Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Saneamento pode chegar aos 90%

Até Setembro será apresentada candidatura superior a 2 milhões de euros

Já está a funcionar a rede de saneamento de Ancas e de Paredes do Bairro, que vai para a ETAR de Sangalhos. De acordo com Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, a população pode a partir de agora começar a pedir a ligação à rede principal, sendo que “quem o fizer já é beneficiado com 50% de desconto”, disse o autarca.

De acordo com Litério Marques, estas redes de saneamento que começam agora a funcionar são todas “obras que tiveram início há três, quatro anos e praticamente pagas na íntegra pelo orçamento da Câmara Municipal de Anadia”.

O autarca garantiu, em conferência de Imprensa no dia 10, não ter havido comparticipação: “À excepção de uma parte de Paredes do Bairro, tudo o resto foi suportado pelo orçamento da autarquia”. Esta é, aliás, uma das razões apontadas por Litério Marques para a demora na conclusão da obra.

Com a entrada em funcionamento desta rede, as freguesias referidas - Ancas e Paredes do Bairro - ficam com uma cobertura praticamente total do saneamento.

 

Cobertura de 60%

Actualmente, e com esta obra, o concelho de Anadia apresenta uma cobertura de saneamento de 60%.

“Foi um esforço grande da parte da autarquia, uma vez que teve de suportar o financiamento de tudo”, frisou o edil anadiense.

Até ao mês de Setembro, Litério Marques vai apresentar uma candidatura que engloba redes e emissários, nomeadamente nas freguesias e lugares que drenam para o Rio Levira: Vilarinho do Bairro, Pedreira de Vilarinho e Torres e ainda Amoreira da Gândara.

 

Cobertura pode chegar a 90%

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Anadia, quando esta candidatura estiver concluída, vai fazer com que “90% do concelho tenha cobertura de saneamento”, sublinhou.

Esta candidatura tem um valor superior a 2 milhões de euros e diz respeito aos emissários e reformulação da ETAR de Sangalhos.

“As terras que drenam para o Rio Levira são neste momento a situação mais problemática do concelho”, disse Litério Marques, referindo a reformulação da ETAR de Sangalhos, projecto que integra a candidatura.

“A Câmara de Anadia só agora vai apresentar esta candidatura porque só agora os fundos comunitários estão disponíveis”, explicou o autarca, que não pôde deixar de lembrar que as taxas de saneamento e água cobradas no concelho de Anadia são “das mais baixas de toda a região”. (Foto: Ana Jesus Ribeiro)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:13

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

“IV Festival Internacional de Folclore de Ancas”

Freguesia de Ancas, Anadia, recebe evento amanhã e domingo

Dias 11 e 12 (sábado e domingo), na Quinta Convivial do Clube de Ancas, regressa ao concelho de Anadia nova edição do “Festival Internacional de Folclore de Ancas”. Este ano, o modelo será um pouco diferente dos anteriores, optando a organização por dois dias de festival em Ancas.

A intenção é proporcionar “espectáculos para toda a gente assistir”, onde a música crie um ambiente de festa e apele às raízes tradicionais dos diferentes povos e culturas e onde as músicas de raiz tradicional e popular são uma referência cultural fundamental dos processos de reafirmação da identidade dos povos.

 

O programa

Amanhã, pelas 21 horas, sobe ao palco o Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC). A partir da meia-noite tem início a After-Folk Party.

Já no dia 12, domingo, o Grupo “Sons de Avelãs”, da freguesia de Avelãs de Caminho, é o primeiro a apresentar-se no “IV Festival Internacional de Folclore de Ancas”, pelas 18 horas. Às 21 horas é a vez da Orquestra Típica e Rancho da Secção da Associação Académica de Coimbra dar espectáculo.

Pelas 21.45 horas sobe ao palco o Grupo Los Oyolos (França), grupo este que ficará instalado em Ancas durante cinco noites. Às 22.30 horas é a vez do Grupo Folclórico do Centro Social, Cultural e Recreativo de Paredes do Bairro. A noite encerra com o Grupo “Les Mutins de Longueuil”, do Quebec, Canadá, pelas 23.15 horas.

Esta é uma organização do Clube de Ancas, numa parceria de longa data com o Grupo Folclórico e Etnográfico de Recardães (GFER).

O evento conta com o apoio da Junta de Freguesia de Ancas, da população de Ancas, do concelho de Anadia e de muitos voluntários, que assim tornam possível a realização deste festival, que já trouxe ao concelho grupos de países como a Turquia, Grécia, Bulgária, Roménia, Polónia, Itália, Espanha e Argentina.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:00

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

Simulacro de incêndio testa plano de evacuação de escola

EB1 de Paredes do Bairro com incêndio extinto em nove minutos

A EB1 de Paredes do Bairro, concelho de Anadia, foi o estabelecimento de ensino escolhido pela Câmara Municipal para a realização de um simulacro de incêndio, que se realizou ao início da tarde do dia 17, última sexta-feira.

O exercício a ser testado foi o de incêndio, sendo realizado na sala de aula do 1º piso do edifício mais recente desta escola (cerca de 45 anos), edifício com três salas de aula. Na EB1 de Paredes do Bairro, que faz parte do Agrupamento de Escolas de Vilarinho do Bairro, existe um outro edifício, plano centenário, com apenas uma sala de aula, onde concluído o simulacro decorreu o briefing final.

A iniciativa teve como objectivo avaliar os Planos de Prevenção e Emergência dos estabelecimentos de ensino do 1.º Ciclo e Jardins-de-Infância do concelho. A organização esteve a cargo da Câmara Municipal de Anadia, em colaboração com os Bombeiros Voluntários de Anadia (BVA), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Junta de Freguesia de Paredes do Bairro.

De acordo com Eduardo Simões, vice-presidente do Conselho Executivo do Agrupamento de Escolas de Vilarinho do Bairro, todos os jardins-de-infância e EB1 do concelho de Anadia têm plano de evacuação, com o patrocínio da autarquia, sendo “cada plano ajustado à especificidade do edifício”.

 

Exercício com balanço positivo

Judite do Céu, coordenadora da EB1 de Paredes do Bairro, fez um balanço positivo do simulacro, “óptimo para as crianças, visto ter sido uma boa oportunidade de colocar em prática os conceitos que damos na teoria. Não tenho falhas a apontar”.

Este foi o primeiro simulacro nesta escola, que conta com 53 alunos e três professores.

Também Litério Marques, presidente da Câmara de Anadia, frisou que mesmo sendo uma “acção de faz de conta, é necessário colocá-la em prática, para sabermos que estamos preparados para o pior”.

Carlos Pinheiro, comandante operacional da acção, referiu que tudo correu dentro da normalidade, “estando o pessoal preparado”. Mas apontou uma falha: “Ficou determinado que as vítimas saíam pela porta de trás do edifício, onde estavam as ambulâncias, mas saíram pela frente”. Contudo, a parte da segurança “correspondeu ao pretendido”.

Do incêndio resultaram duas vítimas - um aluno e uma professora, que afirmou ter tido “um socorrismo óptimo” - às quais foi prestado socorro. No local estiveram 14 elementos (sete da GNR) e cinco viaturas dos BVA: duas ambulâncias (ABSC); uma VUCI; uma VETA e uma UVCOT.

O alerta foi dado às 14 horas, tendo os BVA chegado ao local às 14.09 horas e terminado o exercício pelas 14.18 horas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:54

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2009

Carnaval de Paredes do Bairro (Anadia)

Carnaval saiu à rua e não esqueceu crítica ao Governo

O Carnaval 2009, realizado na freguesia de Paredes do Bairro, teve a participação de nove grupos com cerca de 300 figurantes e nove carros alegóricos no total.

Os grupos participantes foram “Os Dálmatas”; “Os Índios”; “Casamentos do Futuro” (numa alusão e crítica aos casamentos homossexuais); “Mamma Mia”; “Crise e Desemprego”; “Karaoke Canta & Dança” e “Padaria São Lourenço/Café Santo António”.

O cortejo contou com um público numeroso, tanto nas ruas como na demonstração final no Campo de Futebol do Centro.

Não podia deixar-se de referir a presença dos reis do Carnaval: Carlos Gama e Lina Marinha.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:12

link do post | comentar | favorito
Domingo, 5 de Outubro de 2008

Assembleia Municipal de Anadia

Actual Carta Educativa de Anadia pode estar ilegal

A Carta Educativa do Município de Anadia (CEMA) foi alterada sem ter ido ao Conselho Municipal de Educação, nem à reunião camarária, muito menos à Assembleia Municipal. A polémica foi colocada na última sessão ordinária da Assembleia Municipal de Anadia, que se realizou no dia 26 de Setembro, pelo deputado do PCP João Morais.

“Os pólos têm menos salas. Porque não foram dadas a conhecer aos deputados desta Assembleia as alterações? O presidente da Câmara tem algum compromisso com o Governo?”, questionou João Morais.

Por seu turno, Litério Marques, presidente da autarquia, confirmou haver alterações do documento, argumentando que as mesmas foram propostas pela Direcção Regional de Educação do Centro (DREC), não constituindo “obrigação de dar lugar a novas reuniões do Executivo na Câmara e na Assembleia Municipal”, disse, garantindo ter um documento a comprovar o que dizia, emitido pela DREC. “Não fizemos mais do que cumprir a sua determinação”, rematou.

Dos aspectos essenciais consagrados na CEMA - número de pólos, localização, número de salas de aulas e plano financeiro -, convém referir que dos nove pólos totais, determinados pela CEMA para o município de Anadia, houve alterações em oito deles, no número de salas e no plano financeiro.

Comparando a CEMA aprovada em Novembro de 2007 e a que está disponível no site da Câmara, o Quiosque das Letras (QL) constatou, entre outras alterações, a diminuição de 15 salas de EB1 e de duas de Jardim-de-Infância. Ao nível do plano financeiro verifica-se uma diminuição de 1.187.150 euros. A CEMA de Novembro tinha o valor total de 10.551.500 euros e agora ascende a 9.364.350 euros.

 

Pólo de Paredes do Bairro igual

Oito dos nove pólos sofreram alterações, sendo o pólo mais afectado o de Monsarros, que perdeu quatro salas de EB1 e uma de Jardim-de-Infância.

Avelãs de Cima/Avelãs de Caminho perdeu três salas de EB1; o pólo da Moita perdeu uma sala EB1; o de Vilarinho do Bairro perdeu duas salas de EB1; Ancas/Amoreira da Gândara perdeu uma sala de EB1; Tamengos perdeu uma sala de EB1; Sangalhos perdeu também uma sala de EB1 e finalmente Arcos/Anadia perdeu uma sala de Jardim-de-Infância e duas de EB1. Só o pólo escolar de Paredes do Bairro ficou na mesma.

Recorde-se que a CEMA foi aprovada na sessão extraordinária da Assembleia Municipal de 30 de Novembro de 2007. Estando agora a actual, com as referidas alterações, que não foram dadas a conhecer aos órgãos autárquicos, já disponível na Internet.

Segundo o QL apurou, o documento só foi à reunião de Câmara, a título informativo, no dia 24 de Setembro, tendo Litério Marques justificado a alteração com um parecer da DREC. Contudo, convém referir que as alterações terão sido efectuadas em Janeiro/Fevereiro de 2007, só se tornando agora conhecidas.

No decorrer da última sessão da Assembleia Municipal de Anadia, o seu presidente, José Manuel Ribeiro, informou que tinha recebido uma denúncia desta situação (em Julho de 2007), e após ter trocado correspondência com a Câmara, em que a mesma prestou os esclarecimentos, as informações e os documentos que a Mesa da Assembleia Municipal tinha solicitado, esta decidiu pedir um parecer à Direcção-Geral das Autarquias Locais (DGAL), ainda não conhecido.

Litério Marques defendeu durante a mesma sessão que tudo foi feito com “transparência e dentro da legalidade”. Contudo, o QL após ouvir alguns juristas pôde constatar que todos apontaram para eventuais ilegalidades. (Foto: Ana Jesus Ribeiro)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:33

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Setembro de 2008

Obra em fase de concurso público

Centro Escolar de Arcos, Anadia a funcionar no ano lectivo de 2009/2010

Com a aprovação de três candidaturas apresentadas pela Câmara Municipal de Anadia, para a construção dos Centros Escolares de Arcos, Avelãs de Caminho/Avelãs de Cima e Paredes do Bairro, ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) - Programa “Mais Centro”, a reorganização do Parque Escolar de Anadia já é uma realidade.

O Centro Escolar de Arcos será o primeiro a ser construído pela autarquia, encontrando-se esta obra em fase de concurso público, cuja abertura de propostas se realizará este mês. Este Centro Escolar está projectado para ser edificado na nova zona de expansão urbana, em frente à Biblioteca Municipal de Anadia.

 

Projecto já aprovado

O projecto, recentemente aprovado, terá dois pisos e contempla 12 salas de aula da EB1; quatro salas de actividade para o jardim-de-infância; uma sala polivalente/ refeitório com cozinha; uma cafetaria/bar; balneários/vestiários; sanitários; salas de apoio à EB1; salas de apoio ao jardim-de-infância; um ginásio/sala polivalente; uma biblioteca; uma sala de informática e instalações de apoio ao secretariado e pessoal docente.

Dos arranjos exteriores fazem parte a construção de um parque infantil e zona de recreio.

Esta nova infra-estrutura vai integrar as escolas básicas de Anadia - Alféloas, Famalicão, Póvoa do Pereiro -, e ainda o jardim-de-infância de Famalicão.

Com a entrada em funcionamento deste Centro Escolar, previsto para o ano lectivo 2009/2010, vão encerrar os antigos estabelecimentos de ensino, acima referidos.

No que respeita ao financiamento concedido para a construção destes Centros Escolares, é de frisar que para este efeito foram criados - para as despesas consideradas elegíveis -, valores de referência que constituem um limite à comparticipação. Assim, verifica-se que “esta responsabilidade financeira, que caberia ao Ministério da Educação, está a ser imputada às autarquias”, como disse Litério Marques, presidente da Câmara de Anadia.

No caso de Anadia, o valor estimado da construção é de 2 milhões e 750 mil euros (Centro de Arcos).

Mas após a conclusão do Centro Escolar de Arcos, onde estão incluídos todos os custos inerentes, prevê-se um investimento de cerca de 3 milhões e 200 mil euros, com uma comparticipação do QREN no valor de 1 milhão e 585 mil euros.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:58

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Saneamento pode chegar ao...

“IV Festival Internaciona...

Simulacro de incêndio tes...

Carnaval de Paredes do Ba...

Assembleia Municipal de A...

Obra em fase de concurso ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds