Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009

Bronca da semana

IGAOT suspeita da legalidade da expansão de cinco Zonas Industriais em Anadia

Segundo informação da Inspecção-Geral do Ambiente e Ordenamento do Território (IGAOT), emitida na sequência de diversas denúncias sobre a gestão do território no concelho da Anadia, com desflorestação e obras de escavação e aterros em áreas da Reserva Ecológica Nacional (REN), veio a mesma confirmar violações ao Plano Director Municipal (PDM) de Anadia e infracções verificadas em diversas Zonas Industriais do município, situação que levou a determinar uma inspecção, com carácter de urgência, à avaliação do cumprimento do regime jurídico da REN naquele município.

A IGAOT avaliou cinco processos administrativos relativos à expansão não programada de cinco Zonas Industriais no concelho de Anadia - Amoreira da Gândara, Paraimo, Vilarinho do Bairro, Vale Cid e Vale de Salgueiro -, sobre área condicionada pelo regime da REN.

“O primeiro processo refere-se à desflorestação e escavação em REN, até ao aquífero em Vale de Salgueiro, freguesia de Arcos, com deposição de resíduos de construção e demolição e outros mais perigosos, onde se tinha alertado para o risco de contaminação das águas de nascentes e captações de uso público”, como pode ler-se no comunicado emitido pela Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza.

Outro dos casos refere-se à execução de obras numa Zona Industrial “que não está aprovada, em Vilarinho do Bairro, sem que tenha sido realizada Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) e onde ocorreu o abate ilegal de um povoamento de sobreiros”.

A Quercus e a Aquaecuriva - Associação para a Defesa do Património Ambiental e Cultural da Bairrada, através da sociedade de advogados “Almeida Ribeiro e Associados”, interpuseram uma providência cautelar, contra o município de Anadia, por violar de forma grave e continuada o PDM respectivo, para expansão da Zona Industrial de Amoreira da Gândara em área condicionada da REN.

 

Providência cautelar confirmada leva à suspensão dos trabalhos

Já no dia 20 de Outubro o Tribunal Administrativo e Fiscal de Aveiro tinha decretado provisoriamente a providência cautelar. Todavia, no passado dia 12 de Dezembro, o mesmo Tribunal confirmou o decretamento provisório da providência cautelar, determinando a suspensão imediata de todos e quaisquer trabalhos, seja de arranque de sobreiros ou outras árvores, desmatação, movimentação de terras, escavação, depósito de entulhos e arruamentos na zona da REN, não tendo o município de Anadia deduzido qualquer oposição judicial.

“Nos termos da decisão judicial, o município de Anadia viola de forma grave, sistemática e continuada o PDM aprovado e em vigor para o concelho, na freguesia de Amoreira da Gândara, mais precisamente na Zona Industrial e na área limítrofe e de expansão à referida zona, passando de 8,4 hectares (ha) para 42,7 ha, sem ter promovido a obrigatória AIA, efectuando uma intervenção ilegal sobre uma área florestal com povoamento de pinheiro-bravo, eucalipto e onde existem cerca de 600 sobreiros, em REN, quando existem alternativas para a instalação de novas indústrias”, refere o comunicado da Quercus.

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), no dia 27 de Agosto, intimou o presidente da Câmara Municipal de Anadia, Litério Marques, a apresentar, no prazo de 90 dias, um plano de recuperação ambiental e paisagística de toda a área intervencionada em solo afecto à REN, “plano esse que desconhecemos tenha sido apresentado por esta autarquia. A CCDRC considera também que as intervenções efectuadas em áreas vinculadas pelo regime jurídico da REN constituem uma contra-ordenação ambiental muito grave”, termina a Quercus.

O Quiosque das Letras tentou ouvir Litério Marques, mas sem sucesso.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:30

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

Sexagenária esfaqueada até à morte em noite de assaltos

Aldeia da Madureira, em Amoreira da Gândara, Anadia, chocada com homicídio de Maria Alice Jesus

Maria Alice Jesus, com 63 anos e viúva há dois, foi brutalmente assassinada na madrugada do passado sábado (de 20 para 21 de Novembro), com várias facadas na cara e no pescoço e uma pancada na cabeça, no interior do seu mini-mercado, situado no lugar de Madureira, freguesia de Amoreira da Gândara, concelho de Anadia.

O clima que se vive na aldeia, desde sábado de manhã, é de medo e consternação. Foram os próprios vizinhos que descobriram o cadáver, cerca das 7 horas da manhã.

“Estranhámos a Maria Alice não ter aberto as portas da mercearia e os sacos do pão ainda estarem pendurados cá fora. Foi quando três vizinhos se juntaram para entrar dentro de casa, com a a juda de um escadote, pela varanda que dava para o quarto dela”, conta Lucília Ferreira Moreira, vizinha, que veio à porta da Tasquinha do Gala à procura da data e hora do funeral, ontem, dia 24.

Contudo, nas portas e vidros daquela que era a única mercearia e café da Madureira, e dos quais Maria Alice era proprietária, ainda não estava nenhuma informação relativa ao funeral.

Lucília Moreira continuava incrédula. Diz que ninguém se apercebeu de nada na noite do crime. “Nem os vizinho da frente”. Só quando entraram na casa da vítima e depois de a percorrer, foram encontrar a sexagenária numa arrecadação junto à mercearia, tombada e de bruços, já sem vida, conforme explicou a vizinha.

 

“Uma boa mulher”

Lucília Moreira contou ao Quiosque das Letras que na noite do crime, cerca das 20.30 horas, esteve com a proprietária da Tasquinha do Gala na mercearia, “porque recebi uma carta em casa para uma pessoa que eu desconhecia e fui ter com ela para ver se sabia de quem se tratava. Disse-me que tinha muito que fazer e que ali ficaria pelo serão, porque estava com a máquina de etiquetar a colocar preços nos produtos”.

A vizinhança admite que os autores do homicídio devem ter surpreendido Maria Alice na merceria, tendo trancado a porta quando saíram e lamenta a perda de “uma boa mulher”, admitindo que “vai fazer falta na aldeia a Ti Maria Alice”.

 

Dez facadas

As perícias realizadas ao cadáver revelam ter sido esfaqueada por dez vezes, sendo que a mulher foi ainda agredida na cabeça, ao que parece com uma pedra. O cenário onde foi encontrada, com as paredes ensanguentadas, deu a entender às autoridades que a idosa ofereceu resistência e lutou, com todas as forças, contra quem a matou.

O cadáver foi transportado para o Instituto de Medicina Legal de Aveiro, onde a causa da morte terá sido apurada na autópsia.

Os assaltantes roubaram dinheiro e tabaco. Suspeita-se que os mesmos indivíduos sejam os responsáveis pelo assalto à Igreja Matriz de Amoreira da Gândara - de onde foram furtadas três cruzes em prata, avaliadas em cerca de 40 mil euros, usadas nas procissões da aldeia - e um talho, de onde levaram dinheiro e chouriças, na mesma madrugada. 

 

Assaltantes a monte

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro, a quem está entregue o caso, continua a investigar vestígios dos autores do crime, que continuam a monte. De acordo com fonte policial, esta investigação “é prioritária”.

A presença de elementos da PJ na aldeia da Madureira tem mantido a população mais tranquila. Mas o ambiente não deixa de ser de tensão e medo. Lucília Moreira revelou que as filhas e genros “têm ficado a dormir cá em casa. Nós não queremos deixar a nossa casa, para ir viver com eles. Mas temos algum receio”.

O funeral de Maria Alice Jesus Gala deve acontecer hoje, dia 25.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:01

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Setembro de 2009

Ponte de Canha acaba com estrangulamento do trânsito

Nova infra-estrutura vem anular um dos pontos negros do tráfego no concelho de Anadia

No dia 10, o secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações, Paulo Campos, deslocou-se ao concelho de Anadia para inaugurar a nova Ponte de Canha, no lugar de Canha (freguesia de Arcos), a caminho de Sangalhos. Tratou-se de uma “inauguração há muito desejada”, como lembrou Litério Marques, presidente da Câmara Municipal.

“Esta obra vem anular um dos pontos negros do trânsito no nosso concelho”, sublinhou o autarca. E Paulo Campos foi peremptório: “Prometemos e cumprimos”. O governante veio a Anadia para assinalar a conclusão da obra de construção que liga a Estrada Nacional (EN) 235 à EN1, o que incluiu a substituição da velha e estreita Ponte de Canha.

Paulo Campos explicou que a obra, com 0,7 quilómetros de extensão, teve um custo de 2,3 milhões de euros, vindo “melhorar consideravelmente as condições de circulação no local”. De referir que a introdução de uma rotunda na articulação da EN235 com a EN1 vem “trazer mais segurança, contribuindo para a diminuição da sinistralidade rodoviária”.

 

Litério reivindica nó de ligação à A1 e construção da A32

Durante a cerimónia de inauguração, Litério Marques lembrou o slogan do Governo - “Aproximar Anadia” - e disse “que não se aplicava no caso. Continuamos sem ligação à Auto-estrada do Norte (A1) e a A32, por enquanto, não passa de uma miragem”, considerando esta última uma variante e não uma auto-estrada, como alternativa “à obsoleta EN1/IC2”.

O autarca disse que no caso da ligação à A1, “deste ponto à zona de Ancas/Amoreira da Gândara os custos são pouco significativos” e constituiria “uma resposta ao dito slogan”.

O governante deu conta que o nó de acesso à A1 está dependente de um estudo, “praticamente concluído, do IC12 entre Anadia e Mira. Trata-se de uma matéria que está a ser analisada do ponto de vista ambiental. Resta-nos aguardar”.

Por seu turno, sobre a A32 falou da probabilidade de haver necessidade de repetir o concurso (que já tinha sido lançado), devido às divergências dos valores apresentados pelo empreiteiro. No entanto, se “formos eleitos e continuarmos a ser Governo, uma das primeiras medidas que vamos tomar será o lançamento de novo concurso para conclusão desta auto-estrada”, garantiu, sublinhando ainda a “extrema importância da A32 para a Bairrada e para o distrito, onde se insere um conjunto de empresas com actividade significativa, assim como para Anadia, por não ter ligação às grandes vias rodoviárias”.

Paulo Campos sugeriu a Litério Marques para “convidar deputados europeus ou a presidente do partido da Oposição”, para testemunharem a verdadeira importância da A32.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:12

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 30 de Julho de 2009

CDS-PP de Anadia “renovado” apresenta candidatos

Maria do Céu Castelo-Branco e Sidónio Simões não perdoam críticas ao actual Executivo PSD

O CDS-PP de Anadia apresentou os candidatos aos órgãos autárquicos. Maria do Céu Castelo-Branco, candidata à Câmara Municipal de Anadia, era o único nome conhecido. Mas no dia 25, João Tiago Castelo Branco, presidente da Concelhia, deu a conhecer um “CDS renovado”, apresentando Sidónio Simões como cabeça de lista à Assembleia Municipal, 10 candidatos às Juntas de Freguesia e o mandatário da lista, Adelino Ferreira da Silva.

Militante activo do CDS-PP, o mandatário foi o 39º presidente da Câmara de Anadia, tendo exercido funções entre 1963 e 1974. Disse ter aceite o convite pelo seu percurso de militante centrista, considerando-o um “prémio” pelo serviço que sempre prestou ao partido.

Sidónio Simões, engenheiro civil, é o candidato à presidência da Mesa da Assembleia Municipal pelo partido. Apontou como principal razão para ter aceitado o convite poder vir a “contribuir para mudar as práticas”, porque considera que aos munícipes deve ser dita a verdade, “tão clara como a fonte e como o dia”, devendo estes estar sempre envolvidos num processo participativo na tomada de decisões relevantes.

 

Sidónio Simões critica Executivo de Litério Marques

“O município de Anadia carece, há anos, de uma gestão urbana planeada, programada a longo prazo e divulgada. Os centros estão desertificados, fruto de uma utilização preferencial do comércio terciário na cidade e do abandono de imóveis localizados em áreas centrais dos vários aglomerados urbanos das freguesias, situação que urge inverter”, defendeu o engenheiro.

Sidónio Simões não poupou as críticas ao actual Executivo liderado por Litério Marques, enumerando situações como “um sem número de construções clandestinas dos ‘amigos do poder’, que à partida parece terem facilitado a ‘vida’ aos proprietários, mas que a curto prazo terão custos elevadíssimos de legalização, se esta for possível”. A demolição indiferenciada de património edificado também mereceu a atenção do candidato.

Por seu turno, a candidata à Câmara, Maria do Céu Castelo-Branco, evidenciou que os candidatos que integram as listas autárquicas dos populares de Anadia aceitaram o desafio porque entendem que “as políticas governativas actuais não têm resolvido os problemas essenciais do concelho e dos seus munícipes”.

“Não sou política. Sou uma cidadã que se preocupa com o seu concelho e que quer boas práticas políticas de rigor e transparência”, disse.

 

Candidatos às Juntas de Freguesia

João Tiago Castelo Branco apresentou 10 candidatos às Juntas de Freguesia do concelho de Anadia, revelando que os cinco em falta estão ainda a ser procurados, sendo que dois deles já estão quase definidos.

Para a Junta de Mogofores os populares escolheram António Oliveira, contabilista, para cabeça de lista. Amoreira da Gândara conta com António Augusto Marques da Silva, avicultor, para candidato à Junta de Freguesia pelo CDS-PP.

O cabeça de lista na freguesia de Avelãs de Cima é Hernâni Rodrigues, ex-secretário da Junta de Freguesia pelo PSD, que recentemente pediu demissão. Trajano Martins é o candidato escolhido pelo CSD-PP para a Junta de Freguesia de Sangalhos.

Anselmo Rodrigues das Neves é o cabeça de lista em São Lourenço do Bairro e Nuno Seabra em Vilarinho do Bairro. O candidato popular apresentado para Tamengos é António Ribeiro Pimentel. Para a Junta de Freguesia de Aguim o eleito pelo CDS local é João Dias de Castro.

O presidente da Concelhia indicou mais dois nomes: José Baptista Gomes, para a Junta de Arcos e Jorge Matos para a Freguesia da Moita.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:28

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Saneamento pode chegar aos 90%

Até Setembro será apresentada candidatura superior a 2 milhões de euros

Já está a funcionar a rede de saneamento de Ancas e de Paredes do Bairro, que vai para a ETAR de Sangalhos. De acordo com Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, a população pode a partir de agora começar a pedir a ligação à rede principal, sendo que “quem o fizer já é beneficiado com 50% de desconto”, disse o autarca.

De acordo com Litério Marques, estas redes de saneamento que começam agora a funcionar são todas “obras que tiveram início há três, quatro anos e praticamente pagas na íntegra pelo orçamento da Câmara Municipal de Anadia”.

O autarca garantiu, em conferência de Imprensa no dia 10, não ter havido comparticipação: “À excepção de uma parte de Paredes do Bairro, tudo o resto foi suportado pelo orçamento da autarquia”. Esta é, aliás, uma das razões apontadas por Litério Marques para a demora na conclusão da obra.

Com a entrada em funcionamento desta rede, as freguesias referidas - Ancas e Paredes do Bairro - ficam com uma cobertura praticamente total do saneamento.

 

Cobertura de 60%

Actualmente, e com esta obra, o concelho de Anadia apresenta uma cobertura de saneamento de 60%.

“Foi um esforço grande da parte da autarquia, uma vez que teve de suportar o financiamento de tudo”, frisou o edil anadiense.

Até ao mês de Setembro, Litério Marques vai apresentar uma candidatura que engloba redes e emissários, nomeadamente nas freguesias e lugares que drenam para o Rio Levira: Vilarinho do Bairro, Pedreira de Vilarinho e Torres e ainda Amoreira da Gândara.

 

Cobertura pode chegar a 90%

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Anadia, quando esta candidatura estiver concluída, vai fazer com que “90% do concelho tenha cobertura de saneamento”, sublinhou.

Esta candidatura tem um valor superior a 2 milhões de euros e diz respeito aos emissários e reformulação da ETAR de Sangalhos.

“As terras que drenam para o Rio Levira são neste momento a situação mais problemática do concelho”, disse Litério Marques, referindo a reformulação da ETAR de Sangalhos, projecto que integra a candidatura.

“A Câmara de Anadia só agora vai apresentar esta candidatura porque só agora os fundos comunitários estão disponíveis”, explicou o autarca, que não pôde deixar de lembrar que as taxas de saneamento e água cobradas no concelho de Anadia são “das mais baixas de toda a região”. (Foto: Ana Jesus Ribeiro)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:13

link do post | comentar | favorito
Domingo, 14 de Junho de 2009

Vestidos de Chita voltam a concurso, em Anadia, pela 18ª vez

Mariana Alves vence categoria A e Daniela Simões vence a B

Curtos ou compridos, mais ou menos coloridos, decotados e ousados. O requisito obrigatório dos vestidos que desfilaram - na noite do dia 6 - na passerelle improvisada no Pavilhão Municipal dos Desportos de Anadia era um: o tecido tinha de ser a chita. Ou não se tratasse do Concurso de Vestidos de Chita de Anadia.

Cerca de 600 pessoas preencheram o espaço para assistir à 18ª edição.

O concurso contou, como é habitual, com dois desfiles: um de crianças com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos - categoria A, e outro para jovens de idade igual ou superior a 13 anos - categoria B.

 

Mariana Alves foi a vencedora da categoria A

O vestido vencedor da categoria A foi o da pequena Mariana Alves, com sete anos, natural da freguesia de Óis do Bairro. O segundo lugar foi para Rita Neves, com nove anos, natural da freguesia de Tamengos. O terceiro lugar foi atribuído ao vestido de Filipa Oliveira, oito anos, da freguesia de Amoreira da Gândara.

Foram 11 as concorrentes nesta categoria dedicada às mais novas.

À semelhança do que aconteceu na anterior edição, a Comunicação Social presente elegeu o Prémio Fotogenia, que na categoria A foi para Beatriz Rebelo, com 11 anos, da freguesia de Vila Nova de Monsarros.

 

Vestido de Daniela Simões vence a categoria B

Na categoria B, o júri escolheu o vestido de Daniela Simões para vencedor. Natural da Malaposta, freguesia de Arcos, com 18 anos, a vencedora desta categoria disse que este foi o quarto ano que concorreu. “Apenas tinha ganho um título de Miss Simpatia. Mas como primeira classificada, esta é a minha primeira vitória”, explicou.

Daniela Simões - estudante no 12º ano de Ciências Sociais e Humanas, na Escola Secundária de Anadia -, além de ter sido a vencedora da categoria B, foi também a eleita dos jornalistas presentes para o Prémio Fotogenia, o que a levou a afirmar que ganhar dois prémios numa só noite “teve um significado muito especial”.

Veronique Ferreira, 20 anos, do Pereiro (freguesia da Moita) ficou em segundo lugar, num total de 12 concorrentes. A terceira classificada foi Miriam Santos, 24 anos, natural da Póvoa do Pereiro (Moita).

 

Prémio Costureira

O Prémio Costureira, da responsabilidade do júri do concurso, foi entregue a Maria Antonieta Oliveira, que costurou o vestido de Daniela Simões, vencedora da categoria B.

“Demorei uma semana, de intenso trabalho, a fazer o vestido da Daniela, que foi idealizado pelas duas. Certos pormenores fomos vendo com o acabamento”, explicou a costureira, natural de Vale de Avim (freguesia da Moita).

Maria Oliveira disse ao Quiosque das Letras que concorre há cinco anos, mas “sempre com uma menina da categoria A, que chegou a ficar em segundo e terceiro lugar. Este ano foi diferente. Foi a primeira vitória”, disse a também costureira da escola de samba da Mealhada “Juventude de Paquetá”.

Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, lembrou que de ano para ano há “uma crescente dinâmica e melhoria tanto na participação de candidatas, que ultrapassa já o concelho de Anadia, como na apresentação, rigor e criatividade dos vestidos que por aqui desfilaram”.

Esta edição contou com a colaboração do Centro de Apoio Social de Vila Nova de Monsarros.

 

publicado por quiosquedasletras às 07:45

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Terceira idade em festa nos Três Pinheiros

Cerca de 400 idosos celebram o Carnaval na discoteca

O Best Western Quinta dos Três Pinheiros, na Mealhada, acolheu gratuitamente, na tarde do dia 18, algumas iniciativas que tinham como grande objectivo fazer respirar o ar carnavalesco entre diferentes instituições.

O Baile de Carnaval Inter-Institucional foi uma delas, contando com a presença de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e Misericórdias do distrito de Aveiro, sendo em maior número as do concelho de Anadia.

Foram cerca de 400 utentes, oriundos das seguintes instituições: APPACDM de Anadia, Associação Social de Avelãs de Caminho, Centro Social de Aguim, Avelãs de Cima, Paredes do Bairro, Poutena, Casa do Povo de Amoreira da Gândara, Clube de Ancas, Centro Social de Mogofores, Vila Nova de Monsarros, Centro Paroquial de Esgueira (Aveiro), Paraíso Social de Aguada de Baixo (Águeda), Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, Anadia, Sangalhos, Aveiro e Lar de Antes.

Nesta tarde, onde se viveu uma verdadeira festa de Carnaval, esteve também presente o director do Centro Distrital de Segurança Social de Aveiro, Celestino de Almeida, afirmando o gosto que sentia em apoiar a iniciativa, “de louvar, pelos objectivos cumpridos que sustenta”.

Foi solicitada pela organização do evento a presença da “Escola de Samba Juventude de Paquetá”, da Mealhada, para a abertura do baile na discoteca principal dos Três Pinheiros. Segundo Fátima Silva, presidente da escola, foi e é com muito gosto que participam neste tipo de iniciativas.

De acordo com a organização do evento, o motor da iniciativa é o convívio entre as instituições e, nesta tarde foi possível sentir essa união e alegria de relembrar os bons momentos.

Pelo êxito que este tipo de iniciativas tem demonstrado anualmente, esta unidade hoteleira tem continuado a apoiá-las gratuitamente, com muito entusiasmo.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:52

link do post | comentar | favorito
Sábado, 20 de Dezembro de 2008

Amoreira da Gândara (Anadia) em festa

América Rosa completa 100 anos

No passado dia 9 de Dezembro completou 100 anos de vida e muitas histórias para contar a Sra. D. América Rosa de Almeida, natural da freguesia de Amoreira da Gândara, concelho de Anadia.

Celebrou mais este aniversário junto dos seus filhos Magna Almeida Santos Paço, Lúcio Santos e Joaquim Santos, vindo este último dos Estados Unidos da América (EUA), acompanhado dos seus dois filhos, Angelino da Conceição Santos e Manuel da Conceição Santos, esposas, quatro netos e cinco bisnetos.

No dia 14 foi feito um jantar entre os familiares mais próximos e amigos, reunindo 70 pessoas. Esteve presente um convidado especial: o Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Anadia, Sr. Prof. Litério Marques.

A Associação dos Amigos de Amoreira da Gândara - AMIGA, da qual o seu neto Alberto Silva faz parte, deseja muitos mais anos de vida à aniversariante, com saúde e junto dos que mais ama. São também estes os votos do Quiosque das Letras.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:45

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008

Câmara de Anadia dá 5 mil euros à associação

AMIGA realiza jantar de Natal e distribui diplomas

A Associação dos Amigos de Amoreira da Gândara (AMIGA) realizou o seu jantar de Natal no passado dia 6, que também teve como objectivo a entrega dos diplomas aos alunos das “Novas Oportunidades”, que completaram o 3º Ciclo do Ensino Básico, pelo Centro Novas Oportunidades CNO, do Agrupamento de Escolas de São Bernardo, Aveiro.

O jantar foi realizado na Associação Desportiva Amoreirense, conseguindo reunir cerca de 300 pessoas. Estiveram presentes o presidente da Câmara Municipal de Anadia, Litério Marques, o presidente da Assembleia Municipal de Anadia, José Manuel Ribeiro, o vereador da Cultura, Jorge São José, bem como um representante do PCP, João Morais. Do PS esteve José Carlos. Quem também não faltou foi o presidente da Junta de Freguesia de Amoreira da Gândara, Joaquim Cosme e o pároco da freguesia, Padre Melo. Presentes estiveram também outras entidades.

No decorrer do jantar procedeu-se à cerimónia de entrega dos diplomas, a mais 40 alunos, que completaram o 3º Ciclo do Ensino Básico. Para o efeito foram convidados a entregar estes diplomas Litério Marques, José Manuel Ribeiro, Jorge São José e Fernando Delgado (professor).

Discursaram após a entrega dos diplomas Litério Marques, o presidente da AMIGA, Mário Pato e por fim Joaquim Cosme. Todos enalteceram o trabalho realizado por esta associação na área da formação e no desenvolvimento não só da freguesia de Amoreira da Gândara como também do concelho de Anadia. Os intervenientes chegaram a referir que outras associações deveriam seguir os mesmos passos.

Cabe à AMIGA agradecer à Câmara Municipal de Anadia o seu contributo, no valor de 5 mil euros, com mais uma ajuda para dar continuidade às obras da associação. Para bem da freguesia e dos seus habitantes, que ficaram honradamente agradecidos por este facto.

A Direcção da AMIGA agradece a todas as pessoas presentes neste jantar, e que de diversas formas têm contribuído para o desenvolvimento da associação, comprometendo-se a dar continuidade a todo o trabalho até aqui realizado, para assim servir a sua terra de Amoreira da Gândara e também as suas gentes.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:05

link do post | comentar | favorito
Sábado, 8 de Novembro de 2008

Bronca da semana

Empresa de Oliveira do Bairro responsável por bidões vai ser autuada

Os bidões de tinta que foram depositados na floresta próxima da Zona Industrial de Amoreira da Gândara, no passado dia 25 de Outubro, já foram retirados pela empresa responsável pela sua colocação.

De acordo com fonte policial, a situação foi reposta, estando para ser levantado um auto de contra-ordenação, enviado para a Inspecção-Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território.

A mesma fonte disse ao Quiosque das Letras que a empresa responsável pela descarga dos bidões é de Oliveira do Bairro e além de ter sido autuada retirou-os todos.

Nestes casos, por tratar-se de pessoa colectiva, a coima tem um valor mínimo de 7.500 euros, que será a quantia que a empresa de Oliveira do Bairro terá de pagar pelo acto cometido.

“Já não é a primeira vez, nem a segunda, que há pessoas a colocar resíduos na Zona Industrial e matas de Amoreira da Gândara. E não conseguimos perceber porquê... Mas é um facto que esta freguesia é bastante fustigada com este tipo de crime”, revelou fonte policial.

Algumas vezes não são encontrados vestígios suficientes para descobrir o autor, “o que é de lamentar”, referiu a mesma fonte.

Recorde-se que esta situação concreta foi denunciada no Posto de Sangalhos, que depois contactou a Equipa de Protecção da Natureza e Ambiente de Anadia, que ficou com o caso, acabando por descobrir a proveniência destes resíduos industriais.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 10:01

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Bronca da semana

Sexagenária esfaqueada at...

Ponte de Canha acaba com ...

CDS-PP de Anadia “renovad...

Saneamento pode chegar ao...

Vestidos de Chita voltam ...

Terceira idade em festa n...

Amoreira da Gândara (Anad...

Câmara de Anadia dá 5 mil...

Bronca da semana

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds