Domingo, 7 de Junho de 2009

“Semana Verde 2009” em Anadia

“Operação STOP” realizada por crianças do 1º Ciclo

No âmbito da “Semana Verde 2009”, decorreu entre os dias 2 e 5 de Junho, no concelho de Anadia, a realização da “Operação STOP”, efectuada pelas crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico de algumas escolas - Anadia, Vilarinho do Bairro, Chipar de Cima e Sangalhos.

Com a ajuda da Escola Segura, as crianças dos quatro estabelecimentos de ensino, nas localidades correspondentes, mandaram parar algumas viaturas para sensibilizar os condutores para as questões relacionadas com o ambiente.

Foram também entregues pelas crianças alguns panfletos com informações relativas à temática. Esta iniciativa realizou-se pela segunda vez.

Dia 2 de Junho tiveram lugar ecoactividades, com diversos ateliers que se realizaram no Cine-Teatro Municipal de Anadia.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:35

link do post | comentar | favorito
Sábado, 27 de Dezembro de 2008

Até dia 6 de Janeiro

Mais de 33 mil lâmpadas iluminam vivenda e jardim em Chipar de Cima (Vilarinho do Bairro, Anadia)

A casa de Armando Ferreira, no lugar de Chipar de Cima, freguesia de Vilarinho do Bairro, Anadia, é durante o mês de Dezembro um dos ex-líbris da região, visitado por pequenos e graúdos, de toda a região e fora dela. O motivo é único: mais de 33 mil lâmpadas são colocadas pelo emigrante em torno da vivenda e pelo jardim, tradição que cumpre, quase religiosamente, de dois em dois anos.

“É a quinta vez que o faço aqui em Chipar de Cima. Sou emigrante nos Estados Unidos da América (EUA), no Estado de Nova Iorque e foi lá que ganhei este gosto, porque era muito gratificante ver a alegria dos meus filhos quando colocava as iluminações de Natal”, recorda.

Para levar a cabo esta “missão natalícia” - que acontece de dois em dois anos porque um Natal é passado em Anadia, outro nos EUA - Armando Ferreira põe mãos à obra no início de Outubro. Diz ser necessária muita paciência, porque todos os cabos têm de ser experimentados antes de serem colocados, para verificar se há lâmpadas fundidas.

“Tenho brio nisto. E se é necessário reparar cabos tem de se fazer, passando cabo por cabo, para todas as lâmpadas ficarem acesas. Posto isto é pelo telhado que começo”, explica, com entusiasmo.

Após os fios estarem todos espalhados, Armando Ferreira, 65 anos, começa a fazer as ligações. “São mais de 33 mil lâmpadas e mais de 300 metros de fio de distribuição para as luzes”, afirma, satisfeito. As luzes das janelas, portas e da árvore de Natal (um lindo azevinho) são de cor. As restantes são brancas.

 

Iluminação até dia 6 de Janeiro

Este ano cumpre-se o feito. E no passado dia 6 a casa e o jardim, situados em frente ao Lago de Santa Marinha, iluminaram-se pela primeira vez. Entre as 18 e as 24 horas é possível contemplar a iluminação de Armando Ferreira, até dia 6 de Janeiro. As suas luzes são já consideradas uma atracção nas redondezas e não só, chegando a fazer deslocar excursões de diversos pontos do país, como foi o caso de Portimão, há dois anos.

Armando Ferreira conta que os carros chegam como se de uma romaria se tratasse. E da varanda, o emigrante espreita para os carros que estão estacionados junto ao lago, vendo-se apenas os flashes das máquinas fotográficas a disparar.

Além da sua casa, em Chipar de Cima, também em Aguada de Cima (Águeda) há uma casa com iluminação de Natal peculiar.

Este ano o presépio de Armando Ferreira ocupa outro lugar, estando no topo da escadaria, com um Pai Natal ao lado, que dá as boas-vindas. O emigrante apela a que quem vier e apanhar o portão fechado “toque à campainha para entrar e verem de perto. Delicio-me ao ver as crianças felizes com as renas do jardim ou com o insuflável e também com o Pai Natal, que canta e dança”.

 

Solidariedade não é esquecida

Armando Ferreira nunca fez contas à electricidade que gasta quando ilumina a sua casa durante o mês de Dezembro. Mas já houve quem quisesse deixar donativos. O facto de não aceitar levou-o a realizar uma campanha de angariação de fundos, que começou há dois anos e continua agora, revertendo para a “Obra do Frei Gil”, na Praia de Mira, para crianças carenciadas. “O ano passado enchemos a caixinha. No total foram arrecadados 629 euros”, diz o emigrante, que espera somar este ano, pelo menos, a mesma quantia. (Foto: Davide Silva)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:22

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008

Obra da Associação Cultural de Chipar de Cima

Terrenos pantanosos são transformados em Lago

O lugar de Chipar de Cima, freguesia de Vilarinho do Bairro, Anadia, tem já concluído o Lago de Santa Marinha, padroeira da terra, faltando agora terminar os arranjos em redor. O mérito vai para a Associação Cultural de Chipar de Cima, que colocou mãos à obra para transformar terrenos pantanosos, que estavam cobertos de silvas, num lago bonito e cuidado.

Armando Ferreira, no lugar do presidente da Direcção da associação - visto este ter-se demitido -, recorda que de há anos para cá os terrenos onde está hoje o lago se foram transformando num silvado, sendo que nos últimos anos tornaram-se num aterro de lixo.

Imigrante nos Estados Unidos da América, há 12 anos começou a organizar festas para angariar fundos e a Associação Cultural de Chipar de Cima começar a comprar os terrenos.

“Há quatro anos comprámos mais terrenos e começámos a trabalhar. Fui ter com a Câmara Municipal de Anadia, que também deu apoio”. Mário Heleno, presidente da Junta de Vilarinho do Bairro, também colaborou e vai continuar: “É nosso objectivo continuar a criar zonas de convívio e lazer. Além da Lagoa de Torres, temos agora este bonito lago na freguesia”.

“Em Março começou-se a abrir o lago, com máquinas pagas pela Câmara. A mão-de-obra foi dada pela população”, disse Armando Ferreira.

Agora está previsto relvar o espaço circundante, plantar árvores e colocar candeeiros, transformando a rua numa avenida, visto que também a estrada vai alargar 1,5 metros. “Ainda pretendemos colocar churrasqueiras e fazer um percurso, com areia amarela e uma largura de três metros, que percorra todo o lago. Uma espécie de um percurso pedonal. Além disso pretendemos colocar mesas, para fazer um parque de merendas e baloiços”, rematou Armando Ferreira.

Até à data, o investimento feito no lago já ultrapassa os 25 mil euros. A associação pretende continuar a comprar terrenos, para o espaço ficar mais limpo à volta do lago. (Foto: Davide Silva)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:29

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

“Semana Verde 2009” em An...

Até dia 6 de Janeiro

Obra da Associação Cultur...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds