Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

Desilusão do PS Anadia contrasta com a satisfação do CDS e CDU locais

CDS-PP Anadia é o partido com maior crescimento no concelho

“É um resultado que fica muito aquém das nossas expectativas”. Foi desta forma que Lino Pintado, cabeça de lista à Câmara Municipal de Anadia pelo PS, fez o balanço das autárquicas 2009. Mesmo “mantendo a percentagem de há quatro anos, na casa dos 25%, não é um bom resultado”, reforçou.

Lino Pintado referiu que apesar de ter aumentado o número de votos, também aumentou o de votantes, mantendo-se as percentagens.

“Tinha uma ambição de termos resultados completamente diferentes. Mas há que respeitar a decisão do eleitorado do concelho”, admitiu o candidato socialista.

Comparando os resultados agora obtidos com os de há quatro anos, o PS Anadia conquistou mais uma freguesia, a de Aguim, “que nunca tinha sido PS. Mantivemos também o número de deputados municipais, seis, passando para oito com o presidente da Junta de Freguesia de Aguim e o de Mogofores, que já era socialista”.

A assinalar as subidas nas freguesias de Avelãs de Cima, Arcos e Aguim, na votação para a Câmara Municipal e a “descida muito significativa em Sangalhos, merecendo uma análise com todo o cuidado para tentarmos chegar a conclusões”.

 

CDS tem o maior crescimento

Por outro lado, O CDS-PP foi o partido que mais cresceu no concelho de Anadia: elegeu dois deputados municipais - Sidónio Simões e João Tiago Castelo-Branco -, retirando um deputado municipal ao PSD e, por uma pequena margem de votos, não obteve um vereador. Está representado com um deputado em cinco Juntas de Freguesia, nomeadamente por Ana Maria Alegre, em Arcos; António Pimentel, em Tamengos; António Augusto Marques da Silva, em Amoreira da Gândara; Jorge Matos, na Moita e António Oliveira, em Mogofores e com dois deputados na freguesia de Vilarinho do Bairro, Nuno Seabra e Hélder Santos.

De referir que esta última freguesia foi a que registou a maior subida dos populares, tornando-se o CDS a segunda força política, logo a seguir ao PSD.

Segundo Maria do Céu Castelo-Branco, candidata à Câmara Municipal, “se compararmos os resultados das autárquicas 2005 aos obtidos este ano, percebemos que o CDS-PP Anadia duplicou as suas próprias percentagens e apresentou valores mais elevados do que o PSD e o PS, quer para a Câmara, quer para a Assembleia Municipal”.

Para a popular, “os objectivos superaram as nossas expectativas e tal só aconteceu porque houve uma equipa de trabalho coesa a par de um esforço persistente e um contacto directo com a população nas diferentes freguesias do concelho. Lançámos as sementes, o trabalho vai continuar e a colheita virá de certeza. Estamos convictos de que nas próximas eleições o CDS estará em condições de se afirmar como a alternativa certa para o concelho de Anadia”.

 

“É uma vitória para a CDU”

Também o cabeça de lista à Câmara de Anadia pela CDU, José Paixão, estava muito satisfeito com os resultados das autárquicas 2009: “É uma vitória para a CDU, porque conseguimos os melhores resultados de sempre no concelho”.

Contudo, Paixão lembrou que “não atingimos os nossos propósitos, que eram chegar aos mil votos em cada órgão a que concorremos, o que ofusca a nossa vitória. Mas subimos cerca de 200 votos nos diversos órgãos aos quais concorremos”.

Mais votos, mais percentagem e os mesmos mandatos de há quatro anos. É este o balanço feito pelo candidato da CDU à Câmara. “Tínhamos dois eleitos na Assembleia de Freguesia de Sangalhos, passámos para três. Em Mogofores é que perdemos o que tínhamos”, explicou.

Quanto à Assembleia Municipal, é João Morais que vai continuar como deputado pela CDU, “saindo a sua votação reforçada, ultrapassando os mil votos. Mas ainda ficámos longe de conseguir um segundo mandato neste órgão”, disse Paixão, que terminou referindo estar triste “por não ter conseguido a perda da maioria absoluta de Litério Marques”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:56

link do post | comentar | favorito
Domingo, 11 de Outubro de 2009

Litério Marques obtém nova maioria absoluta pelo PSD em Anadia

Autarca vai cumprir o quarto mandato consecutivo na Câmara Municipal de Anadia

Litério Augusto Marques volta a conquistar a Câmara Municipal de Anadia, e de novo com maioria absoluta, cumprindo o quarto mandato consecutivo pelo PSD. Sendo objectivo do autarca reeleito ganhar as 15 Juntas de Freguesia do concelho, as autárquicas 2009 ficam marcadas pela perda da Junta de Aguim para o PS, por uma diferença mínima de 44 votos.

A já socialista Junta de Freguesia de Mogofores - a única há quatro anos sem ser PSD - assim continuou, e com uma margem bem expressiva, visto que o PS obteve 348 votos face aos 99 a favor do PSD.

Os social-democratas conquistaram assim, em Anadia, 13 Juntas de Freguesia, ficando duas do lado do PS local. Contudo, “este resultado ultrapassou as minhas expectativas, porque houve alguns imponderáveis. E nestas circunstâncias não podíamos ter tido melhor resultado”, disse Litério Marques, em euforia, à porta do edifício da Câmara Municipal, após ter conhecimento dos resultados finais. O autarca referia-se à “perseguição” que diz ter sentido por parte do “PSD 2 de Anadia à minha candidatura” e que ao suceder só poderia “ter acontecido num partido doente”, rematou, numa clara alusão à Comissão Política de Secção (CPS) de Anadia do PSD, liderada por José Manuel Ribeiro.

Litério Marques, em 2005, venceu a Câmara de Anadia com 61,39% dos votos, alcançando a maioria absoluta, com cinco mandatos. Por seu turno, este ano o autarca reeleito voltou a conquistar a maioria absoluta, novamente com cinco mandatos, mas 57,02% dos votos. Ao perder quatro pontos percentuais face aos resultados de há quatro anos, Litério Marques perde um deputado na Assembleia Municipal. Neste órgão serão 12 os deputados municipais eleitos, mais 13 presidentes de Junta de Freguesia - excluem-se Mogofores e Aguim - perfazendo o total de 25 deputados social-democratas.

 

Luís Santos presidente da Assembleia Municipal de Anadia

Luís Santos, PSD, é o novo presidente da Assembleia Municipal de Anadia.

“O resultado é óptimo. Tenho a maioria absoluta e ganhei nas 15 freguesias, embora perdendo mais uma (Aguim). Esta vitória prova a aceitação total do concelho à figura do presidente. Sabemos que seria difícil recuperar a Junta de Mogofores, porque José Maria Ribeiro foi um presidente que cumpriu e ao recandidatar-se estávamos conscientes de que havia fortes possibilidades de lá permanecer este autarca, o que acabou por verificar-se”, realçou Litério Marques.

 

Sangalhos recupera maioria social-democrata

Litério Marques sublinhou também o “regresso à maioria absoluta na freguesia de Sangalhos, o que é “extraordinariamente importante para quem ganhou, porque permite fazer obra”.

Óis do Bairro foi outra das freguesias com a maioria absoluta do PSD, acabando por “roubar” um deputado ao PS, que passa agora a contar apenas com um membro na Assembleia de Freguesia. Vilarinho do Bairro também tem a maioria PSD.

No caso de Amoreira da Gândara e Tamengos, estas foram duas freguesias que perderam a maioria PSD, quebras que Litério atribui à CPS.

Sobre Aguim, o edil anadiense disse respeitar a decisão do povo, mas “não entendi. Foi uma das Juntas de Freguesia que mais trabalhou, sendo um resultado injusto na minha opinião. Mas a vida continua e Aguim não sairá prejudicada, porque não o fiz com Mogofores, também não o farei com esta freguesia”, garantiu.

 

“CPS de Anadia não existe”

Litério Marques, questionado sobre a ausência da CPS de Anadia do PSD, assim como da JSD, disse que a “CPS de Anadia provavelmente não existe. Desde a minha nomeação à reeleição não dei conta de ninguém”.

O autarca repetiu ter obtido uma “vitória extraordinária”, por ter lutado contra “o PS, o CDS, a CDU e o PSD 2”, deixando como nota final que nem a CPS do PSD, nem a JSD se empenharam “na minha eleição ou de qualquer outra lista do PSD”.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 09:52

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 27 de Julho de 2009

ACIB e Kiwicoop promoveram “II Festival do Kiwi”

Certame decorreu no Espaço Inovação, em Oliveira do Bairro

A Associação Comercial e Industrial da Bairrada (ACIB) e a Kiwicoop organizaram, de 11 a 19 de Julho, o “II Festival do Kiwi”, que decorreu no recinto da FIACOBA, no Espaço Inovação - Zona Industrial de Vila Verde, em Oliveira do Bairro.

As duas entidades levaram a cabo várias actividades, tendo em vista a promoção do kiwi, visto a Bairrada ter uma produção significativa deste fruto e a Kiwicoop ser a maior e única cooperativa nacional de kiwi - a qual se dedica, em exclusivo, à produção, recolha, tratamento e comercialização deste fruto.

Das diversas iniciativas destacam-se a demonstração ao vivo de pratos confeccionados com kiwi, a maior tartelette de kiwi - com 138,7 metros - e o concurso de melhor sobremesa com kiwi.

 

Cozinha ao vivo

A demonstração ao vivo de pratos confeccionados com kiwi decorreu de 11 a 17 de Julho, tendo como objectivo promover e integrar a utilização do kiwi nos cozinhados.

A iniciativa contou com a presença de vários chefes conhecidos como Jorge Fernandes, Alain Thiriart, Armindo Alves, Manuel Gonçalves, Richard Stuiver, Carlos Capote e ainda Paulo Queirós e com as formandas do curso EFA de Cozinha, que decorre na ACIB. As formandas estiveram também a ajudar os diversos chefes.

Além dos chefes, a actividade contou com a presença de enólogos que sugeriram os vinhos e espumantes mais adequados para acompanhar cada prato que foi confeccionado.

 

Maior tartelette com kiwi

No dia 18 foi apresentada a maior tartelette com kiwi, que tinha 138,7 metros de comprimento. O objectivo inicial eram 130 metros, acabando por ser superado.

A tartelette foi confeccionada pelas formandas e formadores do curso EFA de Cozinha.

A montagem da tartelette iniciou pelas 16.30 horas, tendo terminado às 19 horas. No final, todos os visitantes da FIACOBA puderam degustar uma fatia.

Esta foi a segunda vez que a ACIB e a Kiwicoop se aliaram na confecção da maior tartelette de kiwi. Em 2005 foram confeccionados 112 metros de tartelette, para os quais foram necessários 150 quilos de kiwi.

 

IV edição do concurso de Melhor Sobremesa com Kiwi

A Pastelaria Aqua Doce, de Aguada de Cima, e o Centro Social e Cultural Nossa Senhora do Ó de Aguim foram os vencedores da IV edição do concurso de Melhor Sobremesa com Kiwi, que aconteceu no dia 19.

A Pastelaria Aqua Doce, com a sobremesa “Envergonhado” foi a primeira classificada da categoria Profissionais (Padarias, Pastelarias, Restaurantes, Escolas de Hotelaria e Profissionais da área) e o Centro Social e Cultural Nossa Senhora do Ó de Aguim venceu na categoria Amadores (Público em Geral e Associações), com a sobremesa “Flagrante Delícia de Kiwi”.

O segundo lugar na categoria Profissionais foi também para a Aqua Doce, com a sobremesa “Circo de Kiwi”, tendo a pastelaria Chocolate Chocolate, da Praia da Barra, ficado em terceiro lugar com “Smoking de Kiwi”.

Na categoria Amadores, o Centro Cultural de Sá ficou em segundo e em terceiro lugares com as sobremesas “Kiwibom” e “Kiwicoco”, respectivamente.

Com esta iniciativa, a ACIB pretendeu promover a utilização dos kiwis na confecção de sobremesas, fomentado assim a gastronomia da região.

Foram nove dias dedicados ao kiwi, sendo mostradas as várias potencialidades e a importância deste fruto na alimentação.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:47

link do post | comentar | favorito
Sábado, 11 de Abril de 2009

José Oliveira deixa o apelo: “Seja responsável! Questione o seu estado vacinal”

Anadia é um dos concelhos melhor vacinados do distrito de Aveiro

O concelho de Anadia é o segundo com melhor cobertura vacinal no distrito de Aveiro, com uma percentagem que chega aos 80%, de toda a população. Ainda assim, há freguesias onde este índice se situa acima dos 90%, como são exemplos duas freguesias do concelho: Ancas (93,19%) e Aguim (92,15%).

Para José Oliveira, enfermeiro na Extensão de Saúde de Aguim e responsável concelhio pela vacinação, visto que integra a Coordenação Distrital, estes números devem-se ao “trabalho das equipas de saúde. A vacinação é um trabalho onde os enfermeiros assumem a liderança. No entanto não se pode desprezar o trabalho de nenhum outro funcionário, sendo precioso o incentivo feito pelos médicos aos próprios utentes” e a “colaboração do pessoal administrativo, a quem o programa informático fornece o alerta de falta de vacinação a cada contacto de utente não vacinado”. 

 

O Programa Nacional de Vacinação (PNV)

A vacinação, “só por si, permite evitar mais mortes e doenças do que qualquer tratamento médico”. É desta forma simples e resumida que José Oliveira tenta mostrar a verdadeira importância das vacinas, que representam “a saúde na sua vertente preventiva, visto terem a capacidade de proporcionar a prevenção das doenças infecciosas”.

O Programa Nacional de Vacinação (PNV) é um programa universal, gratuito e acessível a todas as pessoas presentes em Portugal. Apresenta um esquema de vacinação recomendado que constitui uma “receita universal”.

Nos anos seguintes à entrada em vigor do PNV, em 1965, verificou-se uma notável redução da morbilidade e da mortalidade pelas doenças infecciosas alvo de vacinação.

O novo PNV entrou em vigor em Janeiro de 2006, vindo assim substituir o de 2000.

O PNV de 2006 inclui as vacinas contra a tuberculose, a hepatite B, a difteria, o tétano, a tosse convulsa, a poliomielite, a doença invasiva por “Haemophilus influenzae do serotipo b”, o sarampo, a parotidite epidémica (ou papeira), a rubéola e a doença invasiva por “meningococos do tipo C” e a introdução de uma nova vacina contra o papiloma vírus humano.

“Em 2005, e após uma apurada auditoria a todo o Serviço Nacional de Saúde, a Organização Mundial de Saúde (OMS) considerou o nosso PNV o melhor do mundo, por ser o melhor implementado e mais abrangente, face às doenças existentes e às vacinas que as evitam e ainda o melhor rastreado”, afirmou José Oliveira, com orgulho.

 

Como funcionam as vacinas?

As vacinas são produtos químicos/biológicos que, “uma vez introduzidos no organismo, induzem, no sistema imunitário, a capacidade de reconhecerem os agentes causadores de doença infecciosa, de os combaterem ou de impedir a sua progressão”, explicou José Oliveira.

De uma forma mais figurativa, “as vacinas funcionam como imagens dos agentes de doença, fornecidos à memória imunitária. Esta, uma vez alertada para a existência desses agentes perniciosos, será capaz de emitir respostas adequadas ao combate e ao impedimento da instalação da doença”, referiu.

O esquema de vacinação recomendado tem como objectivo obter a melhor protecção, na idade mais adequada e o mais precocemente possível. As vacinas iniciam logo ao nascimento, com a administração das vacinas BCG (tuberculose) e hepatite B, estando incluídas vacinas para mais 10 doenças graves.

No que diz respeito a todas estas vacinas, existe uma cobertura até aos 18 anos de idade. Estas 12 vacinas são todas gratuitas. Após os 18 anos, o calendário apenas inclui a vacina anti-tetânica e a vacina contra a hepatite B para grupos de risco.

“Até aos 18 anos, no nosso concelho, com estas vacinas a cobertura é acima dos 95%, o que permite assegurarmo-nos da existência da imunidade de grupo”, adiantou José Oliveira. Ou seja, “o facto de uma larga percentagem da população estar vacinada funciona como protecção da população não vacinada, num fenómeno epidemiológico que toma este nome”.

 

A vacina anti-tetânica

Este facto só não se verifica com a doença tetânica: “Só está protegida toda a população se todos estiverem vacinados. A doença adquire-se através do contacto com fezes, terra, objectos sujos, mordeduras de animais, picadas de insecto, queimaduras e feridas”, explicou o enfermeiro.

“Cada morte que ocorre por doença tetânica é um fracasso da razão, é um fracasso da humanidade. A doença é absolutamente evitável pela vacinação”, afirmou José Oliveira, que defende que a cobertura da vacina deveria ser de 100%. Contudo, actualmente, as taxas de cobertura vacinal, no distrito de Aveiro, rondam os 70%, “facto que muito nos preocupa”, referiu.

As pessoas estão protegidas depois de efectuarem três doses. (Foto: Davide Silva)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:28

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Terceira idade em festa nos Três Pinheiros

Cerca de 400 idosos celebram o Carnaval na discoteca

O Best Western Quinta dos Três Pinheiros, na Mealhada, acolheu gratuitamente, na tarde do dia 18, algumas iniciativas que tinham como grande objectivo fazer respirar o ar carnavalesco entre diferentes instituições.

O Baile de Carnaval Inter-Institucional foi uma delas, contando com a presença de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e Misericórdias do distrito de Aveiro, sendo em maior número as do concelho de Anadia.

Foram cerca de 400 utentes, oriundos das seguintes instituições: APPACDM de Anadia, Associação Social de Avelãs de Caminho, Centro Social de Aguim, Avelãs de Cima, Paredes do Bairro, Poutena, Casa do Povo de Amoreira da Gândara, Clube de Ancas, Centro Social de Mogofores, Vila Nova de Monsarros, Centro Paroquial de Esgueira (Aveiro), Paraíso Social de Aguada de Baixo (Águeda), Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, Anadia, Sangalhos, Aveiro e Lar de Antes.

Nesta tarde, onde se viveu uma verdadeira festa de Carnaval, esteve também presente o director do Centro Distrital de Segurança Social de Aveiro, Celestino de Almeida, afirmando o gosto que sentia em apoiar a iniciativa, “de louvar, pelos objectivos cumpridos que sustenta”.

Foi solicitada pela organização do evento a presença da “Escola de Samba Juventude de Paquetá”, da Mealhada, para a abertura do baile na discoteca principal dos Três Pinheiros. Segundo Fátima Silva, presidente da escola, foi e é com muito gosto que participam neste tipo de iniciativas.

De acordo com a organização do evento, o motor da iniciativa é o convívio entre as instituições e, nesta tarde foi possível sentir essa união e alegria de relembrar os bons momentos.

Pelo êxito que este tipo de iniciativas tem demonstrado anualmente, esta unidade hoteleira tem continuado a apoiá-las gratuitamente, com muito entusiasmo.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:52

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008

Melhores condições das infra-estruturas

Junta de Freguesia de Tamengos realiza obras

A Junta de Freguesia de Tamengos tem desenvolvido importantes obras no espaço da freguesia.

A título de exemplo refira-se a substituição das tubagens da rede de águas de uso doméstico, que se encontravam obsoletas e não utilizáveis, na Rua das Roseiras (que liga o centro da Mata à vizinha localidade de Horta). Foi ainda feita a melhoria de estruturas, com a colocação de tubagens para a drenagem de águas pluviais, com respectivas sarjetas e colocação de lancis e passeios nos dois lados da via, que sofreu, por este motivo, um acentuado alargamento.

Esta obra, que era necessária há bastante tempo, devido à intensidade de tráfego e à necessidade de protecção dos peões, foi possível devido ao acordo de colaboração existente com a Câmara Municipal de Anadia.

Este mesmo acordo possibilitou, quase em simultâneo, uma obra semelhante na Rua das Camélias, que liga o Espinhal ao centro de Tamengos. A artéria verá, ainda, ser construída uma rotunda junto ao cruzeiro, localizado no entroncamento para Aguim. Será um melhoramento bastante importante, pois este local é um dos que registam maior afluxo de tráfego, visto tratar-se de uma ligação ao IC2 e de acesso à WRC e ao centro da freguesia, com respectivas infra-estruturas (Junta, Posto Médico, Igreja, Universidade Sénior e outras).

Pretende, ainda, a Junta de Freguesia desenvolver outras obras do mesmo cariz, em várias artérias de todas as localidades da freguesia, sempre em colaboração com a Câmara Municipal de Anadia.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:35

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 25 de Novembro de 2008

Centro de Saúde de Águeda

Teresa Rosmaninho é a nova directora

Desde o dia 2 de Novembro que Teresa Rosmaninho exerce a função de directora do Centro de Saúde de Águeda (CSA), sendo a eleita de Carlos Franco para dar continuidade ao trabalho que desenvolveu durante 16 anos. Apesar do acréscimo de responsabilidade e de funções, a nova dirigente vai continuar a ser médica de família, como foi sempre até agora, dando consultas no CSA.

Maria Teresa Rosmaninho Bandarra Miranda Ferreira é natural da freguesia de Aguim, concelho de Anadia. Tem 53 anos, é casada, mãe de dois filhos e avó de um neto.

Fez a Escola Primária em Aguim e concluiu o ensino secundário no Colégio Nossa Senhora da Assunção, em Famalicão, Anadia. No ano de 1975 ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, terminando a licenciatura em Julho de 1981.

Em 3 de Janeiro de 1982 foi colocada no Centro Hospitalar Aveiro – Sul (Hospital de Aveiro), para iniciar o seu Internato de Policlínica (Internato Geral), que concluiu, com aprovação, no ano de 1985. Após realização do teste de saída deste Internato, foi colocada na Administração de Saúde de Aveiro, na especialidade de Medicina Geral e Familiar.

Em 1989, quando concluiu a especialidade, teve uma breve passagem pelo Centro de Saúde de Oliveira do Bairro. E em 1991, após concurso, foi colocada no CSA, Sub-Região de Saúde de Aveiro, como médica de família.

Além das funções relacionadas com a sua actividade como médica de família, desempenhou o cargo de coordenadora concelhia do Programa de Diabetes do CSA. Foi, até começar a exercer funções de directora do CSA, responsável pela consulta de alcoologia do CSA. Actualmente é ainda orientadora de formação do Internato Complementar da especialidade de Medicina Familiar.

No dia 2 de Novembro passou a ser directora do CSA. Diz ter sido uma “surpresa”, porque sempre disse que não o queria ser. Mas pela grande amizade que tem com Carlos Franco, sabia que “ele gostava de deixar no seu lugar alguém que fosse da sua confiança. Fui obrigada a aceitar. No fundo é um grande desafio para mim, tanto em aspectos profissionais como pessoais”. Teresa Rosmaninho frisou que nunca foi seu objectivo ser directora do CSA, porque sempre “gostei muito de trabalhar com os doentes. Tenho-os sempre acima de tudo”.

Desde que a freguesia de Aguim é paróquia, já lá vão 16 anos, que Teresa Rosmaninho é catequista, sendo a responsável pela catequese na paróquia. Este ano tem um grupo do 6º ano. Admite que dar catequese é uma das suas grandes paixões.

A médica já foi presidente da Direcção do Centro Social e Cultural Nossa Senhora do Ó de Aguim, sendo sócia fundadora desta instituição.

 

Jantar de homenagem a Carlos Franco

Os médicos e funcionários do CSA organizaram, no dia 14, um jantar de homenagem a Carlos Franco, juntando cerca de duas centenas de amigos no Restaurante Romi, na freguesia de Travassô, Águeda.

O jantar serviu para todos os funcionários e médicos prestarem reconhecimento ao trabalho desenvolvido por Carlos Franco. Foi um repasto que contou com um momento musical de qualidade, com o duo composto por André e Joca.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 08:09

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó, freguesia de Aguim

A maior romaria do concelho de Anadia: duas procissões e seis noitadas

A freguesia de Aguim, uma das 15 do concelho de Anadia, ainda está em festa. No dia 18 começaram as Festividades em Honra de Nossa Senhora do Ó, a padroeira da aldeia. Hoje, dia 23, seis dias depois de comemoração, tanto religiosa como profana - através dos tradicionais bailaricos -, a festa termina, deixando um sentimento de saudade e o peso da responsabilidade entregue à mordomia que se encarregará de organizar a próxima.

Apesar da festa ter iniciado a 18, com os gaiteiros “Seca Pipas” a percorrer as ruas da aldeia logo pela amanhã, foi no domingo, dia 20, que as festividades atingiram o seu auge, com as cerimónias religiosas.

Logo após terminar a missa, celebrada na Igreja de Aguim, enfeitada a rigor, 13 andores, cheios de flores de vários tipos, foram sendo cuidadosamente retirados do interior do templo, como acontece todos os anos, para organizar a procissão.

No chão das ruas estavam ervas verdes, alecrim e pétalas de flores, ainda frescas, que aguardavam a passagem da procissão e de Nossa Senhora do Ó. As varandas das casas mais antigas, na viela do centro da aldeia, junto à igreja, estavam enfeitadas com colchas de seda, de diversas cores e feitios, como que para saudar a santinha que estava para chegar.   

Na frente seguiam dois cavalos, imponentes, da GNR de Anadia. E logo depois as bandeiras, que antecediam cada um dos bonitos andores, banhados pelo sol que teimava manter-se quente e radiante. Nossa Senhora do Ó, no seu andor majestoso, com cerca de 200 quilogramas, lá ocupava o último lugar da marcha, o lugar mais importante e esperado. Depois vinha o padre António Torrão, pároco da freguesia, e a Banda Filarmónica dos Covões, do concelho vizinho de Cantanhede. Um mar de gente, ao compasso da música, calcorreava as ruas, fazendo crescer a procissão. Viam-se algumas mulheres caminhar descalças, ao que tudo indica cumprindo promessas feitas à padroeira da terra.

 

“D’Tacon” animaram noite de domingo

À noite foi vez das espanholas “D’Tacon” animarem a noite, com sonoridades latinas, que se prolongaram até às duas da manhã. No recinto do bailarico, montado próximo da Junta de Freguesia e da Extensão de Saúde de Aguim, não faltavam as farturas, as pipocas e o algodão doce. Também havia quem vendesse balões para os mais novos.

A segunda-feira, dia 21, não deixou de ser um dia especial, porque Nossa Senhora do Ó voltou a sair à rua, novamente em procissão. Desta vez a única diferença foi no trajecto, maior que o de domingo. E junto do andor da padroeira, lá seguiam algumas mulheres a cumprir as suas promessas.

 

Padroeira de Aguim e das grávidas

A Nossa Senhora do Ó, padroeira de Aguim e também de outras freguesias do concelho (como é o caso do lugar de Vale de Avim, na Moita), é conhecida como a santa das grávidas, porque ela própria está grávida, o que a leva a ser também conhecida como “Nossa Senhora da Expectação”, por estar na expectativa, na esperança, do filho que há-de vir. Os mais antigos escreviam Nossa Senhora do Oh, porque o “oh!” significava exclamação. A própria imagem, de grandes dimensões, tem inscritas estas letras no ventre.

 

Programa da festa para hoje

É pelas 21 horas que começa o baile que vai encerrar mais um ano de Festas em Honra de Nossa Senhora do Ó de Aguim. A esta hora tem início a Noite Dançante, com música dos anos de 1960, 1970 e 1980. Cerca das 24 horas o palco fica entregue nas mãos do DJ Filipe Sanchez, residente na “Via Latina” e “Sport’s Bar” de Coimbra. Para a actuação ser perfeita, vai haver também acompanhamento multimédia, numa noite que promete ser longa.

 

 

publicado por quiosquedasletras às 16:51

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Desilusão do PS Anadia co...

Litério Marques obtém nov...

ACIB e Kiwicoop promovera...

José Oliveira deixa o ape...

Terceira idade em festa n...

Melhores condições das in...

Centro de Saúde de Águeda

Festas em Honra de Nossa ...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds