Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

Curia Tecnoparque recebe lançamento do número 36 da revista Aqua Nativa

Nova edição dedicada à freguesia de Tamengos, Anadia

Uma reflexão e análise históricas sobre um espaço carregado de memórias. Assim poderia definir-se a sessão de lançamento do número 36 da Revista de Cultura e História Local Aqua Nativa, edição dedicada a Tamengos, que juntou no auditório do Curia Tecnoparque, em Tamengos, alunos da Universidade Sénior da Curia (USC) e também muitos habitantes da localidade homenageada.

Nuno Rosmaninho, docente do Departamento de Línguas e Cultura da Universidade de Aveiro, proporcionou uma verdadeira aula de História Local a todos quantos puderam assistir ao lançamento de “Dossiê Tamengos”, cuja leitura permitirá uma “viagem pelo espaço, pelas pessoas e por quotidianos totalmente diferentes” dos que se conhecem hoje e que dizem respeito à realidade daquela freguesia do concelho de Anadia, até há 50 anos atrás.

O autor e investigador explicou que esta é uma temática com grandes “virtudes cívicas”, uma vez que poderá fazer “entender melhor e lutar por um lugar”. E como “o que há ainda para fazer é imenso”, este “Dossiê Tamengos” pode também ajudar a mostrar temas que funcionam como exemplos para quem quer investigar e fazer História Local, até porque “no concelho de Anadia poucas povoações têm estudos sistemáticos feitos”.

O investigador dá o exemplo da preservação do património das igrejas, que ainda não está estudado, e que é urgente “fotografar, medir e pesar”. O autor terminou deixando uma sugestão: a criação de uma “Carta Concelhia do Património”.

Para Alice Godinho, professora de Estruturas Socioculturais da USC, a revista Aqua Nativa - e este número em concreto, dedicado a Tamengos - vêm desempenhar um “importante papel na construção histórica”, revelando-se um “valioso instrumento de trabalho e investigação”.

O dossiê sobre Tamengos reúne um conjunto de realidades já passadas, permitindo também satisfazer a curiosidade dos habitantes de hoje.

Carlos Alegre, director e coordenador da Revista Aqua Nativa, descreveu a publicação como um “espaço de memórias, de histórias de vida”, convidando todos os que gostam de História Local a escrever, “porque realmente têm muito para dizer”.

Esta edição, que completa o 19º aniversário da revista, apresenta um conjunto de artigos e estudos sobre Tamengos ao longo da História, um trabalho de vários autores, que traça um perfil da localidade em cerca de metade da revista.

Está já a ser preparado o número 37 da Aqua Nativa, que incluirá um dossiê de estudos sobre Ancas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:04

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

Sexagenária esfaqueada até à morte em noite de assaltos

Aldeia da Madureira, em Amoreira da Gândara, Anadia, chocada com homicídio de Maria Alice Jesus

Maria Alice Jesus, com 63 anos e viúva há dois, foi brutalmente assassinada na madrugada do passado sábado (de 20 para 21 de Novembro), com várias facadas na cara e no pescoço e uma pancada na cabeça, no interior do seu mini-mercado, situado no lugar de Madureira, freguesia de Amoreira da Gândara, concelho de Anadia.

O clima que se vive na aldeia, desde sábado de manhã, é de medo e consternação. Foram os próprios vizinhos que descobriram o cadáver, cerca das 7 horas da manhã.

“Estranhámos a Maria Alice não ter aberto as portas da mercearia e os sacos do pão ainda estarem pendurados cá fora. Foi quando três vizinhos se juntaram para entrar dentro de casa, com a a juda de um escadote, pela varanda que dava para o quarto dela”, conta Lucília Ferreira Moreira, vizinha, que veio à porta da Tasquinha do Gala à procura da data e hora do funeral, ontem, dia 24.

Contudo, nas portas e vidros daquela que era a única mercearia e café da Madureira, e dos quais Maria Alice era proprietária, ainda não estava nenhuma informação relativa ao funeral.

Lucília Moreira continuava incrédula. Diz que ninguém se apercebeu de nada na noite do crime. “Nem os vizinho da frente”. Só quando entraram na casa da vítima e depois de a percorrer, foram encontrar a sexagenária numa arrecadação junto à mercearia, tombada e de bruços, já sem vida, conforme explicou a vizinha.

 

“Uma boa mulher”

Lucília Moreira contou ao Quiosque das Letras que na noite do crime, cerca das 20.30 horas, esteve com a proprietária da Tasquinha do Gala na mercearia, “porque recebi uma carta em casa para uma pessoa que eu desconhecia e fui ter com ela para ver se sabia de quem se tratava. Disse-me que tinha muito que fazer e que ali ficaria pelo serão, porque estava com a máquina de etiquetar a colocar preços nos produtos”.

A vizinhança admite que os autores do homicídio devem ter surpreendido Maria Alice na merceria, tendo trancado a porta quando saíram e lamenta a perda de “uma boa mulher”, admitindo que “vai fazer falta na aldeia a Ti Maria Alice”.

 

Dez facadas

As perícias realizadas ao cadáver revelam ter sido esfaqueada por dez vezes, sendo que a mulher foi ainda agredida na cabeça, ao que parece com uma pedra. O cenário onde foi encontrada, com as paredes ensanguentadas, deu a entender às autoridades que a idosa ofereceu resistência e lutou, com todas as forças, contra quem a matou.

O cadáver foi transportado para o Instituto de Medicina Legal de Aveiro, onde a causa da morte terá sido apurada na autópsia.

Os assaltantes roubaram dinheiro e tabaco. Suspeita-se que os mesmos indivíduos sejam os responsáveis pelo assalto à Igreja Matriz de Amoreira da Gândara - de onde foram furtadas três cruzes em prata, avaliadas em cerca de 40 mil euros, usadas nas procissões da aldeia - e um talho, de onde levaram dinheiro e chouriças, na mesma madrugada. 

 

Assaltantes a monte

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro, a quem está entregue o caso, continua a investigar vestígios dos autores do crime, que continuam a monte. De acordo com fonte policial, esta investigação “é prioritária”.

A presença de elementos da PJ na aldeia da Madureira tem mantido a população mais tranquila. Mas o ambiente não deixa de ser de tensão e medo. Lucília Moreira revelou que as filhas e genros “têm ficado a dormir cá em casa. Nós não queremos deixar a nossa casa, para ir viver com eles. Mas temos algum receio”.

O funeral de Maria Alice Jesus Gala deve acontecer hoje, dia 25.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:01

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 11 de Novembro de 2009

Ceifeira-aquática “Pato Bravo” regressa à Pateira, concelho de Águeda

Durante Outubro a máquina esteve no município de Montemor-o-Velho

Durante o mês de Outubro a ceifeira-aquática esteve a trabalhar no município de Montemor-o-Velho colaborando na preparação das condições para o mundial de canoagem que decorrerá durante o próximo ano, sendo que regressará à Pateira esta semana.

Reconhecendo o trabalho realizado na Pateira pela autarquia de Águeda, em particular no que diz respeito à remoção das massas de jacintos-de-água da superfície do espelho de água pela ceifeira-aquática, foram vários os municípios que contactaram Águeda no sentido da Câmara Municipal ceder o equipamento para a limpeza de cursos de água.

Neste sentido, no início de Outubro, a máquina foi cedida ao município de Montemor-o-Velho para a limpeza de um extenso troço de rio, fundamental para a prática de canoagem, e cuja intervenção se afigurava urgente dada a organização, por esta edilidade, durante o próximo ano, dos mundiais da modalidade. Após laborar durante um mês, está agora em fase de conclusão a limpeza dos cerca de 4 Km de braço de rio intervencionados, regressando a máquina à Pateira durante esta semana.

O município aguedense acredita que estão reunidas as condições para que a “Pato Bravo” possa laborar de forma a optimizar a remoção das massas de infestantes, rentabilizando assim a remoção, e continuando o reconhecido bom trabalho que tem desempenhado até à data com a remoção do jacinto-de-água da lagoa.

Desde o secretário de Estado do Ambiente, à directora e director-adjunto do Departamento de Zonas Húmidas do ICNB, ao vice-presidente da CCDR-C, a diversos técnicos de investigação científica, professores universitários, entre tantos outros já visitaram a Pateira para ver a actuação da máquina, reconhecendo os progressos obtidos.

A Pateira, bem como a metodologia utilizada pela autarquia de Águeda para remover os jacintos-de-água, foi já referenciada a nível Europeu, em particular no Conselho da Europa. No âmbito dos trabalhos a este nível, e como já foi noticiado, uma técnica da Câmara de Águeda foi a única representante portuguesa no grupo de peritos que desenvolveram a análise do risco de infestação por jacinto-de-água. Este documento servirá de base para a elaboração de uma Directiva Comunitária nesta temática.

De referir ainda que a reconhecida Blackwell Publishing, do Reino Unido, publicou em 2009 um artigo científico para a EPPO, sobre o mérito do trabalho realizado pela autarquia de Águeda na Pateira de Fermentelos, trabalho este que vai agora ser retomado.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:10

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

Rotary Clube Curia-Bairrada promove palestra “Envelhecimento Saudável” em Anadia

Dia 16 de Outubro, no Museu do Vinho Bairrada

No dia 16 de Outubro, no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, o Rotary Clube Curia-Bairrada vai promover uma palestra intitulada “Envelhecimento Saudável”.

De acordo com o presidente da Direcção do Rotary, Carlos Matos, o tema é de enorme oportunidade e será abordado por um especialista credenciado, Luís Romariz, médico especialista em Age Management Medicine (AMM), uma nova especialidade médica dedicada à ciência do envelhecimento.

São objectivos da palestra divulgar novas perspectivas de um envelhecimento saudável e dar a conhecer algumas estratégias de programas específicos de promoção de um envelhecimento saudável.

Às 21 horas está marcada a sessão de abertura da palestra e pelas 21.10 horas será dado início, por Luís Romariz. Às 22.30 horas está marcado o debate e pelas 23 horas está previsto o encerramento da palestra.

 

publicado por quiosquedasletras às 08:31

link do post | comentar | favorito
Domingo, 6 de Setembro de 2009

Parque Urbano da cidade da Mealhada

Câmara Municipal considera bom e adequado o piso da pista pedonal/ciclovia aplicado pelo empreiteiro

A Câmara Municipal da Mealhada decidiu aceitar como bom e ajustado ao fim a que se destina o piso da pista pedonal/ciclovia do Parque Urbano (antigos Viveiros Florestais), aplicado pelo empreiteiro em substituição daquele que constava do caderno de encargos.

A decisão foi tomada na última reunião de Câmara, por maioria (cinco votos a favor e um contra), depois de um estudo encomendado à Universidade de Aveiro/Departamento de Engenharia Civil, ter concluído, com base na análise de amostras colhidas no local (caroteamento), que o piso aplicado pelo construtor não só não perspectiva diferenças de desempenho significativamente diferentes (quando comparado com o piso previsto no caderno de encargos da obra), como  é perfeitamente “adequado” aos objectivos do projecto.

A deliberação, votada favoravelmente pelos eleitos socialistas (presidente da Câmara, Carlos Cabral, e três vereadores) e pelo vereador Gonçalo Breda (eleito pelo PSD, mas, presentemente, sem  a confiança política do partido), teve o voto contra do vereador Carlos Marques, igualmente eleito pelo PSD e, actualmente, sem a confiança política do mesmo partido.

O vereador João Pires (PSD) não participou na deliberação, por se ter ausentado da reunião antes da votação.

Além dos resultados do estudo desenvolvido pelo Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro, a Câmara teve, também, em conta a opinião do autor do projecto, que aprovou a alteração do piso, e o parecer técnico do Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da Universidade Coimbra (ITecons), que apontou, até, algumas vantagens aos materiais efectivamente utilizados pelo empreiteiro.

Uma vez que a obra está praticamente concluída, a Câmara Municipal prevê que o Parque Urbano possa ser aberto ao público - e colocado à disposição da população - muito em breve.

A data da inauguração será anunciada em tempo oportuno.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:52

link do post | comentar | favorito
Domingo, 30 de Agosto de 2009

Biblioteca Municipal Manuel Alegre abre ao público no dia 1 de Setembro

Edifício está instalado junto ao Fórum Municipal da Juventude em Águeda

A nova Biblioteca Municipal de Águeda, que recebeu o nome de Biblioteca Municipal Manuel Alegre, abre portas no dia 1 de Setembro, terça-feira, num moderno edifício instalado junto ao Fórum Municipal da Juventude (que funcionará interligado com a Biblioteca).

Dividida em quatro andares amplos, com uma área bruta de construção de 2496 metros quadrados, mobiliário moderno e funcional, recantos acolhedores, uma vasta área dedicada à infância e juventude, aos adultos e aos utilizadores em geral, em harmonia com as novas tecnologias de informação, estas são algumas das características que transformam a nova Biblioteca Municipal num espaço jovem e diferente das bibliotecas tradicionais.

A Biblioteca Municipal Manuel Alegre pretende ser um lugar ideal para o encontro e a descoberta, onde será oferecida matéria de sonho, encantamento e investigação, excelência e modernidade, numa dinâmica de oferta global de serviços de valor informativo, educativo, cultural e social acrescentado, enquadrando-se numa política já existente no concelho, nomeadamente no âmbito da dinâmica autárquica.

 

Ninguém foi esquecido no novo edifício

Assim, o novo edifício dispõe de uma área pensada para os mais novos com a secção infantil, a sala do conto, o espaço infantil, mas também para os jovens com as zonas de leitura juvenil ou a secção audiovisual. A nova biblioteca oferece ainda uma secção destinada aos adultos com a secção multimédia, a secção vídeo-aúdio, a secção de periódicos, as zonas de leitura e a área de auto-formação de adultos. Na Biblioteca Manuel Alegre podem igualmente encontrar-se os espaços internet, a sessão multimédia, a sala de trabalhos de grupo, o posto de consulta bibliográfica, a sala polivalente, entre muitas outras zonas funcionais destinadas a todos os utilizadores.

As tecnologias de informação assumem-se neste projecto como um estímulo e como instrumentos essenciais ao serviço da missão e objectivos da Biblioteca Municipal de Águeda.

O projecto teve como principal objectivo assegurar a máxima sustentabilidade dos serviços da Biblioteca Municipal Manuel Alegre, com a instalação de infra-estruturas de rede e sistemas informáticos, assim como a construção de uma rede de bibliotecas no concelho, previstas nos projectos camarários. Na sua elaboração, a autarquia procurou garantir uma total integração no projecto informático global existente na Câmara Municipal, quer ao nível lógico, quer ao nível físico.

Enquanto espaço público, a Biblioteca pretende oferecer serviços que respondam às reais necessidades dos cidadãos que a procuram, desde o direito básico à informação e ao conhecimento, passando pela alfabetização informacional e tecnológica à educação ao longo da vida, constituindo-se, simultaneamente, como um espaço de debate e inquietação cultural, dando uma particular ênfase à sua função de espaço propício à inclusão de todos os cidadãos, à sua plena integração social, bem como privilegiar a sua relação institucional com os demais parceiros sociais.

A Biblioteca Municipal Manuel Alegre, cujo projecto é da autoria do arquitecto Alcino Soutinho, abre ao público dia 1 de Setembro, com o horário das 10 às 19 horas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:55

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Maio de 2009

Anos de 2008 e 2009 com todas as candidaturas realizadas

Plano de Desenvolvimento Social de Oliveira do Bairro já foi aprovado

O Conselho Local de Acção Social de Oliveira do Bairro (CLAS) aprovou o Plano de Desenvolvimento Social de Oliveira do Bairro 2008-2013. Este documento de planeamento estratégico e de definição conjunta e negociada dos objectivos prioritários para a promoção do desenvolvimento social do concelho de Oliveira do Bairro foi construído de forma participada por todas as entidades que compõem o CLAS, pelo Núcleo Executivo e pelos grupos de trabalho da Rede Social constituídos para o efeito.

O documento assenta em três capítulos fundamentais, onde estão definidas as linhas de orientação para o período 2008-2013: a articulação com o Plano Nacional de Acção para a Inclusão (PNAI), as Dinâmicas de Qualidade e a Intervenção Social Integrada.

No capítulo da articulação com o PNAI aparecem descritos os equipamentos, serviços e projectos que se pretendem ver desenvolvidos no domínio social, em diferentes áreas de intervenção.

O capítulo referente às Dinâmicas de Qualidade elenca as áreas onde se pretende trabalhar para a excelência e define como missão qualificar a intervenção social concelhia.

A Intervenção Social Integrada é o eixo fundamental da perspectiva de mudança e de estratégia de desenvolvimento social concelhio. Pretende-se com este criar uma nova abordagem e metodologia de trabalho, integrada, aplicada ao concelho e às instituições/técnicos que acompanham as famílias em situação de pobreza e/ou exclusão social.

Num processo de investigação/acção e de dinâmica social, à medida que o documento foi escrito, foram sendo desenvolvidos, pelos parceiros, esforços para a concretização das acções e projectos previstos e planeados desde a fase de discussão. Assim, no ano de 2008 e no presente ano de 2009 foram realizadas todas as candidaturas e acções previstas no mesmo.

 

publicado por quiosquedasletras às 08:39

link do post | comentar | favorito
Domingo, 17 de Maio de 2009

Velódromo Nacional de Sangalhos inaugura no próximo mês

Empreendimento vai trazer 60 novos postos de trabalho directos

O Centro de Alto Rendimento de Sangalhos - Velódromo Nacional vai ser inaugurado no próximo mês, “como estava previsto”, garantiu Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, durante uma visita realizada à obra, no dia 15.

Apesar do ciclismo ser a principal modalidade para a qual foi vocacionado o empreendimento, o autarca revelou que vão haver mais quatro: trampolim, esgrima, judo e ginástica acrobática, sendo que “só para a sua instalação e adaptação do espaço haverá mais um encargo previsível de um milhão e 400 mil euros”, informou Litério Marques.

O presidente da Câmara de Anadia explicou que a instalação das quatro modalidades implica a construção de mais um edifício para alojamento, anexo à pista, semelhante à infra-estrutura que vai receber o hotel.

“Será necessário ter mais espaço para dormitórios, porque estas modalidades vão certamente trazer inúmeras pessoas ao Velódromo Nacional. Hoje ainda é uma ambição, mas também parece ser uma certeza”, afirmou o edil, acrescentando que “o espaço que temos responde positivamente a esse tipo de modalidades, disputadas em recintos fechados. E se o Governo entendeu que seria uma mais-valia para a pista, aceitámos o desafio”.

A região ficará também dotada de um equipamento com valências especializadas e orientadas para a investigação, aperfeiçoamento e treino de praticantes de alto rendimento, promovendo a qualificação e o desenvolvimento das várias modalidades desportivas, segundo padrões de nível internacional.

 

Um “elefante verde” e que vai trazer 60 postos de trabalho

Questionado sobre a obra do Velódromo Nacional de Sangalhos ser o elefante branco do concelho - como é conhecida por muitos -, Litério Marques foi peremptório: “É um elefante verde, de esperança e laborioso, porque vai trabalhar e dar poder a esta zona do concelho. Fará funcionar o sector económico da região de forma muito positiva, criando 60 novos postos de trabalho directos”.

A gestão do Velódromo Nacional de Sangalhos está a ser protocolada com a secretaria de Estado do Desporto. Mas a Câmara Municipal de Anadia será a principal entidade gestora do empreendimento.

Para já foram adjudicadas obras no velódromo que rondam os 10 milhões de euros. Mas o orçamento total previsto, com o alargamento que será levado a cabo - devido às quatro novas modalidades e ao novo edifício -, pode atingir os 14 milhões de euros.

 

Obras continuam depois da inauguração

A inauguração do Velódromo Nacional de Sangalhos não vai impedir que as obras de alargamento do complexo continuem.

Os arranjos exteriores também vão ficar para o final de Junho.

O empreendimento além de receber o ciclismo de pista coberta e as quatro modalidades desportivas já referidas vai funcionar como um espaço multiusos, que possibilita a realização de outro tipo de eventos. “Todo o piso é amovível”, referiu Rui Rosmaninho, arquitecto responsável pela obra.

 

Velha pista será demolida

“Comenta-se o que se destrói, mas nunca o que se constrói. Vamos destruir a outra pista de Sangalhos, requalificar o espaço e dar-lhe um novo fim”, disse Litério Marques garantindo não esquecer quem esteve na génese da obra, “porque continuamos aqui a defender quem trouxe o ciclismo para Sangalhos”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:05

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 27 de Abril de 2009

ARH do Centro em Águeda para debater

Questões Significativas de Gestão da Água

A Administração da Região Hidrográfica do Centro (ARH do Centro) realizou, no passado dia 23 de Abril, no Salão Nobre da Câmara Municipal, uma sessão pública sobre as Questões Significativas de Gestão da Água (QSiGA).

A sessão contou com a participação do vice-presidente da autarquia, Jorge Almeida, com a presidente da ARH do Centro, Teresa Fidélis e com a investigadora do Instituto Superior Técnico, Teresa Melo.

No âmbito do processo de elaboração dos Planos de Gestão das Bacias Hidrográficas dos Rios Vouga, Mondego e Lis, instrumentos fundamentais de apoio à gestão, protecção e valorização ambiental, social e económica dos recursos hídricos, a ARH do Centro, IP, com a colaboração do Instituto Nacional da Água e da Associação Portuguesa de Recursos Hídricos, promoveu três sessões públicas, uma realizada em Águeda, sobre as QSiGA.

Neste processo, com as QSiGA pretendeu-se focalizar os principais problemas resultantes das pressões antropogénicas e os seus impactos nos recursos hídricos, bem como as implicações ao nível da sua dimensão normativa e económica. Estas temáticas constituíram um ponto de partida para encontrar, em conjunto com todos os utilizadores, e a sociedade regional, as soluções exequíveis e pragmáticas para a resolução ou minimização dos problemas mais críticos tendo em vista o cumprimento dos objectivos da Directiva Quadro da Água, num quadro de co-responsabilização entre diversos utilizadores. Este processo teve também como objectivo garantir que os novos planos de gestão de recursos hídricos resultem em claros benefícios do público e das formas de utilização sustentável do recurso essencial e escasso que é a água.

Além do debate realizado em Águeda, aconteceram mais duas sessões: uma, no dia 21 de Abril, no auditório da ARH do Centro, IP, em Coimbra, e a outra, no dia 24 de Abril, no auditório da Caixa de Crédito Agrícola de Leiria.

A ARH do Centro, IP, fez uma ampla divulgação das sessões públicas das QSiGA, num total de cerca de 300 entidades contactadas, com o objectivo de mobilizar todos os interessados para, em conjunto, debater, trocar experiências e ouvir todas as preocupações em termos de gestão da água.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:01

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Abril de 2009

Marco no desenvolvimento da investigação em sexologia

Universidade de Aveiro acolhe primeiro laboratório de investigação experimental em sexualidade humana existente em Portugal

A Universidade de Aveiro (UA) criou a primeira Unidade Laboratorial de Investigação em Sexualidade Humana em Portugal. Chama-se SexLab, dedica-se exclusivamente à investigação experimental e psicofisiológica de diferentes aspectos da sexualidade humana, e tem por objectivo último contribuir para o conhecimento sobre os factores que determinam a saúde sexual de modo a promover a sua melhoria.

“A saúde sexual da mulher e do homem: contributos para um modelo de compreensão biopsicossocial” é o estudo que, dentro de dias, vai marcar o arranque deste único laboratório nacional e um dos poucos existentes no mundo, instalado na UA.

Esta pioneira Unidade Laboratorial de Investigação em Sexualidade Humana do país integra a rede internacional SEXLAB e resulta de uma parceria entre o PsyLab da Universidade de Aveiro e o Grupo de Investigação em sexologia do Centro de Investigação do Núcleo de Estudos e Intervenção Cognitivo-Comportamental da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra/Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (CINEICC-FPCEUC/UTAD).

Coordenado por Pedro Nobre, doutorado em Psicologia pela Universidade de Coimbra e professor auxiliar da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o SexLab conta com a colaboração de uma equipa constituída por cinco outros investigadores com experiência clínica e de investigação científica na área da sexologia.

A Unidade Laboratorial instalada no Campus Universitário de Aveiro dispõe de um conjunto de equipamentos que permitem avaliar diferentes aspectos psicofisiológicos associados à resposta sexual nos homens e nas mulheres, bem como de um conjunto de software que permite produzir estímulos diversificados e fazer a leitura de todas as medidas fisiológicas.

 

Quais os objectivos do SexLab?

Aprofundar conhecimentos e ampliar as possibilidades de intervenção ao nível de problemáticas associadas às disfunções sexuais, comportamentos de risco, compulsividade e agressão sexual, assim como fornecer pistas sobre as melhores estratégias a adoptar com vista à melhoria da saúde e bem-estar sexual são os principais objectivos do SexLab que, para tal, vai conduzir a investigação experimental e psicofisiológica em diferentes aspectos da sexualidade humana.

De acordo com o coordenador da equipa de investigação e investigador responsável desta Unidade Laboratorial, Pedro Nobre, os estudos de natureza experimental e psicofisiológica em sexologia são escassos em Portugal, sendo o SexLab o primeiro em Portugal, e um dos poucos a nível mundial, a conduzir de forma regular estudos desta natureza, constituindo-se, deste modo, como “um marco no desenvolvimento da investigação em sexologia em Portugal”.

Dentro de dias, o SexLab vai avançar com o estudo experimental sobre “A saúde sexual da mulher e do homem: contributos para um modelo de compreensão biopsicossocial”. O objectivo é descobrir o papel que as variáveis psicológicas, relacionais, biológicas e contextuais assumem na protecção/vulnerabilidade da saúde sexual de homens e mulheres; um estudo, cujo êxito muito dependerá da colaboração de voluntários com idades compreendidas entre os 18 e os 50 anos.

Mais informações sobre o SexLab podem ser consultadas em http://sexlab.web.ua.pt ou solicitadas pelo e-mail: sexlab@dce.ua.pt.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:23

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Curia Tecnoparque recebe ...

Sexagenária esfaqueada at...

Ceifeira-aquática “Pato B...

Rotary Clube Curia-Bairra...

Parque Urbano da cidade d...

Biblioteca Municipal Manu...

Anos de 2008 e 2009 com t...

Velódromo Nacional de San...

ARH do Centro em Águeda p...

Marco no desenvolvimento ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds