Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

Curia Tecnoparque recebe lançamento do número 36 da revista Aqua Nativa

Nova edição dedicada à freguesia de Tamengos, Anadia

Uma reflexão e análise históricas sobre um espaço carregado de memórias. Assim poderia definir-se a sessão de lançamento do número 36 da Revista de Cultura e História Local Aqua Nativa, edição dedicada a Tamengos, que juntou no auditório do Curia Tecnoparque, em Tamengos, alunos da Universidade Sénior da Curia (USC) e também muitos habitantes da localidade homenageada.

Nuno Rosmaninho, docente do Departamento de Línguas e Cultura da Universidade de Aveiro, proporcionou uma verdadeira aula de História Local a todos quantos puderam assistir ao lançamento de “Dossiê Tamengos”, cuja leitura permitirá uma “viagem pelo espaço, pelas pessoas e por quotidianos totalmente diferentes” dos que se conhecem hoje e que dizem respeito à realidade daquela freguesia do concelho de Anadia, até há 50 anos atrás.

O autor e investigador explicou que esta é uma temática com grandes “virtudes cívicas”, uma vez que poderá fazer “entender melhor e lutar por um lugar”. E como “o que há ainda para fazer é imenso”, este “Dossiê Tamengos” pode também ajudar a mostrar temas que funcionam como exemplos para quem quer investigar e fazer História Local, até porque “no concelho de Anadia poucas povoações têm estudos sistemáticos feitos”.

O investigador dá o exemplo da preservação do património das igrejas, que ainda não está estudado, e que é urgente “fotografar, medir e pesar”. O autor terminou deixando uma sugestão: a criação de uma “Carta Concelhia do Património”.

Para Alice Godinho, professora de Estruturas Socioculturais da USC, a revista Aqua Nativa - e este número em concreto, dedicado a Tamengos - vêm desempenhar um “importante papel na construção histórica”, revelando-se um “valioso instrumento de trabalho e investigação”.

O dossiê sobre Tamengos reúne um conjunto de realidades já passadas, permitindo também satisfazer a curiosidade dos habitantes de hoje.

Carlos Alegre, director e coordenador da Revista Aqua Nativa, descreveu a publicação como um “espaço de memórias, de histórias de vida”, convidando todos os que gostam de História Local a escrever, “porque realmente têm muito para dizer”.

Esta edição, que completa o 19º aniversário da revista, apresenta um conjunto de artigos e estudos sobre Tamengos ao longo da História, um trabalho de vários autores, que traça um perfil da localidade em cerca de metade da revista.

Está já a ser preparado o número 37 da Aqua Nativa, que incluirá um dossiê de estudos sobre Ancas.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:04

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 1 de Outubro de 2009

Dia Mundial do Idoso em Anadia

Clube de Ancas prepara um dia em cheio para todos os seniores

O Clube de Ancas - Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) vai comemorar hoje, dia 1 de Outubro, mais uma efeméride do Dia Mundial do Idoso.

Este ano o tema será a “Saúde Física e Mental na Idade da Sabedoria”.

De manhã, a população sénior que quiser aderir terá em atenção a sua parte física. Depois do almoço convívio será a vez de se preocuparem com a sua saúde mental.

Envolvendo técnicos qualificados e estando prevista muita animação, sugere-se a inscrição prévia na secretaria do Clube de Ancas.

 

Programa para o Dia Internacional do Idoso

Pelas 9 horas, credenciamento, com a recepção ao idoso. Serão feitos rastreios, com a colaboração da Farmácia Gina: medição de glicemia; medição de tensão arterial; medição do Índice de Massa Corporal e Peso e medição do colesterol.

Pelas 10.30 horas, aula de ginástica geriátrica aberta ao público e jogos e dinâmicas de grupo, com Rui Lopes. Às 12.30 horas está marcado o almoço convívio. A parte da manhã diz respeito à “Saúde Física na Idade da Sabedoria”.

À tarde, a preocupação será a mente. Às 14 horas vai ser feita a apresentação do plano de actividades para o ano 2009/2010, com a projecção de vídeo e fotos das actividades no ano de 2008/2009.

Segue-se “Karaoke para o Idoso”, uma sessão de esclarecimento dirigida por Sandra Simões - “Saúde Mental na Idade da Sabedoria”, terminando o dia com um baile e um lanche convívio.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:35

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Setembro de 2009

Ponte de Canha acaba com estrangulamento do trânsito

Nova infra-estrutura vem anular um dos pontos negros do tráfego no concelho de Anadia

No dia 10, o secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações, Paulo Campos, deslocou-se ao concelho de Anadia para inaugurar a nova Ponte de Canha, no lugar de Canha (freguesia de Arcos), a caminho de Sangalhos. Tratou-se de uma “inauguração há muito desejada”, como lembrou Litério Marques, presidente da Câmara Municipal.

“Esta obra vem anular um dos pontos negros do trânsito no nosso concelho”, sublinhou o autarca. E Paulo Campos foi peremptório: “Prometemos e cumprimos”. O governante veio a Anadia para assinalar a conclusão da obra de construção que liga a Estrada Nacional (EN) 235 à EN1, o que incluiu a substituição da velha e estreita Ponte de Canha.

Paulo Campos explicou que a obra, com 0,7 quilómetros de extensão, teve um custo de 2,3 milhões de euros, vindo “melhorar consideravelmente as condições de circulação no local”. De referir que a introdução de uma rotunda na articulação da EN235 com a EN1 vem “trazer mais segurança, contribuindo para a diminuição da sinistralidade rodoviária”.

 

Litério reivindica nó de ligação à A1 e construção da A32

Durante a cerimónia de inauguração, Litério Marques lembrou o slogan do Governo - “Aproximar Anadia” - e disse “que não se aplicava no caso. Continuamos sem ligação à Auto-estrada do Norte (A1) e a A32, por enquanto, não passa de uma miragem”, considerando esta última uma variante e não uma auto-estrada, como alternativa “à obsoleta EN1/IC2”.

O autarca disse que no caso da ligação à A1, “deste ponto à zona de Ancas/Amoreira da Gândara os custos são pouco significativos” e constituiria “uma resposta ao dito slogan”.

O governante deu conta que o nó de acesso à A1 está dependente de um estudo, “praticamente concluído, do IC12 entre Anadia e Mira. Trata-se de uma matéria que está a ser analisada do ponto de vista ambiental. Resta-nos aguardar”.

Por seu turno, sobre a A32 falou da probabilidade de haver necessidade de repetir o concurso (que já tinha sido lançado), devido às divergências dos valores apresentados pelo empreiteiro. No entanto, se “formos eleitos e continuarmos a ser Governo, uma das primeiras medidas que vamos tomar será o lançamento de novo concurso para conclusão desta auto-estrada”, garantiu, sublinhando ainda a “extrema importância da A32 para a Bairrada e para o distrito, onde se insere um conjunto de empresas com actividade significativa, assim como para Anadia, por não ter ligação às grandes vias rodoviárias”.

Paulo Campos sugeriu a Litério Marques para “convidar deputados europeus ou a presidente do partido da Oposição”, para testemunharem a verdadeira importância da A32.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:12

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Saneamento pode chegar aos 90%

Até Setembro será apresentada candidatura superior a 2 milhões de euros

Já está a funcionar a rede de saneamento de Ancas e de Paredes do Bairro, que vai para a ETAR de Sangalhos. De acordo com Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, a população pode a partir de agora começar a pedir a ligação à rede principal, sendo que “quem o fizer já é beneficiado com 50% de desconto”, disse o autarca.

De acordo com Litério Marques, estas redes de saneamento que começam agora a funcionar são todas “obras que tiveram início há três, quatro anos e praticamente pagas na íntegra pelo orçamento da Câmara Municipal de Anadia”.

O autarca garantiu, em conferência de Imprensa no dia 10, não ter havido comparticipação: “À excepção de uma parte de Paredes do Bairro, tudo o resto foi suportado pelo orçamento da autarquia”. Esta é, aliás, uma das razões apontadas por Litério Marques para a demora na conclusão da obra.

Com a entrada em funcionamento desta rede, as freguesias referidas - Ancas e Paredes do Bairro - ficam com uma cobertura praticamente total do saneamento.

 

Cobertura de 60%

Actualmente, e com esta obra, o concelho de Anadia apresenta uma cobertura de saneamento de 60%.

“Foi um esforço grande da parte da autarquia, uma vez que teve de suportar o financiamento de tudo”, frisou o edil anadiense.

Até ao mês de Setembro, Litério Marques vai apresentar uma candidatura que engloba redes e emissários, nomeadamente nas freguesias e lugares que drenam para o Rio Levira: Vilarinho do Bairro, Pedreira de Vilarinho e Torres e ainda Amoreira da Gândara.

 

Cobertura pode chegar a 90%

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Anadia, quando esta candidatura estiver concluída, vai fazer com que “90% do concelho tenha cobertura de saneamento”, sublinhou.

Esta candidatura tem um valor superior a 2 milhões de euros e diz respeito aos emissários e reformulação da ETAR de Sangalhos.

“As terras que drenam para o Rio Levira são neste momento a situação mais problemática do concelho”, disse Litério Marques, referindo a reformulação da ETAR de Sangalhos, projecto que integra a candidatura.

“A Câmara de Anadia só agora vai apresentar esta candidatura porque só agora os fundos comunitários estão disponíveis”, explicou o autarca, que não pôde deixar de lembrar que as taxas de saneamento e água cobradas no concelho de Anadia são “das mais baixas de toda a região”. (Foto: Ana Jesus Ribeiro)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:13

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

“IV Festival Internacional de Folclore de Ancas”

Freguesia de Ancas, Anadia, recebe evento amanhã e domingo

Dias 11 e 12 (sábado e domingo), na Quinta Convivial do Clube de Ancas, regressa ao concelho de Anadia nova edição do “Festival Internacional de Folclore de Ancas”. Este ano, o modelo será um pouco diferente dos anteriores, optando a organização por dois dias de festival em Ancas.

A intenção é proporcionar “espectáculos para toda a gente assistir”, onde a música crie um ambiente de festa e apele às raízes tradicionais dos diferentes povos e culturas e onde as músicas de raiz tradicional e popular são uma referência cultural fundamental dos processos de reafirmação da identidade dos povos.

 

O programa

Amanhã, pelas 21 horas, sobe ao palco o Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC). A partir da meia-noite tem início a After-Folk Party.

Já no dia 12, domingo, o Grupo “Sons de Avelãs”, da freguesia de Avelãs de Caminho, é o primeiro a apresentar-se no “IV Festival Internacional de Folclore de Ancas”, pelas 18 horas. Às 21 horas é a vez da Orquestra Típica e Rancho da Secção da Associação Académica de Coimbra dar espectáculo.

Pelas 21.45 horas sobe ao palco o Grupo Los Oyolos (França), grupo este que ficará instalado em Ancas durante cinco noites. Às 22.30 horas é a vez do Grupo Folclórico do Centro Social, Cultural e Recreativo de Paredes do Bairro. A noite encerra com o Grupo “Les Mutins de Longueuil”, do Quebec, Canadá, pelas 23.15 horas.

Esta é uma organização do Clube de Ancas, numa parceria de longa data com o Grupo Folclórico e Etnográfico de Recardães (GFER).

O evento conta com o apoio da Junta de Freguesia de Ancas, da população de Ancas, do concelho de Anadia e de muitos voluntários, que assim tornam possível a realização deste festival, que já trouxe ao concelho grupos de países como a Turquia, Grécia, Bulgária, Roménia, Polónia, Itália, Espanha e Argentina.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:00

link do post | comentar | favorito
Sábado, 30 de Maio de 2009

Concurso de Vestidos de Chita em Anadia

18ª Edição realiza-se no dia 6 de Junho

O Concurso de Vestidos de Chita vai voltar a animar a cidade de Anadia, decorrendo a sua 18º edição no próximo dia 6 de Junho (sábado), a partir das 21.30 horas, no Pavilhão Municipal dos Desportos de Anadia (Complexo Desportivo).

O certame, organizado pela Câmara Municipal de Anadia, conta este ano com a colaboração da Associação de Apoio Social de Vila Nova de Monsarros e da comissão organizadora que habitualmente se associa a esta iniciativa.

De acordo com o figurino, o concurso contará com dois desfiles: um de crianças com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos – categoria A, e outro para jovens de idade igual ou superior a 13 anos – categoria B.

Este ano participam no concurso 23 concorrentes (10 na categoria A e 13 na categoria B).

À semelhança da edição anterior, serão ainda entregues os prémios Fotogenia, da responsabilidade dos Órgãos de Comunicação Social presentes no certame e o prémio Costureira, da responsabilidade do Júri do concurso.

A animação estará a cargo da APPACDM de Avelãs de Caminho; do CADI, da Santa Casa da Misericórdia de Anadia e do Dance Fusion, do Clube de Ancas.

O espaço será ainda complementado com “O Cantinho da Criança”, e com uma mostra dos trabalhos realizados pelos utentes da Associação de Apoio Social de Vila Nova de Monsarros.

 

publicado por quiosquedasletras às 08:47

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 11 de Abril de 2009

José Oliveira deixa o apelo: “Seja responsável! Questione o seu estado vacinal”

Anadia é um dos concelhos melhor vacinados do distrito de Aveiro

O concelho de Anadia é o segundo com melhor cobertura vacinal no distrito de Aveiro, com uma percentagem que chega aos 80%, de toda a população. Ainda assim, há freguesias onde este índice se situa acima dos 90%, como são exemplos duas freguesias do concelho: Ancas (93,19%) e Aguim (92,15%).

Para José Oliveira, enfermeiro na Extensão de Saúde de Aguim e responsável concelhio pela vacinação, visto que integra a Coordenação Distrital, estes números devem-se ao “trabalho das equipas de saúde. A vacinação é um trabalho onde os enfermeiros assumem a liderança. No entanto não se pode desprezar o trabalho de nenhum outro funcionário, sendo precioso o incentivo feito pelos médicos aos próprios utentes” e a “colaboração do pessoal administrativo, a quem o programa informático fornece o alerta de falta de vacinação a cada contacto de utente não vacinado”. 

 

O Programa Nacional de Vacinação (PNV)

A vacinação, “só por si, permite evitar mais mortes e doenças do que qualquer tratamento médico”. É desta forma simples e resumida que José Oliveira tenta mostrar a verdadeira importância das vacinas, que representam “a saúde na sua vertente preventiva, visto terem a capacidade de proporcionar a prevenção das doenças infecciosas”.

O Programa Nacional de Vacinação (PNV) é um programa universal, gratuito e acessível a todas as pessoas presentes em Portugal. Apresenta um esquema de vacinação recomendado que constitui uma “receita universal”.

Nos anos seguintes à entrada em vigor do PNV, em 1965, verificou-se uma notável redução da morbilidade e da mortalidade pelas doenças infecciosas alvo de vacinação.

O novo PNV entrou em vigor em Janeiro de 2006, vindo assim substituir o de 2000.

O PNV de 2006 inclui as vacinas contra a tuberculose, a hepatite B, a difteria, o tétano, a tosse convulsa, a poliomielite, a doença invasiva por “Haemophilus influenzae do serotipo b”, o sarampo, a parotidite epidémica (ou papeira), a rubéola e a doença invasiva por “meningococos do tipo C” e a introdução de uma nova vacina contra o papiloma vírus humano.

“Em 2005, e após uma apurada auditoria a todo o Serviço Nacional de Saúde, a Organização Mundial de Saúde (OMS) considerou o nosso PNV o melhor do mundo, por ser o melhor implementado e mais abrangente, face às doenças existentes e às vacinas que as evitam e ainda o melhor rastreado”, afirmou José Oliveira, com orgulho.

 

Como funcionam as vacinas?

As vacinas são produtos químicos/biológicos que, “uma vez introduzidos no organismo, induzem, no sistema imunitário, a capacidade de reconhecerem os agentes causadores de doença infecciosa, de os combaterem ou de impedir a sua progressão”, explicou José Oliveira.

De uma forma mais figurativa, “as vacinas funcionam como imagens dos agentes de doença, fornecidos à memória imunitária. Esta, uma vez alertada para a existência desses agentes perniciosos, será capaz de emitir respostas adequadas ao combate e ao impedimento da instalação da doença”, referiu.

O esquema de vacinação recomendado tem como objectivo obter a melhor protecção, na idade mais adequada e o mais precocemente possível. As vacinas iniciam logo ao nascimento, com a administração das vacinas BCG (tuberculose) e hepatite B, estando incluídas vacinas para mais 10 doenças graves.

No que diz respeito a todas estas vacinas, existe uma cobertura até aos 18 anos de idade. Estas 12 vacinas são todas gratuitas. Após os 18 anos, o calendário apenas inclui a vacina anti-tetânica e a vacina contra a hepatite B para grupos de risco.

“Até aos 18 anos, no nosso concelho, com estas vacinas a cobertura é acima dos 95%, o que permite assegurarmo-nos da existência da imunidade de grupo”, adiantou José Oliveira. Ou seja, “o facto de uma larga percentagem da população estar vacinada funciona como protecção da população não vacinada, num fenómeno epidemiológico que toma este nome”.

 

A vacina anti-tetânica

Este facto só não se verifica com a doença tetânica: “Só está protegida toda a população se todos estiverem vacinados. A doença adquire-se através do contacto com fezes, terra, objectos sujos, mordeduras de animais, picadas de insecto, queimaduras e feridas”, explicou o enfermeiro.

“Cada morte que ocorre por doença tetânica é um fracasso da razão, é um fracasso da humanidade. A doença é absolutamente evitável pela vacinação”, afirmou José Oliveira, que defende que a cobertura da vacina deveria ser de 100%. Contudo, actualmente, as taxas de cobertura vacinal, no distrito de Aveiro, rondam os 70%, “facto que muito nos preocupa”, referiu.

As pessoas estão protegidas depois de efectuarem três doses. (Foto: Davide Silva)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:28

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2009

Várias localidades são afectadas e muitos hectares de vinhedo podem desaparecer

José Manuel Ribeiro considera traçado do TGV “um atentado” para Anadia

José Manuel Ribeiro, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD na Assembleia da República (AR), considera o traçado do TGV e “corredores de protecção”, no caso concreto do município de Anadia, “um verdadeiro atentado”, porque “passam à tangente” junto de várias localidades, também “destruindo várias dezenas de hectares de vinhedo, aniquilando aquela que é porventura a principal riqueza da região”.

É desta forma que o deputado se insurge face à Resolução do Conselho de Ministros (RCM), datada de 8 de Janeiro de 2009, e que o Governo fez publicar em Diário da República. Esta RCM faz assim aprovar a delimitação de áreas do TGV para o concelho de Anadia, por abranger o traçado entre Pombal e Oliveira do Bairro.

“O Governo, à conta do TGV, aprova um ‘colete de forças’ que vem criar ainda mais restrições e limitações ao município de Anadia, com prejuízo para o seu desenvolvimento e progresso”, afirma José Manuel Ribeiro, fazendo referência ao Plano Director Municipal de Anadia (PDM), que leva já cerca de uma década a ser revisto, podendo “sofrer mais um percalço, prejudicando ainda mais o concelho”.

Tal facto deve-se - como explica no requerimento que entregou na mesa da AR, no passado dia 11, dirigido ao Governo, nomeadamente ao Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino -, à definição do traçado do TGV e também porque as áreas abrangidas por medidas preventivas ficam sujeitas a parecer prévio vinculativo da Rede Ferroviária Nacional (REFER).

Criação de novos núcleos populacionais, incluindo operações de loteamento; construção, reconstrução ou ampliação de edifícios ou de outras instalações; instalação de explorações ou ampliação das já existentes; alterações importantes, por meio de aterros ou escavações, à configuração geral do terreno; derrube de árvores em maciço, com qualquer área e destruição do solo vivo e do coberto vegetal são alguns exemplos.

Ao analisar as plantas do traçado previsto, José Ribeiro diz ficar “escandalizado” com o que vê. “Na verdade, com o traçado e os ‘corredores’ que o Governo apresenta, o TGV ‘passa à tangente’ junto de várias localidades”. E continua: “A entrada sul do município de Anadia tem dois ‘corredores’. As localidades que poderão vir a ser bastante prejudicadas são Tamengos, Curia, Horta, Ribafornos, Óis do Bairro, São Lourenço do Bairro e Ancas, entre outras”.

A verificar-se, o deputado garante que esta situação “retirará qualidade de vida aos munícipes, em especial aos destas localidades”.

 

Destruição de vinhedo

José Ribeiro constata ainda que, além da criação de um “rasgo inaceitável, uma barreira anti-natural que é efectuada no município de Anadia, o projecto TGV irá destruir várias dezenas de hectares de vinhedo, aniquilando aquela que é porventura a principal riqueza da região”.

“Destrói vinhas, arruína uma beleza natural sem paralelo e intromete-se, devastadoramente, em projectos de assinalável sucesso na região e no país. Esta situação é inaceitável e incompreensível!”, frisa, no requerimento entregue no dia 11.

José Ribeiro questiona, assim, Mário Lino, para saber se o Governo tem noção do enorme prejuízo que o traçado do TGV e os “corredores de protecção” vêm causar a Anadia. O deputado também quer saber se as autarquias locais que podem vir a ser afectadas foram auscultadas, incluindo a Câmara de Anadia.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:36

link do post | comentar | favorito
Sábado, 14 de Fevereiro de 2009

Grupo “ÓQTRUP” hoje em Anadia

Espectáculo “RIT” no novo Cine-Teatro Municipal

O Cine-Teatro de Anadia vai receber o espectáculo “RIT - Rádio Interferência & Televisão”, com Luís Portugal, do grupo “ÓQTRUP”, hoje, dia 14 de Fevereiro, pelas 22 horas.

Depois do êxito da emissão de rádio imaginária, em que a fusão de duas artes nobres - a música e o teatro (comédia) - foi o garante de uns intensos 90 minutos, em que os “ÓQTRUP” personificaram de forma interveniente as personalidades e os acontecimentos de maior mediatismo, bem como, para gáudio dos “ouvintes”, fizeram cumprir a lei da rádio 4/2001, de 23/2: não 40, nem 60… mas 100% de música portuguesa, sem direito a livro de reclamações.

A “Alta Autoridade para a Comunicação Social” concede aos “ÓQTRUP”, sem direito a recurso por parte dos mesmos, a exploração do novo canal de televisão, de serviço público: RIT (Rádio Interferência & Televisão).

Trata-se de um espectáculo com a duração de aproximadamente uma hora, que conjuga, da forma mais original, a música e a comédia.

A entrada para este espectáculo é gratuita.

E é desta forma que inicia a programação cultural do Cine-Teatro Municipal de Anadia, uma semana após a inauguração.

 

Próximos espectáculos

Para já, a Câmara Municipal de Anadia tem já em agenda mais três espectáculos, que vão assim preencher todo o mês de Fevereiro.

O próximo é já no dia 20 de Fevereiro (sexta-feira), a partir das 22 horas. A noite vai ser dedicada à dança. Vão subir ao palco elementos do Projecto CADI, da Santa Casa da Misericórdia de Anadia; do Centro Social, Cultural e Recreativo de Poutena (Vilarinho do Bairro) e ainda do Clube de Ancas, que virá fazer uma demonstração da modalidade Dance Fusion.

No dia 21 de Fevereiro, pelas 22 horas, o grupo Raízes Verde Pinho, do Centro Social, Cultural e Recreativo da Freguesia de Avelãs de Cima vai trazer teatro de revista ao palco do Cine-Teatro Municipal de Anadia. Também vão actuar “Cantigas da Fonte”, música popular.

Dia 28 de Fevereiro, às 22 horas, actuam os “Popularis”, conhecido grupo de música de expressão celta e medieval, e também de música popular portuguesa.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:18

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Plenário do Conselho Local de Acção Social

Concelho de Anadia pode ganhar mais respostas sociais

No dia 13, a Câmara Municipal de Anadia realizou mais um plenário do Conselho Local de Acção Social (CLAS) de Anadia, onde foram dados a conhecer os pareceres favoráveis do Núcleo Executivo da Rede Social para a implementação de duas novas respostas sociais no Club de Ancas (Serviço de Apoio Domiciliário e Centro Comunitário) e para um pedido de alargamento para mais 13 camas no Lar de Idosos do Centro Social, Cultural e Recreativo da Freguesia de Avelãs de Cima.

Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, foi quem procedeu à sessão de abertura, começando por dizer que continuamente recebe na autarquia pedidos de colaboração da Rede Social de Anadia com outras redes, o que prova “o bom trabalho que está a ser feito em Anadia”.

O autarca falou ainda do êxito que foi a segunda edição da Feira Social de Anadia, “conseguido por as instituições do concelho se terem empenhado e participado de forma eficiente”.

O edil anadiense terminou afirmando que “toda a gente diz que Anadia tem tudo, ao nível das respostas sociais. Mas não nos podemos acomodar, porque ainda há carências no concelho. Temos de continuar a reivindicar”.

Dora Gomes, técnica responsável pela Rede Social de Anadia, deu a conhecer que o núcleo suspendeu um dos parceiros - a Associação Empresarial de Águeda (AEA) -, pela “ausência de não participação total há mais de um ano e meio”. E disto foi discutido e decidido ser incluído no regulamento interno da Rede Social de Anadia o período de um ano e meio sem participação total para os parceiros serem suspensos.

 

Um novo parceiro

Por outro lado, este plenário, o último de 2008, serviu para a adesão de um novo parceiro ao CLAS de Anadia, a WRC - ADR, SA, que foi apresentado e discutido entre todos os parceiros, sendo o primeiro projecto social da WRC a Universidade Sénior da Curia (USC) e o segundo o Espaço Internet.

Artur Castro, da Direcção do Club de Ancas, com mais de 100 anos e que entre 2002 e 2005 passou para Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), explicou que o Club divide-se em núcleos.

Para o dirigente, a resposta Serviço de Apoio Domiciliário justifica-se porque na população de Ancas “só quatro utentes beneficiam de instituições à volta. Mas havendo intervenção local esse número será maior. Além disso não será uma resposta convencional, vamos oferecer mais serviços”. A resposta social Centro Comunitário vai ser um “pólo dinamizador ao nível local e regional”.

A ampliação do Lar de Idosos de Avelãs de Cima, em 13 camas, deve-se à lista de espera: “Temos 47 camas ocupadas. Não temos mais porque não podemos. Queremos passar para 60 camas comparticipadas, porque temos condições para isso”, disse Carlos Martins, presidente da instituição.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:54

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Receba o Quiosque

Insira o seu endereço de e-mail:

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Curia Tecnoparque recebe ...

Dia Mundial do Idoso em A...

Ponte de Canha acaba com ...

Saneamento pode chegar ao...

“IV Festival Internaciona...

Concurso de Vestidos de C...

José Oliveira deixa o ape...

Várias localidades são af...

Grupo “ÓQTRUP” hoje em An...

Plenário do Conselho Loca...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Rostos SAPO Local

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds