Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010

Miguel Frasquilho veio à Curia falar do Orçamento do Estado para 2010

Deputado é o segundo convidado do PSD de Anadia para ciclo de conferências

Miguel Frasquilho, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD, disse na sexta-feira, dia 5 de Fevereiro, na Curia, concelho de Anadia, que o país está a caminhar para o precipício. O parlamentar referiu que o PSD teve em conta “o interesse do Estado ao viabilizar, pela abstenção, o Orçamento”, mas que o que o PS fez “foi atirar Portugal para uma situação muito complicada”.

O deputado à Assembleia da República falava no âmbito da conferência “Orçamento do Estado para 2010 – O corolário de cinco anos perdidos”, promovida pela Comissão Política de Secção (CPS) de Anadia do PSD.

José Manuel Ribeiro, presidente da CPS de Anadia do PSD, lembrou que esta seria a terceira conferência de Miguel Frasquilho sobre o Orçamento do Estado para 2010, que tinha passado já pelo Porto e Covilhã, cidades às quais se seguiu Anadia, que integrou “este roteiro de acção política”.

Considerado por José Manuel Ribeiro “um dos melhores economistas do país na vida política activa e um valor crescente no PSD”, Miguel Frasquilho regozijou-se por falar para “uma casa cheia”. E começou logo por referir que “o país atravessa um momento particularmente difícil, já há cerca de 10 anos, com o definhamento da nossa economia. Nos últimos cinco anos, o PSD advertiu para os erros da política económica que estava a ser seguida”, acusando o primeiro-ministro José Sócrates de ser “o causador do pior défice de sempre do país”.

“No ano de 2004, último de governação PSD/CDS, a dívida pública era de 58,7% e em 2010 vai ser na ordem dos 85,4%. Estamos pior ao nível do rendimento por habitante (nível de vida); do crescimento da economia; do défice externo; do investimento público; da carga fiscal; da taxa de desempego” e de outros tantos indicadores. Miguel Frasquilho considerou que estes dados são “o retrato de uma governação falhada”, dizendo não saber “como quem governou nos últimos anos vai conseguir dar a volta”.

Sendo 2009 um ano de crise profunda, com crescimento negativo a nível mundial, Portugal “vai arrancar da crise internacional de forma mais desfavorável. O desemprego poderá estar na casa dos dois dígitos, entre 10 e 11%, números nunca antes atingidos no nosso país”, advertiu.

Frasquilho lembrou as projecções do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a economia portuguesa, que “é sempre a descer. Somos o vigésimo pior país, de 27, em termos de nível de vida na União Europeia (UE) e o sexto com maior défice em 2009 e com a quinta maior dívida pública”. Face a esta “situação tão complicada”, se ainda passasse “para fora que o nosso orçamento não seria aprovado, as taxas de juro disparariam”.

Desta forma, o deputado disse que com as indicações dadas pelo Ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, o PSD “teria de viabilizar o Orçamento do Estado, pela abstenção. O Governo praticou uma política totalmente desajustada, com erros gravíssimos cometidos ao longo destes cinco anos”.

Frasquilho referiu que não falava da política fiscal do Orçamento do Estado, “porque ela não existe”. Mas lembrou que Portugal tem um esforço fiscal 20% acima da média da UE: “Pagamos impostos a mais. Espanha paga 17% a menos, o que faz com que tenha margem para aumentá-los e o nosso país já não”. O deputado disse que “este orçamento ainda não corta na despesa pública” e defendeu, a título de exemplo, o corte “nos estudos de consultoria”.

A sessão terminou com um participado debate, onde a plateia, aberta aos militantes do PSD mas também à sociedade civil, colocou diversas questões a Miguel Frasquilho, que não deixou ninguém sem resposta.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:04

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Miguel Frasquilho em Anadia para debater Orçamento do Estado

Palace Hotel da Curia recebe mais uma conferência promovida pelo PSD local

Miguel Frasquilho é o próximo convidado da Comissão Política de Secção do PSD de Anadia (PSD/Anadia), para uma conferência subordinada ao tema do Orçamento do Estado para 2010.

O evento realizar-se-á no próximo dia 5 de Fevereiro, sexta-feira, pelas 21 horas, no Palace Hotel da Curia, na Curia, freguesia de Tamengos.

Miguel Frasquilho é Licenciado em Economia pela Universidade Católica Portuguesa e Mestre em Teoria Económica pela Universidade Nova de Lisboa.

Presentemente é quadro superior do Banco Espírito Santo (BES), onde ocupa as funções de Director-Coordenador do Departamento de Research.

Deputado à Assembleia da República é, actualmente, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD, com a tutela das áreas orçamental e finanças.

 

Iniciativa “oportuna”

De acordo com José Manuel Ribeiro, presidente da Comissão Política de Secção do PSD de Anadia, “esta iniciativa, além de ser de grande importância é especialmente oportuna”.

A conferência ocorrerá poucos dias após a entrega do Orçamento do Estado para 2010, pelo Governo na Assembleia da República, e antes do debate na generalidade no Parlamento. “Falamos de um orçamento envolto em especiais circunstâncias, em virtude da existência de um Governo de maioria relativa, que se viu obrigado a negociações com vários partidos da oposição”, sublinhou José Manuel Ribeiro.

A iniciativa destina-se aos militantes do PSD, mas está aberta a todos os cidadãos em geral.

 

Ciclo de conferências

Miguel Frasquilho é assim o senhor que se segue a Paulo Rangel, o primeiro convidado da Concelhia do PSD de Anadia para o ciclo de conferências que está a ser levado a cabo por esta estrutura.

Recorde-se que o eurodeputado esteve em Anadia para dar uma conferência com o tema “Educação, Professores e Alunos”, que encheu a sala do Palace Hotel da Curia onde decorreu a iniciativa, com militantes do PSD, simpatizantes e elementos da sociedade civil em geral, que ouviram atentamente os 50 minutos de intervenção.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:57

link do post | comentar | favorito
Sábado, 16 de Janeiro de 2010

Militantes pedem para Paulo Rangel ser candidato à liderança PSD

Eurodeputado dá conferência sobre Educação na Curia (Anadia)

Paulo Rangel, eurodeputado, esteve em Anadia para dar uma conferência com o tema “Educação, Professores e Alunos”. A sessão, que decorreu no Palace Hotel da Curia - dirigida aos militantes do PSD, mas também aberta a toda a comunidade -, viria a revelar-se numa noite de muitos elogios ao vencedor das eleições europeias, que ouviu o apelo de vários militantes, que encheram por completo a sala, para assumir as rédeas do partido e assim terminar com esta fase conturbada.

Foi o próprio José Manuel Ribeiro, presidente da Comissão Política de Secção de Anadia do PSD, que de forma emotiva considerou Paulo Rangel uma “pessoa bastante inteligente e genuína, sendo esta uma qualidade que em política não é normal e um dos políticos portugueses mais respeitados da actualidade”.

Também o eurodeputado falou da relação de amizade com José Manuel Ribeiro, seu vice-presidente na bancada do PSD na Assembleia da República, na anterior legislatura.

Rangel interveio durante cerca de 50 minutos, começando por dizer que além de se viver uma crise financeira ela também é política, sendo necessário fazer “rupturas”, não só com a política socialista, mas também “com a que em tempos o PSD fez, porque também precisa de rupturas”, afirmou - tal como o fizera a 17 de Dezembro no Instituto Sá Carneiro -, justificando desta forma a escolha do tema para o debate.

 

Um modelo conservador

“O PS conduziu a Educação a um estádio verdadeiramente lastimável. Foi-nos vendida a ideia de que o sistema de avaliação de professores era o principal problema e não”, disse Rangel, afirmando ser “crucial uma revolução conservadora na Educação em Portugal”, para colocar o país “no mapa”.

Para o eurodeputado, o grande problema reside no “facilitismo do ensino e na falta de rigor e exigência” numa área decisiva para o futuro do país. “Quando temos uma escola facilitista estamos a reproduzir e a ampliar as diferenças sociais”, defendeu.

Rangel também entende que é preciso reforçar a autoridade dos professores, “agentes do conhecimento”, porque “a escola está demasiado centrada nos alunos”.

 

Rangel evita falar dos pedidos

Seguiu-se o debate, onde o eurodeputado evitou falar dos pedidos feitos pelos militantes presentes para que seja candidato à liderança do PSD. Aos jornalistas contornou a questão, dizendo que “todos sabem que já falei sobre essa matéria. Agora estou apostado, isso sim, em contribuir para o debate de ideias do PSD”.

Hernâni Pereira foi o primeiro militante a questionar o deputado ao Parlamento Europeu sobre o futuro do PSD e a sua liderança, provocando-o ao dizer que as coisas a continuarem como estão, “o Dr. Paulo Rangel ou muda de profissão, ou muda de partido ou pega no PSD”. Mas como resposta apenas ouviu do eurodeputado que “em nome do rigor aqui vim apenas para falar de Educação”.

Também Lígia Seabra, militante, lembrou que foi naquele local que Sá Carneiro lançou as linhas mestras do PSD, apelando a Rangel para “refundar o partido, que tanto precisa de um líder carismático. O Dr. Paulo Rangel é um sinal de esperança, se comeu as papas Maizena, comeu-as muito bem. Está na altura de ser líder do nosso partido. Não fique com a ideia que é cedo porque quando chegar à altura já pode ser tarde demais”. Mas à semelhança de outros, também ficou sem resposta.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:47

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Henrique Fidalgo é o líder da JSD de Anadia

Novo presidente é de Vilarinho do Bairro e tem 25 anos

A JSD de Anadia foi a votos no sábado, dia 9. Henrique Fidalgo, 25 anos, natural da freguesia de Vilarinho do Bairro é o novo líder da Jota local - vindo suceder a Pedro Esteves, presidente nos dois anteriores mandatos e agora eleito para presidir a Mesa do Plenário -, afirmando estar preparado para assumir funções durante os próximos dois anos de mandato, visto que no último já integrava a Comissão Política de Secção (CPS) de Anadia, na qualidade de vice-presidente.

Ao acto eleitoral para os novos órgãos dirigentes da Secção de Anadia da JSD concorreu uma lista única, encabeçada por Henrique Fidalgo, para presidente da CPS de Anadia da JSD e por Pedro Esteves, para a Mesa do Plenário.

Da CPS de Anadia da JSD fazem parte Henrique Fidalgo (presidente); Edgar Bento (vice-presidente); Diogo Meira (secretário-geral); Fábio Almeida (coordenador do Ensino Secundário); Pedro Varandas, Maritza Cruz e Marco Santos (vogais); Júlia Alves e Catarina Santos (suplentes).

A Mesa do Plenário é constituída por Pedro Esteves (presidente); Filipe Saraiva (vice-presidente); Nelytza Moreira (secretária) e Sara Reis (suplente).

Henrique Fidalgo - trabalhador-estudante, com área de formação em Gestão - congratulou-se com a afluência às urnas e salientou alguns dos principais compromissos assumidos pela JSD para o mandato 2010/2012, para o concelho de Anadia, onde o maior enfoque “vai para algumas áreas que consideramos estruturantes para o concelho, nomeadamente a Educação, a Economia, o âmbito Social, o Associativismo e a Saúde, sendo que, como não podia deixar de ser, a Cultura e o Desporto são temáticas que igualmente consideramos importantes quando se fala em juventude”.

A lista vencedora defende uma ligação “estreita e concertada” à CPS do PSD de Anadia, visando a “unificação de esforços e actuações, mantendo sempre a respectiva autonomia de posições”.

Quanto à Câmara de Anadia, a JSD quer ter um papel de construção, contribuindo para a defesa dos interesses dos jovens junto da autarquia.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:00

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

António Mota ganha Concelhia do PSD em Oliveira do Bairro

Com mais de 100 votos de diferença ex-vereador derrota Márcio Oliveira

António Mota, ex-vereador das Obras na Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, é o novo presidente da Comissão Política de Secção (CPS) de Oliveira do Bairro do PSD, derrotando, com uma diferença superior a 100 votos, Márcio Oliveira, actual presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Bairro.

As eleições, que decorreram na noite do dia 8 de Janeiro, contaram com uma forte afluência às urnas, visto que dos 376 militantes inscritos, 329 deles votaram.

O novo presidente da Concelhia do PSD de Oliveira do Bairro vem assim suceder a Laura Pires, actualmente vereadora da Cultura na autarquia, que presidiu a CPS de Oliveira do Bairro do PSD nos últimos quatro anos, dois mandatos.

 

Uma “grande vitória do PSD”

Para António Mota, esta “foi mais uma das grandes vitórias do PSD em Oliveira do Bairro. Já nos habituámos a elas e esta é mais uma”. Ao referir-se à votação, o ex-autarca diz que os “miltantes corresponderam ao apelo para votarem”, visto ter sido uma “votação maciça, com um resultado que não oferece dúvidas, com um diferencial de 100 votos”, tanto para a CPS como para a Mesa do Plenário.

Mota foi peremptório: “Não restam dúvidas a ninguém de que os militantes têm a certeza daquilo que querem”.

De qualquer forma, ao Quiosque das Letras o novo líder da Concelhia oliveirense admitiu que a vitória era “esperada”, até porque “se os militantes queriam uma linha e essa linha foi alterada, quando a sua vontade não é cumprida eles são os primeiros a dar resposta na próxima oportunidade que lhes seja proporcionada”.

Numa sondagem encomendada pela autarquia, no anterior Executivo, Mota foi o vereador que alcançou maior notoriedade.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:49

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

Paulo Rangel em Anadia para falar sobre Educação

Concelhia do PSD local organiza conferência no Palace Hotel da Curia

Paulo Rangel, a convite da Comissão Política de Secção do PSD de Anadia (PSD/Anadia), deslocar-se-á ao concelho para uma conferência subordinada à temática da Educação, a realizar no dia 8 de Janeiro (sexta-feira), pelas 21 horas, no Palace Hotel da Curia, na Curia, freguesia de Tamengos.

Paulo Rangel, jurista, ex-presidente do Grupo Parlamentar do PSD na Assembleia da República, foi o cabeça-de-lista pelo PSD às Eleições Europeias do ano passado, tendo sido o grande vencedor deste acto eleitoral.

Registou no passado recente uma ascensão meteórica no PSD, sendo nos dias de hoje uma figura incontornável do partido e um dos políticos portugueses mais respeitados da actualidade.

Com as posições genuínas e desassombradas de Paulo Rangel, por vezes polémicas, esta conferência promete ser uma “pedrada no charco” e marcar o início da agenda política nacional do ano de 2010.

Esta iniciativa, dirigida primordialmente aos militantes do PSD, está igualmente aberta aos simpatizantes e à sociedade civil, em geral.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:54

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 27 de Novembro de 2009

Câmara de Aveiro classifica quatro edifícios como Imóveis de Interesse Municipal

Secundária José Estêvão e Mário Sacramento, Governo Civil de Aveiro e edifício dos CTT

Foi aprovada, em reunião de Câmara do Executivo de Aveiro, a classificcação de quatro edifícios públicos como Imóveis de Interesse Municipal.

O município de Aveiro procedeu à classificação de quatro edifícios públicos como Imóveis de Interesse Municipal, como sejam, o antigo Liceu Nacional de Aveiro - Escola Secundária José Estêvão, a antiga Escola Comercial e Industrial de Aveiro - Escola Secundária Mário Sacramento, o antigo edifício de Obras Públicas - Governo Civil de Aveiro e o edifício dos CTT, situado na Praça Marquês de Pombal.

Estes quatro edifícios constituem um marco da história contemporânea de Aveiro, reflectindo tanto as políticas urbanísticas do século XX (no caso dos estabelecimentos de ensino), quanto à relevância das instituições públicas na orgânica e vivência da cidade, para além de constituírem, à excepção do edifício do Governo Civil, exemplares da arquitectura modernista/Estado Novo.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:06

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

Desilusão do PS Anadia contrasta com a satisfação do CDS e CDU locais

CDS-PP Anadia é o partido com maior crescimento no concelho

“É um resultado que fica muito aquém das nossas expectativas”. Foi desta forma que Lino Pintado, cabeça de lista à Câmara Municipal de Anadia pelo PS, fez o balanço das autárquicas 2009. Mesmo “mantendo a percentagem de há quatro anos, na casa dos 25%, não é um bom resultado”, reforçou.

Lino Pintado referiu que apesar de ter aumentado o número de votos, também aumentou o de votantes, mantendo-se as percentagens.

“Tinha uma ambição de termos resultados completamente diferentes. Mas há que respeitar a decisão do eleitorado do concelho”, admitiu o candidato socialista.

Comparando os resultados agora obtidos com os de há quatro anos, o PS Anadia conquistou mais uma freguesia, a de Aguim, “que nunca tinha sido PS. Mantivemos também o número de deputados municipais, seis, passando para oito com o presidente da Junta de Freguesia de Aguim e o de Mogofores, que já era socialista”.

A assinalar as subidas nas freguesias de Avelãs de Cima, Arcos e Aguim, na votação para a Câmara Municipal e a “descida muito significativa em Sangalhos, merecendo uma análise com todo o cuidado para tentarmos chegar a conclusões”.

 

CDS tem o maior crescimento

Por outro lado, O CDS-PP foi o partido que mais cresceu no concelho de Anadia: elegeu dois deputados municipais - Sidónio Simões e João Tiago Castelo-Branco -, retirando um deputado municipal ao PSD e, por uma pequena margem de votos, não obteve um vereador. Está representado com um deputado em cinco Juntas de Freguesia, nomeadamente por Ana Maria Alegre, em Arcos; António Pimentel, em Tamengos; António Augusto Marques da Silva, em Amoreira da Gândara; Jorge Matos, na Moita e António Oliveira, em Mogofores e com dois deputados na freguesia de Vilarinho do Bairro, Nuno Seabra e Hélder Santos.

De referir que esta última freguesia foi a que registou a maior subida dos populares, tornando-se o CDS a segunda força política, logo a seguir ao PSD.

Segundo Maria do Céu Castelo-Branco, candidata à Câmara Municipal, “se compararmos os resultados das autárquicas 2005 aos obtidos este ano, percebemos que o CDS-PP Anadia duplicou as suas próprias percentagens e apresentou valores mais elevados do que o PSD e o PS, quer para a Câmara, quer para a Assembleia Municipal”.

Para a popular, “os objectivos superaram as nossas expectativas e tal só aconteceu porque houve uma equipa de trabalho coesa a par de um esforço persistente e um contacto directo com a população nas diferentes freguesias do concelho. Lançámos as sementes, o trabalho vai continuar e a colheita virá de certeza. Estamos convictos de que nas próximas eleições o CDS estará em condições de se afirmar como a alternativa certa para o concelho de Anadia”.

 

“É uma vitória para a CDU”

Também o cabeça de lista à Câmara de Anadia pela CDU, José Paixão, estava muito satisfeito com os resultados das autárquicas 2009: “É uma vitória para a CDU, porque conseguimos os melhores resultados de sempre no concelho”.

Contudo, Paixão lembrou que “não atingimos os nossos propósitos, que eram chegar aos mil votos em cada órgão a que concorremos, o que ofusca a nossa vitória. Mas subimos cerca de 200 votos nos diversos órgãos aos quais concorremos”.

Mais votos, mais percentagem e os mesmos mandatos de há quatro anos. É este o balanço feito pelo candidato da CDU à Câmara. “Tínhamos dois eleitos na Assembleia de Freguesia de Sangalhos, passámos para três. Em Mogofores é que perdemos o que tínhamos”, explicou.

Quanto à Assembleia Municipal, é João Morais que vai continuar como deputado pela CDU, “saindo a sua votação reforçada, ultrapassando os mil votos. Mas ainda ficámos longe de conseguir um segundo mandato neste órgão”, disse Paixão, que terminou referindo estar triste “por não ter conseguido a perda da maioria absoluta de Litério Marques”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:56

link do post | comentar | favorito
Domingo, 11 de Outubro de 2009

Litério Marques obtém nova maioria absoluta pelo PSD em Anadia

Autarca vai cumprir o quarto mandato consecutivo na Câmara Municipal de Anadia

Litério Augusto Marques volta a conquistar a Câmara Municipal de Anadia, e de novo com maioria absoluta, cumprindo o quarto mandato consecutivo pelo PSD. Sendo objectivo do autarca reeleito ganhar as 15 Juntas de Freguesia do concelho, as autárquicas 2009 ficam marcadas pela perda da Junta de Aguim para o PS, por uma diferença mínima de 44 votos.

A já socialista Junta de Freguesia de Mogofores - a única há quatro anos sem ser PSD - assim continuou, e com uma margem bem expressiva, visto que o PS obteve 348 votos face aos 99 a favor do PSD.

Os social-democratas conquistaram assim, em Anadia, 13 Juntas de Freguesia, ficando duas do lado do PS local. Contudo, “este resultado ultrapassou as minhas expectativas, porque houve alguns imponderáveis. E nestas circunstâncias não podíamos ter tido melhor resultado”, disse Litério Marques, em euforia, à porta do edifício da Câmara Municipal, após ter conhecimento dos resultados finais. O autarca referia-se à “perseguição” que diz ter sentido por parte do “PSD 2 de Anadia à minha candidatura” e que ao suceder só poderia “ter acontecido num partido doente”, rematou, numa clara alusão à Comissão Política de Secção (CPS) de Anadia do PSD, liderada por José Manuel Ribeiro.

Litério Marques, em 2005, venceu a Câmara de Anadia com 61,39% dos votos, alcançando a maioria absoluta, com cinco mandatos. Por seu turno, este ano o autarca reeleito voltou a conquistar a maioria absoluta, novamente com cinco mandatos, mas 57,02% dos votos. Ao perder quatro pontos percentuais face aos resultados de há quatro anos, Litério Marques perde um deputado na Assembleia Municipal. Neste órgão serão 12 os deputados municipais eleitos, mais 13 presidentes de Junta de Freguesia - excluem-se Mogofores e Aguim - perfazendo o total de 25 deputados social-democratas.

 

Luís Santos presidente da Assembleia Municipal de Anadia

Luís Santos, PSD, é o novo presidente da Assembleia Municipal de Anadia.

“O resultado é óptimo. Tenho a maioria absoluta e ganhei nas 15 freguesias, embora perdendo mais uma (Aguim). Esta vitória prova a aceitação total do concelho à figura do presidente. Sabemos que seria difícil recuperar a Junta de Mogofores, porque José Maria Ribeiro foi um presidente que cumpriu e ao recandidatar-se estávamos conscientes de que havia fortes possibilidades de lá permanecer este autarca, o que acabou por verificar-se”, realçou Litério Marques.

 

Sangalhos recupera maioria social-democrata

Litério Marques sublinhou também o “regresso à maioria absoluta na freguesia de Sangalhos, o que é “extraordinariamente importante para quem ganhou, porque permite fazer obra”.

Óis do Bairro foi outra das freguesias com a maioria absoluta do PSD, acabando por “roubar” um deputado ao PS, que passa agora a contar apenas com um membro na Assembleia de Freguesia. Vilarinho do Bairro também tem a maioria PSD.

No caso de Amoreira da Gândara e Tamengos, estas foram duas freguesias que perderam a maioria PSD, quebras que Litério atribui à CPS.

Sobre Aguim, o edil anadiense disse respeitar a decisão do povo, mas “não entendi. Foi uma das Juntas de Freguesia que mais trabalhou, sendo um resultado injusto na minha opinião. Mas a vida continua e Aguim não sairá prejudicada, porque não o fiz com Mogofores, também não o farei com esta freguesia”, garantiu.

 

“CPS de Anadia não existe”

Litério Marques, questionado sobre a ausência da CPS de Anadia do PSD, assim como da JSD, disse que a “CPS de Anadia provavelmente não existe. Desde a minha nomeação à reeleição não dei conta de ninguém”.

O autarca repetiu ter obtido uma “vitória extraordinária”, por ter lutado contra “o PS, o CDS, a CDU e o PSD 2”, deixando como nota final que nem a CPS do PSD, nem a JSD se empenharam “na minha eleição ou de qualquer outra lista do PSD”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:52

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009

PSD e JSD Anadia quebram silêncio sobre processo autárquico

Escolha de Litério Marques ocorreu em “ambiência claramente anti-democrática”

Os presidentes das Comissões Políticas de Secção (CPS) de Anadia do PSD e da JSD, José Manuel Ribeiro e Pedro Esteves, respectivamente, deram a conhecer os motivos que levaram ao silêncio das estruturas a que presidem, sobre o processo autárquico de Anadia. “Por solicitação da presidente do PSD”, Manuela Ferreira Leite, o silêncio dos dois órgãos locais não foi quebrado devido às “duas eleições nacionais - Europeias e Legislativas”, que iriam ter lugar.

A declaração à Imprensa, visto não ter havido direito a perguntas, ocorreu no dia 5, na sede do PSD Anadia, e serviu para “desmistificar alguns boatos que circulam na praça pública, que estão longe de corresponder à verdade”, conforme referiu José Manuel Ribeiro.

O presidente da CPS de Anadia salientou que “a escolha do actual presidente da Câmara Municipal de Anadia”, Litério Marques, como recandidato, “ocorreu numa ambiência claramente anti-democrática. O processo autárquico foi retirado à CPS de Anadia do PSD”.

José Manuel Ribeiro frisou que o processo, “que excluiu as CPS de Anadia do PSD/JSD foi entregue ao candidato à Câmara Municipal de Anadia e à Comissão Permanente Distrital (CPD) de Aveiro do PSD”, lamentando o facto do interlocutor da CPD/PSD Aveiro neste processo “nada ter contribuído para atenuar a crispação e as profundas diferenças entre alguns membros da família social-democrata no concelho de Anadia”.

O presidente da CPS de Anadia do PSD acusa o interlocutor de ter provocado “exactamente o efeito contrário”, por ter demonstrado unicamente “uma exacerbada preocupação em colocar uma amiga num lugar elegível” na lista da Câmara Municipal de Anadia, “o que de facto veio a acontecer”, nunca referindo, no entanto, nomes em concreto.

 

Candidato sem aprovação

De acordo com José Ribeiro, o candidato à Câmara de Anadia, Litério Marques, não foi aprovado pelo órgão distrital - Comissão Política Distrital Alargada de Aveiro do PSD -, “tendo sido o único candidato a uma Câmara Municipal, dos mais de 300 em todo o país, a não ser sujeito a aprovação, pelo respectivo órgão distrital”, sendo homologado pela Comissão Política Nacional do PSD e “tendo sido o único candidato, dos mais de 300 em todo o país, a não recolher o voto unânime neste órgão político”.

Mesmo discordando desta decisão, as CPS de Anadia do PSD/JSD respeitaram-na e apesar de todas as “vicissitudes” esperam que “no próximo acto eleitoral autárquico o PSD atinja um resultado similar aos anteriormente conseguidos”.

Refira-se que tanto nas Europeias como nas Legislativas, o PSD no concelho de Anadia “obteve vitórias claras e robustas”, o que “demonstra bem a força consolidada que o partido tem no nosso município”, deixando o seu principal adversário - o PS - a cerca de 26 pontos percentuais nas Europeias e 18% nas Legislativas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:25

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Receba o Quiosque

Insira o seu endereço de e-mail:

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Miguel Frasquilho veio à ...

Miguel Frasquilho em Anad...

Militantes pedem para Pau...

Henrique Fidalgo é o líde...

António Mota ganha Concel...

Paulo Rangel em Anadia pa...

Câmara de Aveiro classifi...

Desilusão do PS Anadia co...

Litério Marques obtém nov...

PSD e JSD Anadia quebram ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Rostos SAPO Local

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds