Sábado, 11 de Outubro de 2008

Bronca da semana

CDS-PP de Anadia denuncia abandono da Estação da Curia

Em comunicado de Imprensa enviado aos jornais, o CDS-PP de Anadia reclama, junto da Refer e da Câmara Municipal de Anadia, a “resolução imediata para a situação de total abandono em que se encontra a Estação da Curia”, acusam.

Na última reunião de Câmara, o presidente da Concelhia do CDS-PP de Anadia, João Tiago Castelo Branco, denunciou o total abandono a que tem sido votada a Estação de Caminho-de-ferro da Curia.

“A que já foi uma das mais belas estações do país é hoje um albergue para quem não tem onde pernoitar, refúgio de prostituição e de práticas de toxicodependência, antro de dejectos e de todo o tipo de lixos”, pode ler-se no comunicado. O CDS-PP de Anadia refere ainda a existência de sinais evidentes de vandalismo: “Placares de informação arrancados, fios descarnados e expostos no caminho, vidros partidos, estrutura exterior e área interior destruídas”.

“No quotidiano, as casas de banho estão encerradas, não há caixotes de lixo e os utentes que necessitam de transpor a via de um lado para o outro são forçados a utilizar elevadores atulhados de lama, lixo, vomitado e dejectos humanos”, pode também ler-se na informação enviada aos jornais.

O CDS de Anadia refere que também a denominação da estação foi alterada e, “de Curia, passou a ler-se Cu”.

Se estiver mau tempo, quem apanha o comboio no sentido Curia - Coimbra é obrigado, diz o CDS de Anadia, a molhar-se e a suportar intempéries, pois não existe qualquer abrigo que proteja os utentes que esperam por aquele meio de transporte. “As águas pluviais acumulam-se na entrada do lado da EN1 e escoam directamente para a via-férrea, fazendo com que os utentes da Refer e munícipes deste concelho sejam obrigados a arregaçar as calças ou a andar com água pelos tornozelos, responsabilidades que são da competência da Refer e da Câmara Municipal de Anadia”, acusa o Partido Popular local.

O CDS-PP de Anadia enviou uma reclamação à autarquia e outra à Refer, para que um “tão enaltecido centro turístico se transforme naquele que já foi dos lugares mais bonitos de Portugal”.

O Quiosque das Letras tentou contactar Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, mas sem êxito. (Foto: Davide Silva)

 

 

publicado por quiosquedasletras às 07:37

link do post | comentar | favorito

Pesquisar

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimas Letras

Aeróbica reuniu cerca de ...

Câmara Municipal de Aveir...

Seminário Internacional “...

Luís Fernandes, da d’Orfe...

Voluntários ajudam a limp...

Recortes de jornais desde...

Rota da Lampreia e da Vit...

Câmara Municipal de Anadi...

Candidaturas ao Fundo Soc...

Reunião aberta para a ini...

Letras na gaveta

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Letras

todas as tags

Banca de Notícias

Contacto

quiosquedasletras@sapo.pt
blogs SAPO

subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub