Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Incubadora da WRC completa hoje três anos

Já são oito as empresas instaladas no Curia Tecnoparque, em Tamengos (Anadia)

Em Outubro de 2006, precisamente hoje, dia 13, Castro Guerra, secretário de Estado adjunto da Indústria e da Inovação; João Vasco Ribeiro, então presidente do Conselho de Administração da WRC e Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, inauguravam a Incubadora de Empresas da WRC - Web para a Região Centro, Agência de Desenvolvimento Regional, SA, situada no Curia Tecnoparque, na Quinta dos Cabrais, na Curia, freguesia de Tamengos, concelho de Anadia.

Volvidos três anos desde a abertura do espaço, Pedro Maranha, adminsitrador da WRC, afirma que “tem sido cumprida a sua função de potenciador de desenvolvimento económico local e regional”.

Desde 2006, a Incubadora tem conseguido também cumprir com a sua filosofia da “porta aberta”, promovendo em conjunto com as empresas incubadas reuniões quadrimestrais para avaliação de dificuldades e discussão de novas ideias. “Da mesma forma tem conseguido colocar a rede de contactos e accionistas da WRC ao serviço destas empresas, sempre na perspectiva de geração de oportunidades de mercado”, garantiu o administrador.

 

Rede de Incubadoras

A criação de uma Rede de Incubadoras de Empresas na Região Centro, um dos projectos pioneiros da WRC, é já uma realidade, “congregando todas as incubadoras em actividade na zona centro. Mantém-se ainda o objectivo de criar a INCUBE - Associação Nacional de Incubadoras de Empresas, que merecerá discussão no II ENI - Encontro Nacional de Incubadoras de Empresas, agendado para o próximo mês de Novembro, no Curia Tecnoparque”, revelou Pedro Maranha.

 

Oito empresas incubadas

Actualmente são oito as empresas que se encontram sedeadas na Incubadora de Empresas do Curia Tecnoparque. Os primeiros quatro projectos empresariais estão ali instalados desde 2007 - Sigyn - Consultoria de Marketing e Implementação de Sistemas de Informação Lda;  Lanik Portuguesa - Fabrico e Comércio de Estruturas de Madeira e Projectos de Engenharia, Lda; AAS - Sociedade Portuguesa de Inovação Ambiental, Lda e Enodestinos - Produção e Organização de Eventos - sendo os restantes mais recentes.

Esta configuração leva à quase lotação da incubadora, se se exceptuar o terceiro piso, onde se mantém a vontade de encontrar uma empresa ou entidade de referência que ali se queira instalar. “Todavia, esta ambição de atrair um projecto âncora, não invalida que sejam ainda instaladas novas pequenas empresas no Curia Tecnoparque”, conforme explicou Pedro Maranha.

Além das já mencionadasdas quatro empresas estão ainda incubadas na WRC a CBL - Qualidade, Ambiente e Segurança, Unipessoal, Lda; SAFESPACE - Soluções de Segurança e Domótica Lda; IDEIASOFT - Engenharia de Sistemas, Lda e Click Mental - Sistemas de Informação, Lda.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:07

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

Projecto CADI organiza “In’tal 2009”

Inscrições decorrem até dia 31 de Maio

O Projecto Centro de Atendimento e Desenvolvimento Integrado (CADI) vai dinamizar a terceira edição do concurso “In’tal 2009” (Incubadora de Talentos).

Em 2009 o tema escolhido para o concurso é “Escolhas”. Com este tema pretendeu-se ver representados em diversos trabalhos de diferentes formatos a visão de cada participante sobre as escolhas que vão surgindo ao longo da vida, do dia-a-dia, do trabalho, da escola, do grupo de amigos, da comunicação social, entre muitos outros! Um tema livre… Uma escolha!

Os objectivos passam por promover a reflexão sobre o tema “Escolhas”; motivar a população para actividades de carácter artístico e descobrir e valorizar o “talento” de cada participante.

Todos podem concorrer: individualmente ou em grupo. Os trabalhos serão avaliados de acordo com os seguintes escalões: 1) Pré-escolar; 2) 1º Ciclo do Ensino Básico; 3) 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico; 4) Ensino Secundário e/ou adultos da comunidade; 5) Inter-geracional (grupos que abranjam elementos de diferentes escalões).

As inscrições estão a decorrer até dia 31 de Maio. Para mais informações, é favor contactar o número 231 082 397 ou o seguinte mail: cadi.escolhas@gmail.com.

Os trabalhos devem ser entregues no Projecto CADI (de terça a sexta-feira, das 14 às 20 horas; sábado das 9.30 às 13 horas e das 14.30 às 19 horas), ou enviados por correio (Rua Fausto Sampaio, nº10, 3780-231 Anadia), até ao dia 17 de Junho de 2009.

Os trabalhos serão votados por um Júri constituído pela equipa técnica do Projecto CADI e pelos visitantes da exposição.

 

Trabalhos em exposição

Os trabalhos estarão expostos no CADI, de 19 a 25 de Junho, das 14 às 19 horas.

O resultado do concurso será anunciado no dia 26 de Junho, na Mini-Maratona “Correr e Caminhar pela Vida, Contra a Droga”. Os resultados estarão posteriormente afixados no Projecto CADI.

Todos os participantes receberão um certificado de participação. Os trabalhos vencedores de cada escalão receberão um prémio simbólico.

 

publicado por quiosquedasletras às 08:06

link do post | comentar | favorito
Sábado, 10 de Janeiro de 2009

Bronca da semana

JSD Mealhada acusa Executivo socialista de “inércia política”

No seguimento do seu plano de actividades, a Comissão Política Concelhia da JSD Mealhada colocou um novo “outdoor”, junto à rotunda de cruzamento das Estradas Nacionais Nº. 1 e Nº. 234, à saída da cidade e que dá acesso ao Luso.

A JSD Mealhada volta, assim, a apresentar-se com uma postura de intervenção, cumprindo uma função como “agente político concelhio, denunciando as notórias fragilidades do concelho da Mealhada existentes por inércia ou inoperância das políticas levadas a cabo pelo Executivo socialista, que preside à Câmara Municipal da Mealhada”, acusam os jovens social-democratas mealhadenses, em nota enviada à Imprensa.

A JSD Mealhada lamenta o facto de num concelho com tamanhas potencialidades o Executivo Municipal não ter qualquer estratégia para atracção de investimento, bem como para a fixação de empresas, factor fundamental para a criação de emprego e para a dinamização económica do concelho.

Ao contrário da realidade existente nos concelhos limítrofes, no da Mealhada a JSD local refere que a autarquia “não priorizou a existência de incubadoras de empresas nem de protocolos com estabelecimentos de ensino superior e investigação. Não estão protocolados apoios ou incentivos às pequenas e microempresas, nem existem zonas específicas com condições especiais para a instalação das mesmas”.

As Zonas Industriais de Barrô e Barcouço “não saiem do papel e os impostos praticados pela Câmara Municipal da Mealhada não são estipulados tendo em conta a conjuntura económica de excepção que vivemos actualmente, mantendo-se a derrama acima dos valores praticados pelos concelhos vizinhos”, acusam.

A JSD Mealhada, bem como outras associações e estruturas, afirmam que têm chamado repetidamente a atenção para estes aspectos, revelando toda a sua preocupação com os mesmos.

“Estamos menos desenvolvidos e competitivos que os nossos concelhos limítrofes. O concelho da Mealhada carece de uma estratégia clara e arrojada e que se tomem medidas eficazes no que diz respeito à fixação de empresas”.

“A Mealhada não quer continuar a perder!”, concluem os jovens social-democratas do concelho.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:32

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

Projecto vai ultrapassar os três milhões de euros

Centro da cidade de Anadia vai levar uma cambalhota

O centro urbano de Anadia vai ser alvo de um arrojado projecto de regeneração urbana, com um investimento superior a três milhões de euros e que o vai transformar completamente, ficando quase irreconhecível, como adiantou Litério Marques, presidente da Câmara Municipal. A conclusão da obra está prevista para daqui a um ano e meio.

“Anadia é cidade há quatro anos. Tem um pequeno núcleo habitacional e outros adjacentes. É preciso expandi-lo e dar-lhe uma forma harmoniosa”, disse o autarca, durante a apresentação pública do projecto, que aconteceu no dia 23 de Dezembro.

Litério Marques lembrou que esta seria a altura indicada para dar um “aspecto mais citadino a Anadia”, porque “temos hoje à disposição o Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), um quadro comunitário que vem oferecer outras possibilidades”, disse, acrescentando que é “urgente” arrancar já com o projecto, que “ultrapassa largamente os três milhões de euros”, sob pena dos fundos comunitários “não se utilizarem ou irem parar a outros municípios que não o nosso”.

 

O projecto de regeneração

O projecto de regeneração do centro urbano de Anadia, com a assinatura do arquitecto Rui Rosmaninho, divide-se em duas partes: regeneração do centro urbano e requalificação urbanística e paisagística da área existente a nascente do edifício dos Paços do Município.

Relativamente ao centro urbano, o projecto de regeneração contempla a reformulação da rede viária; a correcção do traçado existente através da construção de uma rotunda a nascente, intersectando a rua de acesso ao centro urbano; reformulação da iluminação pública; eliminação de barreiras arquitectónicas; reformulação dos circuitos pedonais; sinalização horizontal e vertical; mobiliário urbano e equipamento de recolha de resíduos sólidos.

O investimento total vai ser de 664.050 euros para esta parte.

A requalificação urbanística e paisagística da área existente entre a parte posterior do edifício dos Paços do Município e a Avenida das Laranjeiras tem um investimento total de 2.312.500 euros.

Vai implicar a construção de um edifício que vai ser denominado por “Incubadora de Serviços de Proximidade”, que se destina a funcionar como centro de serviços multifuncionais, com o intuito de centralizar serviços de atendimento ao público e de proximidade ao cidadão.

Este edifício vai localizar-se nas traseiras dos Paços do Município.

Um pouco abaixo será construído um outro edifício - “Domus Café” - onde se pretende conciliar a área de café com um espaço cultural, com ligação pública à Internet e à Biblioteca Municipal, “online” e a outros recursos informativos. É um edifício que cria um espaço complementar à Praça Pública que vai surgir, com zona de cafetaria, esplanada de apoio e adequadas instalações sanitárias.

“Vai ser uma sala de chá, um bom estabelecimento para conversarmos e tomarmos o nosso ‘drink’, fazer coisas que ainda não se fazem em Anadia”, afirmou Litério Marques.

 

Estacionamento subterrâneo

O antigo Mercado Municipal vai ser demolido para no seu lugar nascer uma Praça Pública e espaços verdes, que materializam uma distinta zona de convívio, de cultura e de lazer, que vai “camuflar” um amplo parque de estacionamento subterrâneo, com capacidade para mais de 160 lugares.

“Tudo isto vai permitir-nos ter um lugar bonito e atraente. É desta forma que se alinda Anadia”, afiançou Litério Marques.

O autarca disse que a obra ainda não foi colocada a concurso e apelou à participação do público nas sugestões que venham melhorar o projecto apresentado no dia 23, colocando o documento à disposição para ser feita a sua análise por todos.

“Bem sei que este projecto não é perfeito. Pôr o antigo Mercado abaixo não é fácil. Mas a Câmara Municipal de Anadia entendeu que assim devia ser. E decidiu por maioria, porque o Mercado velho já cumpriu a sua missão. As praças serão grandes, haverá lugar para algo evocativo”, referiu Litério Marques.

 

Obra avança com ou sem QREN

O edil anadiense sublinhou que a obra vai arrancar “o mais breve possível”, estando apenas à espera do visto do Tribunal de Contas. E garantiu que mesmo que não venha QREN a obra arranca: “É um grande esforço financeiro. Mas já fizemos outros. Acreditem que a obra é uma realidade”, terminou, não sem antes prometer que também a Rua Júlio Maia “terá de levar uma volta”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:29

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Julho de 2008

I Encontro Nacional de Incubadoras de Empresas

Secretário de Estado apoia a criação de uma Associação Nacional de Incubadoras

Reuniram-se pela primeira vez, no último fim-de-semana, no Curia Tecnoparque, em Tamengos, Anadia, incubadoras de todo o país, tendo em vista a partilha de experiências e melhores práticas, bem como a discussão de interesses comuns a estas infra-estruturas. A necessidade de criar uma Associação Nacional de Incubadoras, defendida por Castro Guerra, secretário de Estado da Indústria e Inovação, foi uma das conclusões a retirar deste encontro.

Mais de seis dezenas de promotores, gestores, técnicos de incubadoras, universidades e outras entidades, de norte a sul do país, estiveram presentes no Curia Tecnoparque nos dias 11 e 12 de Julho, para participar no I ENI – Encontro Nacional de Incubadoras de Empresas, organizado pela WRC - Agência de Desenvolvimento Regional.

No seu discurso de abertura, Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, saudou a iniciativa do encontro assinalando a “imperiosa necessidade de aumentar a troca de conhecimentos e experiências entre todos”, bem como a urgência de “desenvolver práticas de articulação que conduzam à sustentabilidade estratégica das nossas incubadoras”.

A necessidade de desenvolver uma “cultura de empreendedorismo” nas crianças e nos jovens foi também um dos pontos defendidos por responsáveis de universidades e de incubadoras presentes. Acções de sensibilização efectivas são necessárias para alterar as mentalidades das gerações futuras de empreendededores.

“Se a taxa de insucesso das ‘start-up’, mesmo em países como os EUA e a Inglaterra, ronda os 70%, então há que apostar na criação de muitas novas empresas, pois quantas mais houver mais hipóteses há de um grande número sobreviver no mercado” defendeu a este respeito Mário Raposo, vice-reitor da Universidade da Beira Interior.

“Criação de parcerias” e a “importância de trabalhar em rede” foram sem dúvida as expressões mais ouvidas nos dois dias de trabalhos. Neste capítulo a criação da INCUBE - Associação das Incubadoras de Empresas de Portugal, que permitirá dar corpo a uma rede nacional de incubadoras, foi uma das conclusões centrais do encontro.

Castro Guerra afirmou a este respeito que “o país como um todo deve trabalhar em rede”, acrescentando que “uma associação nacional de incubadoras de empresas pode ser um veículo importante para ajudar a qualificar as incubadoras e ajudar a trabalhar em rede”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:56

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 7 de Julho de 2008

Taxa de ocupação perto dos 100%

Incubadora do Curia Tecnoparque atrai novas empresas

Projectos inovadores, com viabilidade no mercado e liderados por equipas jovens. São estas as características transversais às empresas incubadas na Incubadora de Empresas do Curia Tecnoparque, em Tamengos, Anadia. Com uma taxa de ocupação perto dos 100%, esta valência tem já sete empresas sedeadas, tendo contribuído para a criação de uma dezena de postos de trabalho qualificados.

A incubadora conta desde o início do ano com três novas empresas nas áreas da Energia, Segurança e Qualidade. As empresas Misterenergy e Safespace, ligadas à energia e à segurança, respectivamente, têm em comum o objectivo de constituir uma rede de lojas especializadas em consultoria e aconselhamento de soluções para particulares e empresas. Já a CBL – Qualidade, Ambiente e Segurança, tem como negócio a prestação de serviços na área da qualidade, ambiente, segurança alimentar e segurança e higiene no trabalho. Presta apoio na concepção e implementação dos sistemas de gestão da qualidade, manutenção dos sistemas implantados, auditorias internas e auditorias a fornecedores e ainda apoio na implementação da metodologia HACCP.

Está ainda em fase de pré-incubação uma nova empresa a entrar no final do Verão, que representará uma ocupação significativa da incubadora. A futura empresa tem o seu domínio de actuação na área de produção de software para exportação, em estreita articulação com outras grandes empresas da área das TIC.

 

Primeira empresa instalada na incubadora em inícios de 2007

A Sigyn - Consultoria de Marketing e Implementação de Sistemas de Informação, foi a primeira empresa a instalar-se na incubadora, em inícios de 2007. Encontra-se essencialmente vocacionada para o sector vinícola e turismo, sectores chave na região da Bairrada. A Lanik Portuguesa – Fabrico e Comércio de Estruturas de Madeira e Projectos de Engenharia foi a segunda a chegar à incubadora. É uma empresa que tem na construção civil os seus principais clientes, dedicando-se à projecção de estruturas de madeira lamelada. A AAS – Sociedade Portuguesa de Inovação Ambiental, estabeleceu-se na incubadora em Agosto de 2007. Na área do ambiente, intervém essencialmente na gestão da água e descontaminação dos solos.

Em Setembro de 2007 chegou à incubadora a Enodestinos – Produção e Organização de eventos. A empresa tem subjacente a temática dos vinhos (daí a escolha da Bairrada como destino), trabalhando na promoção e organização de enoeventos e enoturismo.

As empresas incubadas no Curia Tecnoparque actuam em mercados emergentes com elevado potencial de crescimento dos seus negócios, constituindo uma mais-valia para o tecido económico regional.

Esta valência tem por objectivo a constituição de empresas de base tecnológica, com forte ligação ao tecido económico e empresarial da região. As tecnologias da informação e comunicação, a viticultura e enologia, a energia e o ambiente, o turismo, as ciências e tecnologias dos materiais são áreas tecnológicas preferenciais no acesso à estrutura.

O Curia Tecnoparque recebe este mês o 1º ENI – Encontro Nacional de Incubadoras de Empresas, que contará com a presença da maioria das incubadoras nacionais.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:58

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

Incubadoras da Região Centro reuniram no Curia Tecnoparque

Assinado Protocolo de Constituição da Rede de Incubação

Mais de uma dezena de responsáveis de Incubadoras da Região Centro reuniram ontem, dia 24, no Auditório do Curia Tecnoparque, em Tamengos, Anadia, com o objectivo de assinar o Protocolo de Constituição da Rede de Incubação e Empreendedorismo da Região Centro (RIERC), criada sob os auspícios do Conselho Empresarial do Centro (CEC), assim como discutir as actuais dificuldades na Incubação de Empresas, no financiamento das Incubadoras e da promoção do empreendedorismo.

Criada com o objectivo geral de desenvolver medidas facilitadoras de uma cultura favorável ao emprendedorismo na Região Centro, a Rede de Incubação assume-se como um forúm regional de reflexão estratégica no contexto do empreededorismo, bem como motor para a promoção de dinâmicas de interacção e articulação entre os diferentes membros da rede. São por isso objectivos deste projecto a promoção de acções de “benchmarking” entre as incubadoras da rede, através da identificação e partilha de boas práticas, a promoção da cooperação nacional e internacional entre incubadoras, e ainda estimular a cooperação entre empresas incubadas.

Com o objectivo de operacionalizar, o Protocolo ontem assinado, a Rede de Incubação propõe-se implementar o Programa Centro Empreendedor, visando assim corporizar uma política regional de empreendorismo e incubação, cujos projectos ou linhas de acção serão, em função da sua natureza, enquadrados nos distintos Planos Operacionais (PO) do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) 2007-2013.

A Rede de Incubação, através do Programa Centro Empreendedor, tem já definido um conjunto de projectos e linhas de acção no que diz respeito a àreas como a criação do Observatório do Empreendedorismo da Região Centro, o desenvolvimento anual de conferências, seminários e workshops, destacando neste capítulo a realização da conferência internacional Empreender no Centro, o estímulo a mecanismos de financiamento a “start-up” e “spin-off” da Região Centro, o estabelecimento de parcerias com as Universidades, Institutos Politécnicos e Escolas Tecnológicas e a instituição de prémios e concursos ligados ao tema na Gala Empresarial do Centro.

Antes deste encontro, e da parte da manhã, o Curia Tecnoparque recebeu a Reunião da Plataforma FINICIA Aveiro-Viseu, com a presença do IAPMEI, INOVE Capital, CEC, Universidade de Aveiro e WRC - Agência de Desenvolvimento Regional.

 

Assinaram o Protocolo de Constituição da Rede de Incubação e Empreendedorismo da Região Centro:

OPEN – Associação para Oportunidades Específicas de Negócio (Marinha Grande);

Incubadora da Figueira da Foz (Figueira da Foz);

AIBAP – Associação da Incubadora do Beira Atlântico Parque (Mira);

BIOCANT Park (Cantanhede);

WRC - Agência de Desenvolvimento Regional (Curia, Anadia);

Universidade de Aveiro (Aveiro);

Instituto Pedro Nunes (Coimbra);

Tagus Valley (Abrantes);

Parque Urbis (Covilhã).

publicado por quiosquedasletras às 10:02

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Incubadora da WRC complet...

Projecto CADI organiza “I...

Bronca da semana

Projecto vai ultrapassar ...

I Encontro Nacional de In...

Taxa de ocupação perto do...

Incubadoras da Região Cen...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds