Sexta-feira, 7 de Agosto de 2009

Museu Marítimo de Ílhavo completa 72 anos amanhã

Comemoração está integrada no programa MarAgosto/Festas do Município de Ílhavo 2009

Integrado no programa MarAgosto/Festas do Município de Ílhavo 2009, o Museu Marítimo de Ílhavo (MMI) celebra a sua existência de mais de sete décadas e assinala o aniversário da abertura do seu pólo, o navio-museu Santo André, amanhã, dia 8 de Agosto.

O programa comemorativo da fundação do Museu (8 de Agosto de 1937) organiza-se “sob o signo da pluralização das memórias do nosso património mais emblemático: a pesca do bacalhau”, conforme referiu Álvaro Garrido, director do MMI.

A abertura da III série do projecto expositivo “Nos Porões da Memória”, desta vez com um trabalho de fotografia e texto do canadiano Wayne Ralph, permite partilhar com o público a visão estética e documental de um estrangeiro sobre a presença regular da White Fleet em St. John’s.

A exposição articular-se-á com um outro registo memorial vindo da América do Norte: uma palestra sobre o Gazela Primeiro, um dos poucos veleiros da frota bacalhoeira portuguesa que ainda navega, sob o cuidado da fundação Philadelphia Ship Preservation Guild.

“No sentido de combinarmos conhecimento e lazer e de utilizarmos o nosso edifício de modos sempre diversos, o Museu organizará também duas demonstrações de nautimodelismo, uma actividade em grande expansão no âmbito das novas formas de expressão da cultura náutica”, explicou Álvaro Garrido.

 

Jantar “À Proa do Museu”

A noite do dia 8 de Agosto fechará com um jantar, “À Proa do Museu”, uma refeição servida pela Confraria Gastronómica do Bacalhau, que permitirá provar alguns sabores das dietas de bordo dos antigos lugres bacalhoeiros.

“A música encerra este dia longo e aberto a todos quantos nos queiram visitar e celebrar connosco o aniversário do Museu”, rematou o director do MMI.

 

Um vasto programa

O MMI vai festejar 72 anos de existência amanhã, presenteando todos os visitantes com um programa vasto.

Entre as 10 e as 24 horas o dia será aberto. Das 10 às 11.30 horas e das 16 às 17.30 horas vão haver demonstrações de nautimodelismo no lago do Museu.

Das 14 às 18 horas vão realizar-se ateliers temáticos. Às 18 horas tem lugar a sessão comemorativa, com uma palestra de José Luís Fernandes, membro da fundação Philadelphia Ship Preservation Guild - Gazela Primeiro.

Nesta altura será feita a abertura da exposição de tesouros da colecção do MMI - Bússolas e ainda a abertura da exposição “Nos Porões da Memória III” - fotografia e texto de Wayne Ralph.

Entre as 19.30 e as 22 horas será o Jantar de Bacalhoeiro, servido pela Confraria Gastronómica do Bacalhau, que inclui Pataniscas, Línguas, Chora, Feijoada de Samos e Massada de Bacalhau e custa 10 euros por pessoa.

Às 22 horas tem lugar o espectáculo de música no jardim interior do Museu intitulado “As 3 Marias” (www.myspace.com/3smarias).

 

“As 3 Marias”

“As 3 Marias” são um novo projecto musical, nascido no Porto. Na sua música notam-se influências dos clássicos do tango, misturados com flamenco, bolero, bossa, jazz e outros imaginários musicais.

Sendo o tango uma mistura de vários ritmos, de diferentes tendências, “As 3 Marias” optam pelo tango-canção, onde a letra tem a mesma relevância que a parte instrumental, característica deste estilo musical.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:41

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Junho de 2009

XI Feira de Artesanato e Gastronomia começa amanhã na Mealhada

A 11ª edição do certame promete muito artesanato, comes e bebes e animação

A abertura oficial da XI Feira de Artesanato e Gastronomia do Município da Mealhada vai decorrer amanhã, dia 6 de Junho, pelas 16 horas. Tem, assim, início mais uma edição do certame que conta com mais de 40 artesãos e a realização de trabalhos ao vivo, a melhor gastronomia regional, as “4 Maravilhas da Mesa da Mealhada” e muita, muita animação. Uma feira a visitar, seja pela arte e pelo engenho, seja pelos comes e bebes.

O espaço é apetecível e a feira tem muito para ver. Cestaria e a cerâmica, estanhos e tanoaria, bordados e renda, roupa, calçado ou bijutaria e peças de arte, muito artesanato, algum feito ali no local, pode ser visto no certame. No ar, está o cheiro da chanfana, dos negalhos e do bacalhau, do arroz doce, do leite-creme e do pão-de-ló, e claro está, das “4 Maravilhas da Mesa da Mealhada”, água, pão, vinho e leitão, que dão o aroma à festa e não deixam indiferente nenhum visitante da Feira de Artesanato e Gastronomia do concelho.

O certame conta ainda com muita animação no recinto, com espectáculos de rua, grupos folclóricos, fanfarras, filarmónicas, tunas académicas, grupos de jazz, karaoke e muita dança e com o sempre apetecido espaço das “tasquinhas” que, como é habitual, vai ser explorado por associações do concelho que vão representar cada uma das oito freguesias. Uma das grandes ambições das freguesias é mesmo vencer o tradicional concurso das tasquinhas, uma competição que determina qual a melhor do ano através de um questionário entregue a todos os artesãos participantes na feira e aos responsáveis por cada tasquinha, sendo que esses não podem, obviamente, votar na sua.

 

Programa                                                                          

Sábado, 6 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

16 horas – Abertura oficial da XI Feira de Artesanato e Gastronomia; 

17 horas – Grupo de Pauliteiros de Palaçoulo;

18 horas – Grupo de Cantares Tradicionais de São Miguel de Acha;

21 horas – Rancho Folclórico “As Tricanas” da Vila de Luso;

21.30 horas – Grupo de Pauliteiros de Palaçoulo;

22.30 horas – Escola de Samba “Juventude de Paquetá”.

Domingo, 7 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

16 horas – Os Pequenos Artistas da Expressão Musical;

17 horas – Escola de Samba “Sócios da Mangueira”;

18 horas – Grupo de Cantares de Condeixa;

19 horas – Míscaros;

21 horas – Desconcertuna;

21.30 horas – Pé na Terra.

Segunda-feira, 8 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

21 horas – Forrobodixie;

21.30 horas – Sabura CV.

Terça-feira, 9 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

21 horas – Strella do Dia;

22 horas – Drama & Dance.

Quarta-feira, 10 de Junho

9.30 horas - Prova de Atletismo “3 Milhas de Mealhada”;

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

16 horas – Os Pequenos Artistas da Expressão Musical;

17.30 horas – Rancho Folclórico e Etnográfico São João de Casal Comba;

18 horas – Tuna “As Mondeguinas”;

21 horas – Dixie Gringos – Jazz Band;

21.30 horas – Espectáculo surpresa de animação de rua;

22 horas – Tócandar.

Quinta-feira, 11 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

16 horas – Tok’Avacalhar;

17 horas – Batuk’Art;

18 horas – Tok’Avacalhar;

18.30 horas – Modas e Adufes – Grupo Etnográfico de Proença-a-Velha;

21 horas – Rancho Folclórico e Grupo Etnográfico da Pampilhosa;

21.30 horas – Espectáculo de fogo;

22 horas – Farra Fanfarra.

Sexta-feira, 12 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

21 horas – Filarmónica Lyra Barcoucense;

22 horas – Picä Tumilho.

Sábado, 13 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

16 horas – Amigos da Rambóia;

18 horas – Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz;

19 horas – Amigos da Rambóia;

21 horas – Grupo Folclórico e Etnográfico da Vimieira;

22 horas – Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz;

22.30 horas – Grupo de fados “Raízes de Coimbra”.

Domingo, 14 de Junho

Animação de rua com artes circenses em todo o espaço da feira

16.30 horas – Dance Fusion;

17 horas – Juventude Unida da Antes;

18 horas – Rancho Infantil e Juvenil de Ventosa do Bairro;

18.30 horas – Filarmónica Pampilhosense;

21 horas – Grupo Regional da Pampilhosa do Botão;

21.30 horas – RuBru Karaoke;

21.45 horas – Atribuição de Prémios do “1º Torneio de Ténis Feira de Artesanato e Gastronomia”;

22 horas – Atribuição de Prémios do “Concurso das Tasquinhas”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:10

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

Hoje é a vez do futebolista João Tomás mostrar dotes culinários em Oliveira do Bairro

Nuno Graciano veste papel de cozinheiro no Restaurante Quinta do Vale

Nuno Graciano foi o primeiro convidado da iniciativa “Cozinhar no Restaurante Quinta do Vale com...” no dia 3. O apresentador mostrou que também neste campo é capaz de “dar cartas”, deixando todos os comensais agradavelmente surpreendidos com os três pratos que confeccionou.

Nuno Graciano, que diz ter aprendido a cozinhar com a avó, trouxe três pratos da cozinha tradicional portuguesa: canja de galinha, onde usou a galinha cozida, “desfiada e também os miúdos”; arroz de polvo, “maladrinho, com o molho ainda a fervilhar nos pratos” e jardineira.

Na cozinha do restaurante, situado em Oliveira do Bairro e a funcionar desde Junho, contou com a “preciosa ajuda” dos dois chefes, Fernando Heleno (da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra) e Jorge Fernandes (da Escola de Hotelaria e Turismo de Mirandela), que prepararam a primeira degustação: salada de grão com bacalhau e couve, pasta de queijo com azeitona e orégãos e salada de atum com camarão e pimentos. Também a sobremesa esteve a cargo dos dois chefes: bavaroise de chocolate com bolo seco de coco, gelado de tangerina e coli de frutos vermelhos.

O júri, constituído pelos dois chefes do restaurante e por três jornalistas, teve acesso a uma ficha individual de avaliação, onde constavam cinco parâmetros de avaliação - apresentação, técnica, confecção, degustação e equilíbrio -, aos quais os pratos cozinhados por Nuno Graciano foram submetidos.

Os resultados finais ficaram no segredo dos Deuses, sendo só conhecidos no final da iniciativa, que para já vai prolongar-se durante quatro meses. Gustavo Maya e Carlos Ferreira, responsáveis pelo Quinta do Vale, admitem que como há pessoas em casa que não sabem cozinhar, decidiram ir buscar figuras públicas dos mais variados ramos “para assim dar o exemplo”.

Nuno Graciano, sempre sorridente, considerou a experiência “fantástica. Tive a possibilidade de reproduzir num restaurante o que faço em casa. São pratos de eleição que sirvo aos meus amigos”.

O apresentador de televisão repetiu que sem a ajuda dos dois chefes não teria conseguido o mesmo resultado, confessando ter acabado por aprender técnicas novas com ambos. Admitiu ter tido algum receio quando lhe foi proposto o desafio, “porque não sabia como transpor para restaurante o que faço em casa”.

Fernando Heleno gabou a actuação de Nuno Graciano, que mal entrou na cozinha colocou no mesmo momento “mãos à obra”. A cozinha “era dele. A coragem de trazer a cozinha tradicional portuguesa para esta noite é de se louvar. O Nuno Graciano levantou-se várias vezes da mesa para ir à cozinha espreitar os tachos, mostrando que não veio apenas para fazer uma refeição”.

Também Jorge Fernandes enalteceu a postura de Nuno Graciano, “muito à vontade e tranquila” e os pratos confeccionados.

Hoje a iniciativa continua, mas desta vez com João Tomás, jogador do Boavista Futebol Clube.

Convém lembrar que o restaurante vai estar aberto ao público em todas as noites que a iniciativa se realizar, por norma à sexta-feira ou sábado ao jantar. Mas quem se dirigir ao espaço nessas noites, terá de comer os pratos confeccionados pelas figuras públicas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:16

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008

Dinheiro reverte para obras na Capela de São Sebastião

Noite de fados na adega de José Cid, em Mogofores

A adega da Quinta do Cruzeiro, em Mogofores, Anadia, acolheu no dia 26 de Setembro, pela terceira vez, uma noite de fados, que teve como objectivo angariar fundos para o restauro da Capela de São Sebastião. E feitas as contas, foram mais de 2.500 euros que a Comissão conseguiu juntar, num convívio que durou até às 5 horas da manhã.

Foram 158 as pessoas que jantaram na adega da Quinta do Cruzeiro, quinta habitada pelo cantor José Cid, que também não faltou, cantando e encantando todos os que tiveram a oportunidade de o ouvir.

O jantar foi servido no meio dos pipos, num ambiente à média luz, onde não faltou o bacalhau no forno, bem regado com azeite e vinho tinto. O ambiente era de festa, estando tudo prestes a fazer silêncio, porque se ia cantar o fado.

 

Presença de 11 fadistas

Foram 11 os fadistas que emprestaram a voz numa noite que se revelou fria, mas que não deixou ninguém arredar pé até que terminasse. Os fados de Lisboa foram cantados por José Cid e Zé Perdigão, Silvina de Sá, Casimira Alves, Micaela Vaz e Pedro Oliveira.

Os fados de Coimbra foram ouvidos pela voz de Felisberto Queiroz, António Dinis, José Neves, José Miranda e Amaro Jorge.

A acompanhar o fado de Lisboa, na viola estiveram Manuel João Ferreira, Carlos Lima e Mário Estorninho. Na guitarra esteve Bruno Mira.

No fado de Coimbra, esteve à viola Carlos Larguesa e na guitarra Bruno Mira e Carlos Jesus.

A noite começou cerca das 21 horas e prolongou-se até às 5 horas. Até ser servida a sobremesa, pudim de ovos caseiro, os artistas subiram ao palco, improvisado com paletes e caixotes, para cantar fado de Lisboa, entre as 23 e as 2 horas da manhã. Só depois veio o saudoso fado de Coimbra, com os cantores envoltos nas capas negras. 

 

Capela de São Sebastião

A Capela de São Sebastião, em Mogofores, junto ao cemitério, está encerrada há dois anos, “quando iniciaram as obras de restauro”, explicou Carlos Marques, elemento da Comissão de Restauro da Capela de São Sebastião, constituída em Dezembro de 2002, já com o objectivo do restauro.

“As obras estão em fase de conclusão. Estamos a prever ter a obra pronta em Janeiro, para a devolver à população”, adiantou Carlos Marques.

O elemento da Comissão de Restauro lembrou que ao longo dos seis anos já foram realizadas diversas actividades para angariar fundos para a capela.

Foram organizados passeios de cicloturismo, cantadas as Janeiras, foram comemorados os Santos Populares, entre outras actividades.

De acordo com Carlos Marques, estão previstas mais acções até à conclusão da obra: “Estamos em fase de elaboração de outros projectos ao nível cultural, lúdico e religioso”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:47

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Setembro de 2008

Mercado Municipal de Anadia inaugurado

Feirantes descontentes reivindicam mais espaço

Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, inaugurou no último sábado, dia 6, o novo Mercado Municipal de Anadia, debaixo do descontentamento de alguns feirantes, nomeadamente os ambulantes, que depararam com o seu espaço de venda diminuído. Tal situação levou-os a acarretar com prejuízos, visto que pelo menos seis nem chegaram sequer a retirar das carrinhas a mercadoria para venda. Por seu turno, durante o discurso de inauguração, o edil anadiense prometeu resolver o problema ainda esta semana.

A obra custou cerca de 575 mil euros, tendo sido comparticipada em 50% pelos fundos comunitários.

Não foram apenas os ambulantes que se queixaram, mas também os vendedores das bancas, sendo exemplo Alexandre Rocha, que vende fruta e acusa a autarquia de não ter feito o que prometeu: “Pedimos inclinação nas bancas e tomadas para podermos ligar as balanças. Também pedimos o dobro do espaço, mas nada”, atirou. Também Antero Catão se queixa da falta de espaço, o que o levou a deixar fruta e hortícolas na carrinha. “É a minha mulher e filha que quando há lugar na banca vão buscar mais mercadoria à carrinha. Isto não se admite”, resmungou.

Maria Adelaide e Armando Oliveira são feirantes. Residentes na freguesia de Aguim, Anadia, vendem peças de vestuário e algum artesanato (cestos em palha). À semelhança de outros, queixam-se de não terem sido ouvidos pela autarquia anadiense relativamente ao espaço que necessitavam para vender os seus artigos.

 

Instalações modernas

Situado nas proximidades do Centro de Saúde de Anadia, o novo Mercado Municipal (que demorou três anos a construir) disponibiliza modernas e funcionais instalações em dois edifícios distintos, dispondo ainda de um terrado em recinto aberto. A área total de construção é de 2800 metros quadrados (m2), existindo também uma ampla zona de estacionamento.

No edifício principal, o mercado ocupa todo o rés-do-chão, numa área de cerca de mil m2, dispondo de lojas e de bancas específicas para a venda de carnes frescas e derivados, flores, charcutaria e queijos, pescado fresco e bacalhau, pão, pastelaria e produtos afins, hortícolas, frutas, plantas e sementes.

Num outro edifício, de menores dimensões e térreo, encontram-se as instalações sanitárias e sete lojas, dotadas de arrumos e com áreas que variam entre os 30 e os 35 m2.

Os 48 lugares do terrado destinam-se aos comerciantes de têxteis, calçado, quinquilharia, artesanato e outros.

O novo equipamento municipal vai acolher o mercado semanal de Anadia, que decorre ao sábado, das 7 às 14 horas, “mas agora num espaço agradável e moderno, com boas condições de segurança e higiene”, rematou Litério Marques.

A curto prazo vai ser também inaugurado o primeiro piso, correspondente ao “Ninho das Associações”, que vai assim alojar várias instituições do concelho que ainda não têm a sua sede própria.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:16

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

Parque de Merendas de Carvalhais, freguesia da Moita, Anadia

“Tertúlia D’Ágosto” volta a reunir

É já amanhã, dia 9 de Agosto, que a “Tertúlia D’Ágosto” vai voltar a reunir, no Parque de Merendas de Carvalhais, freguesia da Moita, concelho de Anadia, para confraternizar mais uma vez.

O encontro está marcado para as 19.30 horas. Traz a tua ferramenta. Se não tiveres, ser-te-á vendida a restante: prato, colher, caneca e garfo. Este ano há de entradas “sopas de cavalo cansado” e bacalhau à lagareiro de menu principal. Os novos membros terão que fazer o juramento da praxe.

Vai haver um julgamento. De acordo com o regulamento da Tertúlia, este julgamento tem cerca de 30 minutos de duração e decorre a meio da sessão, pelo que é aconselhável a presença de todos, para que, se possível, haja mais achegas. Só é permitido um advogado de acusação e um de defesa se o réu requisitar este último.

Inscrições até às 12 horas do dia, através do contacto 91 937 72 08 ou do Apartado 34, 3781-909 Anadia.

 

publicado por quiosquedasletras às 08:31

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 3 de Junho de 2008

Associações de Avelãs de Cima juntam-se para cozinhar “fiel amigo”

Bacalhau é rei no 1º Encontro Gastronómico

Vai realizar-se nos dias 7 e 8, no Centro Social da Freguesia “Lar Verde Pinho”, o 1º Encontro Gastronómico da Freguesia de Avelãs de Cima, onde o Bacalhau vai ser rei, pois todas as tasquinhas vão servir o “fiel amigo”, desafiando assim a imaginação de cada grupo participante na sua confecção.

As oito tasquinhas presentes vão estar a cargo das seguintes associações da freguesia: A Tasca do Pombo - Grupo Artístico Raízes Verde Pinho; Agrupamento de Escuteiros 836 Avelãs de Cima; Associação Académico de Avelãs de Cima; Associação Cultural e Recreativa Os Figueirenses; Associação Cultural e Recreativa da Candieira; AAFAAC - Associação Apoio Florestal e Ambiental de Avelãs de Cima; Os Kikos - Motards Canelas e União Cultural e Recreativa de Canelas.

No sábado vai haver animação com o “Duo Patrick”, podendo ser vista a nossa Selecção a jogar contra a Turquia, em ecrã gigante, e, claro, de seguida é possível jantar numa destas tasquinhas. Domingo pode-se almoçar e deliciar com a música de um duo de concertinas que vai assim animar a festa pela tarde fora.

Uma das responsáveis do evento adiantou ser um grande desafio para a freguesia, que contou desde cedo com a maioria das associações e com o apoio incondicional da Junta de Freguesia de Avelãs de Cima e do Centro Social “Lar Verde Pinho”, que disponibilizou todo o seu espaço e meios para se realizar o evento.

Fica o convite a todos os que queiram passar um fim-de-semana agradável, onde o prato forte vai ser a gastronomia a preços muito convidativos. Avelãs de Cima é já um ponto de referência na cultura do concelho de Anadia, sendo a freguesia com mais associações no activo. Um trabalho louvável.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:03

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Museu Marítimo de Ílhavo ...

XI Feira de Artesanato e ...

Hoje é a vez do futebolis...

Dinheiro reverte para obr...

Mercado Municipal de Anad...

Parque de Merendas de Car...

Associações de Avelãs de ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds