros Voluntários de Anadia (BVA), será o fiel depositário da medalha para entrega posterior.

Carlos Alegre, presidente da Assembleia Geral da AHBVA, abriu a cerimónia dirigindo-se aos bombeiros, “que com a sua abnegação e o seu voluntarismo deixam tudo em nome desta nobre missão e lema que os move: Vida Por Vida”.

Coube ao comandante dos BVA dar seguimento à sessão solene, sublinhando que “face às alterações legislativas somos conscientes de mais e maiores responsabilidades e não menos conhecedores de que cada vez mais as dificuldades são e serão maiores”. Contudo, Eduardo Matos está certo que essas alterações não constituem obstáculo, tendo em conta que “os BVA foram sujeitos à solução do problema e a não fazer parte dele, actuando sempre com grande competência e profissionalismo”.

 

Aumento de serviço dos BVA

O comandante falou do aumento significativo de serviço, destacando a maior incidência na área da saúde: “Uma vez que o Ministério da Saúde determinou o encerramento do Serviço de Urgência do Hospital José Luciano de Castro em Janeiro de 2008, obriga-nos a que para qualquer pedido de socorro, o mesmo seja encaminhado para os Hospitais da Universidade de Coimbra, Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro e Hospital Conde de Sucena, em Águeda”. Estas deslocações, para o comandante dos BVA, dão origem a que os recursos quer humanos quer materiais estejam cativos e indisponíveis muito mais tempo, diminuindo a operacionalidade do corpo activo “momentaneamente, o que nos preocupa”.

Também Mário Teixeira, presidente da Direcção da AHBVA, fez referência a tempos difíceis e às contrariedades, sendo contudo a vontade do corpo dos BVA “incalculável”.

 

Dificuldades materiais

O dirigente falou das dificuldades de natureza material, desde as instalações desajustadas, às viaturas que necessitam de substituição pelo muito uso e idade, aos equipamentos de protecção individual, fardamentos e outros que faltam. Mas lembrou que os subsídios concedidos pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), Câmara Municipal de Anadia e outras entidades têm solucionado algumas dessas dificuldades.

Durante a cerimónia, Mário Teixeira deu a conhecer a oferta da Comissão de Festas da Moita, de uma verba no valor de 2.651,36 euros, destinada à aquisição de equipamentos. O presidente da Direcção deixou ainda o apelo aos associados que não contribuíram, por ainda não terem sido procurados, para ajudarem com a liquidação das quotas, “cujos valores nos estão a fazer muita falta”.

 

Protocolo para uma EIP

Mário Teixeira aproveitou a ocasião para dar a conhecer o protocolo assinado entre a ANPC, a Câmara Municipal e a AHBVA - por três anos -, que a partir de Janeiro de 2010 vai contar com uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP), constituída por cinco elementos dos BVA, em alerta oito horas por dia, de segunda a sexta-feira, destinada a socorrer as populações em situações de catástrofe ou outras.

Teresa Belém, vice-presidente da Câmara de Anadia, em representação do presidente Litério Marques, disse que em 2010 a EIP contará com 50% de comparticipação da autarquia (30 mil euros), ficando a outra metade a cargo da ANPC. A autarca manifestou ainda a vontade da Câmara em vir a dar apoio na construção do novo quartel, através do QREN.

A sessão solene do 76º aniversário da AHBVA contou com promoções a bombeiros de terceira e de segunda. Foram também entregues medalhas por assiduidade grau cobre (pelos serviços prestados por cinco anos), grau prata (serviços prestados por 10 anos) e grau ouro (pelos 25 anos de serviço prestado).

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:41

link do post | comentar | favorito
Domingo, 13 de Dezembro de 2009

Câmara Municipal de Águeda formaliza protocolos para fornecimento de refeições

Autarquia atribui assim comparticipação de cerca de 115 mil euros

No passado dia 10 de Dezembro, a Câmara Municipal de Águeda assinou 16 protocolos, com diversos parceiros, para o fornecimento de refeições nos estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico.

O momento da assinatura do protocolo contou com a presença do presidente da Câmara, Gil Nadais, da vereadora da Educação, Elsa Corga e dos vários representantes das entidades envolvidas.

O autarca aguedense aproveitou o momento para agradecer a todos os presentes e às entidades que representam: “Agradeço a todos, porque estamos todos com a mesma missão: dar o melhor às nossas crianças”. Para Gil Nadais esta colaboração “é muito importante”, porque “estamos sempre a tentar ir mais longe e sempre a tentar fazer o melhor. Tudo isto só é possível com a vossa ajuda”.

Por sua vez, Elsa Corga referiu que “em várias áreas damos privilégio às parcerias e está é uma delas”. A vereadora da Educação voltou a reforçar os agradecimentos a estas entidades, referindo que “só com a vossa colaboração podemos prestar o melhor serviço às nossas crianças”.

Os parceiros nas refeições escolares são os seguintes: ABARCA, Agrupamento de Escolas de Águeda, Agrupamento de Escolas de Fermentelos, ARCOR, Associação de Serém, CASAS, Centro Social de Belazaima, Centro Social Paroquial da Borralha, Centro Social Paroquial de Recardães, Instituto Duarte Lemos, freguesia de Agadão, freguesia do Préstimo, freguesia de Valongo do Vouga, Ninho Académico, Os Pioneiros e o Patronato Nossa Senhora das Dores.

Com os presentes protocolos, a autarquia atribui a comparticipação de aproximadamente 115 mil euros para as refeições escolares.

A assinatura destes protocolos volta a reforçar o empenho da Câmara Municipal em querer as melhores soluções para a educação das crianças do concelho de Águeda.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:48

link do post | comentar | favorito
Domingo, 1 de Novembro de 2009

Acordo de geminação com Milau (França) e Mealhada celebrado no próximo ano

Datas para a assinatura ainda não estão marcadas

A Câmara Municipal da Mealhada e o Comité de Jumelage de Millau ( França) acordaram que o processo de geminação entre as duas cidades deverá ficar concluído durante o próximo ano.

As datas para assinatura do acordo ainda não estão marcadas, em definitivo. Mas, durante uma reunião, que decorreu na passada semana, na Câmara da Mealhada, ficou estabelecido que o protocolo será assinado, primeiro, na Mealhada, por ocasião da Feira de Artesanato e Gastronomia do próximo ano. E, mais tarde, na França, por ocasião de uma visita de uma delegação da Mealhada a Millau.

Uma delegação do Comité de Jumelage (Comissão para as geminações) de Millau esteve no concelho da Mealhada, para estabelecimento de contactos e exploração de possibilidades de cooperação a vários níveis: da Educação à Economia, passando pela Cultura e pelo Desporto.

Durante a reunião de trabalho na Câmara ficou, igualmente, acordado que a cidade de Millau deverá participar na Feira de Artesanato e Gastronomia da Mealhada do próximo ano, com uma mostra de produtos daquela região de França.

Os contactos entre as cidades de Millau e da Mealhada remontam a 2005 e têm-se traduzido numa série de visitas recíprocas, mas sem carácter institucional.

Esta geminação com Millau, agora anunciada para o próximo ano, será a primeira da cidade da Mealhada com uma cidade estrangeira.

No concelho da Mealhada, a vila do Luso tem um protocolo de geminação com Contrexéville (França), a freguesia da Pampilhosa está geminada com Courcoury (França) e Vacariça com Chermignac (França).

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:29

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 7 de Outubro de 2009

Urgências de Anadia regressam à última Assembleia Municipal

Após período da Ordem do Dia, deputados foram convidados a fazer balanço do mandato

O encerramento das Urgências do Hospital José Luciano de Castro de Anadia foram o tema dominante na sessão ordinária da Assembleia Municipal de Anadia do dia 30 de Setembro, a última do actual mandato, que serviu também para fazer um balanço destes quatro anos, assim como das alterações que foram processadas.

Foi João Morais, deputado da CDU, que tocou na ferida, lembrando que ao chegar ao final do mandato e de um ano de “aspirações de melhorias, chegamos à conclusão que há um compromisso que não foi cumprido”. O deputado foi mais longe, questionando Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, sobre a possibilidade do protocolo das Urgências ter sido negociado em “parceria”, reflectindo-se na construção do “Velódromo Nacional de Sangalhos ou no nó de ligação à A1”, que entretanto ainda não se concretizou.

Litério Marques começou por dizer que “a época é fértil para a imaginação e questionou João Morais sobre o porquê da população ter desmobilizado e parado com as acções de rua”. Lembrou que a ministra da Saúde, Ana Jorge, nunca reuniu condições para assinar o protocolo e que por isso mesmo nunca o assinou.

“A Consulta Aberta não passou de um engano, porque não tem a ver com o Hospital, mas sim com o Centro de Saúde de Anadia. E essa consulta vai fechar quando forem criadas as Unidades de Saúde Familiar”, advertiu o autarca.

Cardoso Leal, líder de bancada do PS, não gostou de algumas das palavras usadas por Litério Marques e lembrou que o Hospital “afinal até tem ganho consultas de especialidade e a Consulta Aberta tem funcionado em termos do agrado geral da população”, dizendo ao autarca que “alarmar nesta altura não fica bem”.

Prontamente, Litério disse não esperar outra coisa do deputado socialista, “por estarmos em período de campanha eleitoral. Quero também dizer que as consultas de especialidade não são para os anadienses. Só é cego quem não quer ver. Fomos penalizadios pelo PS nas Urgências. Interessa manter a Consulta Aberta no Hospital apenas para dizer que está aberto”.

 

Balanço do mandato

Depois do período de Ordem do Dia, cada líder de bancada foi convidado a fazer o balanço/avaliação do fim da legislatura.

António Cavadas, deputado independente, disse que este foi um “mandato francamente positivo”. Felicitou José Manuel Ribeiro, presidente da Assembleia Municipal de Anadia, “pela maneira subtil como dirigiu os trabalhos da mesa”.

João Morais reconheceu ter sido duro com algumas forças políticas, mas foi o “meu sentido de consciência”. O deputado da CDU enalteceu o trabalho de José Ribeiro, pela forma “corajosa como conduziu os trabalhos”. Também Cardoso Leal, que teve aqui a sua primeira experiência de política autárquica, admitiu ter servido para “muito aprender”, dizendo que José Ribeiro foi “exemplar” na condução dos trabalhos.

Do PSD foi José Veloso que falou, dando os parabéns a José Ribeiro pela forma “magistral como liderou as sessões”. Litério Marques disse que a democracia em Anadia funcionou, deixando um agradecimento a todos.

Por último, José Ribeiro disse sentir a “satisfação de dever cumprido e com a consciência tranquila”, referindo algumas alterações que ocorreram neste mandato: novo regimento; criação da Conferência dos Representantes dos Grupos Municipais, que reuniu mais de 30 vezes; delegações da Assembleia Municipal que se deslocaram às escolas para os Colóquios do 25 de Abril; alteração da distribuição dos tempos e organização de intervenções; clarificação das várias formas do uso da palavra; alteração da hora das sessões, que teve como objectivo possibilitar aos cidadãos uma participação mais activa; em relação às actas, prescindiu-se da sua leitura no início das sessões, informatização e transcrição de intervenções.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:48

link do post | comentar | favorito
Sábado, 3 de Outubro de 2009

Biblioteca Municipal de Águeda recebe “Biblioteca Jurídica Dr. Fernando de Oliveira”

Espólio é constituído por cerca de 3800 tomos

A Biblioteca Municipal Manuel Alegre possui, desde o passado dia 19 de Setembro, o espólio bibliográfico e arquivístico do advogado aguedense Fernando de Oliveira.

A doação foi formalizada através da assinatura do protocolo entre os herdeiros de Fernando de Oliveira - Luís Moura de Oliveira e Maria Margarida Moura de Oliveira Themudo Barata - e o presidente da Câmara Municipal de Águeda, Gil Nadais. A ocasião contou também com a presença da vereadora da Cultura, Elsa Corga.

Os dois herdeiros do advogado doaram o seu espólio bibliográfico e arquivístico à Câmara Municipal de Águeda, para a formação de uma biblioteca jurídica.

Segundo Luís Moura de Oliveira, o fundo documental desta biblioteca jurídica “é o espelho de uma actividade profissional de mais de 50 anos”, sendo que “este espólio acompanha o desenvolvimento das ciências ligadas à advocacia, que ele fazia questão em manter actualizada”.

O espólio é constituído por cerca de 3800 tomos, acrescidos de ficheiros temáticos de advocacia e dossiers, número que inclui livros e revistas, apontamentos, dossiers e notas de interesse jurídico, escritas e/ou organizadas por Fernando de Oliveira. No total são cerca de 85 metros lineares de estante. O espólio não contém processos de clientes relacionados com a actividade de advogado do falecido.

A Câmara Municipal designou um espaço de acesso público no Piso 2 (Secção dos Adultos) da Biblioteca Municipal Manuel Alegre como “Biblioteca Jurídica Dr. Fernando de Oliveira”, onde estarão incorporadas e ficarão disponíveis todas as obras, segundo os bons critérios e práticas da actividade de biblioteconomia, ao público jurídico.

Para a Câmara Municipal de Águeda é uma honra receber um fundo especializado em Ciências Jurídicas e, desta forma, contribuir com a criação de espaços capazes de informar e dar formação aos munícipes.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:28

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Parque de estacionamento junto ao Rio Águeda

Terreno foi cedido gratuitamente à autarquia

A Câmara Municipal de Águeda procedeu à demolição de mais um prédio devoluto, situado no centro da cidade, na freguesia de Recardães, junto ao Rio Águeda, local onde vai nascer um parque de estacionamento público.

O acordo foi alcançado através da assinatura de um protocolo entre a Câmara Municipal, na pessoa do presidente da Câmara, Gil Nadais, e a imobiliária Peclar, representada pelo gerente, Pedro Cruz.

O terreno foi cedido gratuitamente à autarquia e destina-se à instalação de um parque de estacionamento público. Para tal, a Câmara já procedeu à demolição dos muros em ruína, assim como já efectuou a limpeza do terreno.

De realçar a boa colaboração do proprietário do terreno, pois com a cedência daquele espaço vai ser possível disponibilizar mais estacionamento aos comerciantes e a todos os cidadãos que se desloquem até àquela zona da cidade.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:00

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 1 de Setembro de 2009

Primeira reunião da Requalificação da Linha do Vale do Vouga já aconteceu

Edifício do Paços do Concelho de Aveiro recebe encontro

Realizou-se a primeira reunião da equipa de trabalho para a Requalificação da Linha do Vale do Vouga, na passada sexta-feira, dia 28 de Agosto, no edifício dos Paços do Concelho em Aveiro, onde estiveram presentes os representantes dos municípios de Aveiro e de Águeda, da Refer e da CP.

A reunião contou com o vereador do pelouro da Mobilidade da Câmara Municipal de Aveiro, Miguel Capão Filipe; com a coordenadora do Gabinete de Mobilidade desta autarquia, Arminda Soares; o vereador do pelouro da Mobilidade da Câmara Municipal de Águeda, Jorge Almeida; a técnica de Mobilidade do município de Águeda, Joana Pires; a representante da REFER, Ana Seara e o representante da CP, Carlos Mendes.

No fórum comemorativo do centenário da Linha do Vouga - desenvolvido pela autarquia aveirense -, a REFER, a CP e a Câmara Municipal de Águeda manifestaram a sua vontade e disponibilidade institucional para, numa primeira fase, iniciar o estudo da procura e, numa segunda, o projecto técnico para a requalificação tanto da Linha do Vale do Vouga, como das estações e apeadeiros, incluindo novo material circulante com a finalidade de implementar um sistema do tipo “comboio frequente”.

Neste sentido, depois da Câmara Municipal de Aveiro, em sede de reunião camarária no passado dia 16 de Junho, ter deliberado encetar as diligências necessárias para a projecção dessa importante medida de desenvolvimento regional e de mobilidade sustentável que assenta na reabilitação e recuperação da Linha do Vale do Vouga, realizou-se em Aveiro, a 28 de Agosto, a primeira reunião da equipa de trabalho, promovida pelo município de Aveiro, perspectivando a viabilidade de uma candidatura conjunta ao QREN após assinatura de protocolo de intenções.

Neste encontro foram delineadas três fases metodológicas para a análise da viabilidade da Linha do Vale do Vouga: fase 1 - “Elaboração de um Estudo de Procura para a Viabilidade de um novo serviço de passageiros” (que decorrerá até ao final do ano de 2009), em que será remetida à REFER toda a informação que as Câmara Municipais de Aveiro e Águeda tenham disponível para que a Ferbritas elabore um primeiro relatório com a caracterização e identificação do potencial da Procura; a fase 2 contemplará a “Análise de vários Cenários de Exploração”; e a fase 3 incidirá sobre o “Modelo de Negócio e a criação de parcerias”.

A próxima reunião desta equipa de trabalho decorrerá no próximo dia 18 de Setembro de 2009.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:10

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 3 de Julho de 2009

III Cruzeiro Internacional Arcachon - Galiza - Aveiro

Largada da regata acontece hoje em Arcachon

Vai realizar-se o III Cruzeiro Internacional Arcachon - Galiza - Aveiro, com partida da regata hoje, dia 3, de Arcachon e o regresso a Aveiro dia 12 de Julho.

Em parceria com a AVELA e a Região de Turismo do Centro, a Câmara Municipal de Aveiro organiza o III Cruzeiro Internacional Arcachon - Galiza - Aveiro, de 3 a 12 de Julho. O vereador do pelouro do Desporto, Gonçalo Caetano Alves, vai representar o município de Aveiro no momento da largada da regata, em Arcachon, que acontecerá hoje, pelas 15 horas. Ontem (dia 2), os elementos da comitiva do município de Aveiro foram recebidos a convite do presidente da Câmara Municipal de Arcachon, Yves Foulon, nos Paços do Concelho da edilidade francesa.

O ano em curso reveste-se de grande simbolismo para a amizade que une os municípios de Aveiro e Arcachon (França), uma vez que se comemora o 20º aniversário da assinatura do Protocolo de Geminação que subscreveram em 1989.

No âmbito dos objectivos comuns de conhecimento e cooperação mútuos de intercâmbio social e cultural e de estreitamento de laços entre comunidades, muitos foram os contactos e iniciativas desenvolvidas ao longo destas duas décadas de geminação, não só entre os respectivos municípios, a nível institucional, mas pelas diversas entidades que integram a comunidade.

Assim, destacam-se os intercâmbios promovidos com as Corporações de Bombeiros Aveirenses, o Rotary Club de Aveiro, o Lions Santa Joana e a AVELA, cujas actividades são reveladoras do espírito de interculturalidade e abertura presentes na sociedade aveirense.

Confirmando que a união das cidades de Aveiro e de Arcachon não se esgotou nas primeiras relações estabelecidas, mas perpetuou-se ao longo dos anos, Aveiro acolhe orgulhosamente o III Cruzeiro Internacional Arcachon - Galiza - Aveiro, que se inicia em Arcachon, hoje, e chega a Aveiro a 12 de Julho.

 

Realização de cruzeiro é marco histórico

A realização deste cruzeiro é um marco histórico na aproximação destas cidades, com características comuns e interesses partilhados, que além de recordar e homenagear a história da união de duas comunidades distantes, reforça os laços de amizade existentes, criando novos projectos de interacção.

A segunda etapa da regata tem uma paragem técnica em Baiona, Galiza e a terceira etapa e chegada a Aveiro está prevista para o dia 11 de Julho, sábado, a partir da madrugada. No entanto, durante todo o dia é possível assistir à chegada dos veleiros e visitá-los.

Os veleiros e a recepção aos velejadores vão decorrer em frente às instalações da AVELA, próximo da marinha da Troncalhada. Vai haver muita animação, barraquinhas e esplanadas. Haverá também a oportunidade para conhecer os veleiros participantes da regata por dentro. No dia 12 de Julho, as entidades oficiais e velejadores vão ser recebidos oficialmente no Welcome Center de Aveiro. A entrega de prémios está prevista para as 15 horas, no grande auditório do CCCA.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:07

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 15 de Junho de 2009

Protocolo assinado para a regeneração da cidade de Águeda

João Ferrão preside à cerimónia de assinatura

O secretário de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, João Ferrão, deslocou-se a Águeda, no passado dia 8, para presidir à cerimónia de assinatura do protocolo das parcerias para a Regeneração Urbana do Programa “Mais Centro” - Programa Operacional Regional do Centro entre a Câmara Municipal de Águeda e a Comissão Directiva do referido programa.

Os projectos que foram aprovados e que se vão desenvolver são de diferentes vertentes, passando pela cultura, desporto e tecnologia. Segundo Gil Nadais, presidente da Câmara Municipal de Águeda, estas parcerias “podem ser a viragem da baixa e da imagem da cidade”. As obras “vão dar uma qualidade de vida muito superior à baixa e a todos aqueles que lá vivem, sem esquecer os que nos visitam”.

O líder da autarquia disse querer “uma cidade mais amiga das pessoas”. Gil Nadais explicou que este projecto “é integrado, porque concretiza uma visão de cidade para todos”, acrescentando: “Queremos que as pessoas tenham uma qualidade de vida melhor, onde possam trabalhar, aprender, divertir-se e usufruir de um espaço urbano com qualidade”, finalizou.

O presidente da Comissão Directiva do Programa “Mais Centro” explicou sucintamente em que consistiam os projectos, quais os apoios alcançados, entre outras questões de relevo. Alfredo Marques deu os parabéns ao presidente da Câmara Municipal e a todos os parceiros pela iniciativa, afirmando que agora só resta “pôr mãos à obra”.

 

Reconhecido mérito das candidaturas

O secretário de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades saudou o “excelente trabalho feito pela Câmara e pelos parceiros, porque trabalharam em conjunto para apresentar esta candidatura que saiu vencedora”. Salientando o facto de terem estado em causa dezenas de candidaturas, e só seis é que ganharam, se assim foi “foram vencedoras pelo mérito”. João Ferrão sublinhou “o entusiasmo e a alegria pelo facto do presidente da Câmara, quando vai a Lisboa, defender os interesses do município, apresentar ideias, projectos, mostrar o seu dinamismo em função daquilo que são os interesses essenciais deste concelho”.  

O representante do Governo agradeceu referindo que “o melhor que pode acontecer a qualquer Governo é ver surgir, no terreno, os projectos que concretiza”. As parcerias nem sempre foram bem aceites, “chegando a haver vozes cépticas em relação à capacidade de, a nível local, se organizarem parcerias, para se apresentar um programa comum”, salientado que “mais uma vez a prática veio dar-nos razão”. “Águeda é um exemplo interessante, porque mostra em várias áreas, a nível local, regional e internacional, que é possível obter sucesso”.

João Ferrão frisou que, no caso de Águeda, ficou “agradado com os projectos, pois olham para a cidade com uma óptica inter-geracional”, onde reconheceu que “hoje os centros das cidades estão envelhecidos, mas as pessoas idosas têm os mesmos direitos que os jovens. Uma cidade saudável precisa de todos”.

Na sua intervenção, o secretário de Estado reconheceu que “este tipo de intervenções são complexas”, acrescentando que “trabalhar em parceria não é fácil”. No entanto, “temos de estar conscientes que na sociedade actual não podemos deixar de trabalhar em parceria, não podemos deixar de trabalhar em rede”.

 

Programa de Acção de Águeda: A Indústria e a Cidade ao Serviço da Inovação e do Empreendedorismo

O programa proposto pelo município de Águeda tem por objectivo intervir na zona central da cidade, onde se localizam os principais equipamentos e espaços públicos e, consequentemente, onde se regista a maior dinâmica sócio-económica. Trata-se de um área de excelência urbana constituída pelas zonas central e antiga da cidade e ainda pela frente ribeirinha. Este plano de acção envolve a Câmara Municipal e outros actores públicos e privados.

 

Projectos:

- Associação Comercial de Águeda (ACOAG) – Programa de Marketing para o tecido comercial do Centro, com um custo total elegível de €100.000,00, obteve como fundo €70.000,00;

- Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (Universidade de Aveiro) – Projecto Integrado da ESTGA, com custo elegível de €264.000,00, obteve como fundo €184.800,00;

- d’Orfeu - Associação Cultural – Incubadora Cultural de Águeda e MARCA, com um custo total de €1.350.000,00, que obteve como fundo €945.000,00;

- Orfeão de Águeda – Teatro de Bolso, com um custo total de €211.250,00, que obteve como fundo €147,875,00;

- Santa Casa da Misericórdia de Águeda – Espaço Sénior, com um custo total de €960.371,63, com um financiamento de €672,260,14;

- Fábrica da Igreja da Paróquia de Águeda – CEFAS, com custo total de €269.982,00, com financiamento €188.987,40;

- Ginásio Clube de Águeda (GICA) – Espaço Multifunções de Águeda, com um total de €1.750.000,00, com um financiamento de €1.225.000,00.

 

Intervenção da Câmara Municipal

A intervenção da autarquia passa pelos espaços públicos como: a requalificação do Largo 1º de Maio e Bares; Requalificação do Jardim Conde Sucena; Requalificação da Casa do Adro; Requalificação do Espaço Público do Centro da Cidade; Requalificação da Rua Fernando Caldeira, entre outros.

O valor máximo de FEDER afecto à realização dos projectos identificados no programa de acção aprovado foi de 5.505.31,45 euros, que corresponde a 70% do custo total elegível dos projectos. Os próprios promotores ficam responsáveis pela restante despesa necessária à execução integral dos projectos, que corresponde a 2.359.414.90 euros.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:15

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 6 de Março de 2009

Acordo Tripartido inclui protocolos com três novas autarquias além de Águeda

Ministério da Cultura reforça financiamento à d’Orfeu Associação Cultural

O Ministério da Cultura (MC), através da Direcção-Geral das Artes (DGA), acaba de divulgar os resultados do apoio às artes na modalidade de Acordos Tripartidos, a celebrar entre a tutela, estruturas artísticas profissionais e respectivas autarquias, para os próximos anos. A informação pode ser consultada no sítio da DGA, em http://www.dgartes.pt/news_details.php?month=2&year=2009&newsID=23796&lang=pt.
A d’Orfeu Associação Cultural é uma das cinco entidades beneficiárias, a nível nacional, destes Acordos Tripartidos, com um apoio financeiro aprovado de 150 mil euros anuais para 2009 e 2010, para um projecto global na ordem dos 450 mil euros anuais, incluídos os financiamentos resultantes de protocolos com as autarquias parceiras, sendo Águeda a pioneira e principal autarquia parceira do projecto.

Um dos principais objectivos deste novo apoio estatal à associação aguedense é o “Festim - Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo”, que decorrerá em Junho e Julho de cada ano, já a partir deste ano 2009, numa rede inicial de quatro municípios vizinhos: Águeda, Sever do Vouga, Estarreja e Ovar.
A d’Orfeu vinha sendo beneficiária de um Acordo Tripartido com o MC/DGA desde 2007, ano em que os apoios às artes passaram a incluir esta modalidade, então envolvendo unicamente a Câmara Municipal de Águeda, município onde a associação está sedeada e desenvolve a sua actividade desde a fundação.

O Acordo Tripartido agora aprovado para 2009 e 2010 projecta que a d’Orfeu, multi-estrutura de formação, criação e programação com trabalho reconhecido a partir de Águeda, inicie e consolide um processo cultural à escala regional, passando a entender-se, como seu território de intervenção, numa rede intermunicipal que inclui também Sever do Vouga, Estarreja e Ovar. É neste novo território que se projectará a experiência cultural da d’Orfeu, aplicando no terreno as suas teses de trabalho em rede, nomeadamente com o redesenho e expansão dos seus formatos culturais, tornando mais consistente e com impactos continuados uma implantação regional das suas propostas.

http://www.dorfeu.com/

http://dorfeu.blogspot.com/.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:51

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Receba o Quiosque

Insira o seu endereço de e-mail:

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

AHBVA comemora 76 anos co...

Câmara Municipal de Águed...

Acordo de geminação com M...

Urgências de Anadia regre...

Biblioteca Municipal de Á...

Parque de estacionamento ...

Primeira reunião da Requa...

III Cruzeiro Internaciona...

Protocolo assinado para a...

Acordo Tripartido inclui ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Rostos SAPO Local

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds